Conteúdo verificado

Batistas

Você sabia ...

SOS acredita que a educação dá uma chance melhor na vida de crianças no mundo em desenvolvimento também. Antes de decidir sobre o patrocínio de uma criança, por que não aprender sobre as diferentes instituições de caridade de patrocínio primeiro ?

Batistas são Os cristãos que compõem um grupo de denominações e igrejas que subscrevem a uma doutrina que batismo deve ser realizada somente por crentes professos ( batismo do crente, ao contrário de o batismo infantil), e que isso deve ser feito por imersão (em oposição a affusion ou aspersão). Outros princípios de igrejas batistas incluem alma competência (liberdade), a salvação através de fé, escritura sozinho como regra de fé e prática, ea autonomia do local, congregação. Batistas reconhecem dois gabinetes ministeriais, pastores e diáconos. Igrejas batistas são amplamente considerados Igrejas protestantes, embora alguns batistas repudiar esta identidade.

Diversificado de seu início, aquelas identificando batistas hoje são muito diferentes uns dos outros em que eles acreditam, como eles adoram, suas atitudes para com os outros cristãos, e sua compreensão do que é importante para o discipulado cristão.

Historiadores rastrear a mais antiga igreja rotulado como "Batista" de volta para 1609, em Amesterdão , com Inglês Separatista John Smyth como seu pastor. De acordo com a sua leitura do Novo Testamento , ele rejeitou batismo de crianças e instituiu o batismo única de adultos crentes. Prática propagação Batista para a Inglaterra, onde os batistas gerais considerado expiação de Cristo para estender a todas as pessoas, enquanto os batistas particulares acreditava que se estendia somente aos eleitos. Em 1638, Roger Williams estabeleceu a primeira congregação batista nas colônias norte-americanas. Em meados do século 18, o Primeiro Grande Despertar aumento do crescimento batista em ambos Nova Inglaterra e do Sul. O Segundo Grande Despertar no sul do país no início do século 19 aumentou de membros da igreja, assim como diminuição do apoio dos pregadores para abolição e alforria de escravidão , que tinha sido parte dos ensinamentos do século 18. Missionários batistas têm espalhado a sua igreja para todos os continentes.

O Aliança Batista Mundial relata mais de 41 milhões de membros em mais de 150 mil congregações. Em 2002, havia mais de 100 milhões de batistas e membros do grupo de batistas em todo o mundo e mais de 33 milhões na América do Norte. A maior associação Batista é o Convenção Batista do Sul, com a participação de igrejas associadas, totalizando mais de 16 milhões.

Origins

O historiador Batista Bruce Gourley esboça quatro principais pontos de vista das origens Batista: (1) O moderno consenso acadêmico que o movimento traça a sua origem ao século 17 através do Inglês Separatistas, (2) a opinião de que era uma conseqüência de tradições anabatistas, (3) a visão perpetuidade que pressupõe que a fé ea prática Batista existe desde o tempo de Cristo, e (4) a vista sucessivista, ou " Successionism Batista ", que argumenta que as igrejas batistas realmente existiu em uma cadeia ininterrupta desde os tempos de Cristo.

Inglês visão separatista

Igrejas batistas modernos traçar sua história ao Movimento separatista Inglês no século após o surgimento das denominações protestantes originais. Este ponto de vista das origens Batista conta com o apoio mais histórica e é o mais amplamente aceito. Os que aderem a esta posição considerar a influência dos anabatistas sobre primeiros batistas ser mínimo. Foi um momento de grande turbulência política e religiosa. Ambos os indivíduos e as igrejas estavam dispostos a abrir mão de suas raízes teológicas se eles se convenceram de que a "verdade" mais bíblica tinha sido descoberto.

Durante o Reforma Protestante, a Igreja da Inglaterra (anglicanos) separada da Igreja Católica Romana . Havia alguns cristãos que não estavam satisfeitos com as realizações do mainstream Reforma Protestante. Há também eram cristãos que estavam desapontados que a Igreja da Inglaterra não tinha feito correções do que alguns considerados erros e abusos. Daqueles mais crítica da direção da Igreja, alguns escolheram ficar e tentar fazer mudanças construtivas de dentro da Igreja Anglicana. Eles ficaram conhecidos como " puritanos "e são descritos por Gourley como primos da Inglês separatistas. Outros decidiram que eles devem deixar a Igreja por causa de sua insatisfação e tornou-se conhecido como os separatistas.

