Posts Tagged Sa-Carneiro

Mario de Sa-Carneiro – Apoteose

on 12/10/2011 by valerio in Senza categoria, Comments (0)

Mastros quebrados, singro num mar d’Ouro Dormindo fôgo, incerto, longemente… Tudo se me igualou num sonho rente, E em metade de mim hoje só móro… São tristezas de bronze as […]

Read more...

Mario de Sa-Carneiro – Angulo

on by valerio in Senza categoria, Comments (0)

*ANGULO* Aonde irei neste sem-fim perdido, Neste mar ôco de certezas mortas?— Fingidas, afinal, todas as portas Que no dique julguei ter construido… —Barcaças dos meus impetos tigrados, Que oceano […]

Read more...

Mario de Sa-Carneiro – Nossa Senhora de Paris

on 07/20/2011 by valerio in Senza categoria, Comments (0)

Listas de som avançam para mim a fustigar-me Em luz. Todo a vibrar, quero fugir… Onde acoitar-me?… Os braços duma cruz Anseiam-se-me, e eu fujo tambem ao luar… Um cheiro […]

Read more...

Mario de Sa-Carneiro – Certa voz, na noite ruivamente

on by valerio in Senza categoria, Comments (0)

Esquivo sortilégio o dessa voz, opiada Em sons côr de amaranto, ás noites de incerteza, Que eu lembro não sei d’Onde—a voz duma Princesa Bailando meia nua entre clarões de […]

Read more...

Mario de Sa-Carneiro – Salomé

on by valerio in Senza categoria, Comments (0)

Insónia rôxa. A luz a virgular-se em mêdo, Luz morta de luar, mais Alma do que a lua… Ela dança, ela range. A carne, alcool de nua, Alastra-se pra mim […]

Read more...

Mario de Sa-Carneiro – Taciturno

on by valerio in Senza categoria, Comments (0)

Ha Ouro marchetado em mim, a pedras raras, Ouro sinistro em sons de bronzes medievais— Joia profunda a minha Alma a luzes caras, Cibório triangular de ritos infernais. No meu […]

Read more...