em

Luis de Camoes – Oh como se me alonga de anno em ano

Oh como se me alonga de anno em ano A peregrinação cansada minha! Como se encurta, e como ao fim caminha Este meu breve e vão discurso humano! Mingoando a idade vai, crescendo o dano; Perdeo-se-me hum remedio, que inda tinha: Se por experiencia se adivinha, Qualquer grande esperança he…

Read More

Luis de Camoes – Em formosa Lethea se confia

Em formosa Lethea se confia, Por onde vaidade tanta alcança, Que, tornada em soberba a confiança, Com os deoses celestes competia. Porque não fosse avante esta ousadia, (Que nascem muitos erros da tardança) Em effeito puzerão a vingança Que tamanha doudice merecia. Mas Oleno, perdido por Lethea, Não lhe soffrendo…

Read More

Luis de Camoes – Chara minha inimiga, em cuja mão

Chara minha inimiga, em cuja mão Poz meus contentamentos a ventura, Faltou-te a ti na terra sepultura, Porque me falte a mi consolação. Eternamente as águas lograrão A tua peregrina formosura: Mas em quanto me a mim a vida dura, Sempre viva em minha alma te acharão. E se meus…

Read More
Don`t copy text!