Historiadores traçar a igreja mais antiga Batista de volta para 1609, em Amesterdão, com John Smyth como seu pastor. Mesmo antes disso, em 1606, John Smyth, um companheiro de Cristo College, Cambridge, tinha quebrado seus laços com a Igreja da Inglaterra. Criada na Igreja da Inglaterra, ele se tornou "puritano, Separatista Inglês, e, em seguida, um separatista Batista ", e terminou seus dias trabalhando com os menonitas. Ele começou a se reunir na Inglaterra, com 60-70 Inglês separatistas, em face da "grande perigo". A perseguição dos não-conformistas religiosas na Inglaterra levou Smyth para ir para o exílio em Amsterdã com companheiros separatistas da congregação que ele havia se reunido em Lincolnshire, separar da igreja estabelecida (Anglicana). Smyth e seu defensor leigo, Thomas Helwys, juntamente com aqueles que levavam, rompeu com os outros exilados ingleses porque Smyth e Helways estavam convencidos de que eles devem ser batizados como crentes. Em 1609 Smyth batizou-se primeiro e depois batizou os outros.

Em 1609, enquanto ainda está lá, Smyth escreveu um panfleto intitulado "O caráter da besta", ou "A Constituição False da Igreja." Nela, ele expressou duas proposições: primeiro, as crianças não devem ser batizados; e, segundo, "anticristãos são convertidos para ser admitido na verdadeira Igreja pelo batismo." Assim, sua condenação foi que uma igreja bíblica deve consistir apenas de crentes regenerados que foram batizadas em uma confissão pessoal de fé. Ele rejeitou a Doutrina do movimento separatista do batismo infantil ( paedobaptism). Pouco tempo depois, Smyth deixou o grupo, e leigo Thomas Helwys assumiu a liderança, levando a igreja de volta para a Inglaterra em 1611. Em última análise, Smyth se comprometeu com crentes 'batismo como o único batismo bíblico. Ele estava convencido com base na sua interpretação das Escrituras que os bebês não seriam condenados que eles deveriam morrer na infância.

Imprimir a partir de teólogo anglicano O livro de Daniel Featley, "O Dippers DIPT, ou, os anabatistas Duck'd e Plung'd Over Head e ouvidos, a uma Disputa em Southwark", publicado em 1645.

Smyth, convencido de que sua auto-batismo era inválido, aplicado com o Menonitas para a adesão. Ele morreu enquanto espera para a adesão, e alguns de seus seguidores se tornou menonitas. Thomas Helwys e outros mantiveram seu batismo e os seus compromissos Batista. A moderna denominação batista é uma conseqüência do movimento de Smyth. Batistas rejeitaram o nome anabatista quando foram chamados que por oponentes em escárnio. McBeth escreve que tão tarde quanto o século 18, muitos batistas se referiram como "os cristãos comumente embora falsamente -chamado anabatistas".

Outro marco no desenvolvimento inicial da doutrina Batista foi em 1638 com John Spilsbury, um pastor calvinista que ajudou a recuperar a prática do crente O batismo por imersão. De acordo com Tom Nettles, professor de teologia histórica na Seminário Teológico Batista do Sul, "argumentos convincentes de Spilsbury para um recolhida, congregação disciplinado de crentes batizados por imersão como constituindo a igreja do Novo Testamento deu expressão a e construído em insights que surgiram dentro de separatismo, avançados na vida de John Smyth ea congregação sofrimento de Thomas Helwys, e amadureceu em batistas particulares. "

View influência anabatista

Outro ponto de vista é que os Batistas do início do século XVII, foram influenciados por continental Anabatistas. De acordo com essa visão, os menonitas holandeses (anabatistas) semelhanças compartilhadas com os batistas gerais (batismo do crente, a liberdade religiosa, a separação entre Igreja e Estado, e vistas arminianas da salvação, a predestinação eo pecado original). Escritores representativos incluem AC Underwood e William R Estep. Gorley escreve que entre alguns estudiosos batistas contemporâneos que enfatizam a fé da comunidade sobre a alma liberdade, a teoria da influência anabatista está fazendo um retorno.

As relações entre os batistas e os anabatistas foram cedo tensas. Em 1624, as igrejas batistas, em seguida, cinco existentes de Londres emitiu uma condenação dos anabatistas.

Vista perpetuidade

Antes do século 20, os historiadores batistas geralmente escreveu a partir da perspectiva que os batistas já existia desde o tempo de Cristo. Os defensores da visão perpetuidade Batista considerar o movimento batista ter sido sempre historicamente separado do catolicismo e na existência antes da Reforma Protestante.

A vista perpetuidade é freqüentemente identificado com o rastro de sangue, um panfleto por JM Carrol publicado em 1931. Outros escritores Batista segurando a vista perpetuidade estão John T. Christian, Thomas Crosby, GH Orchard, JM Cramp, William Cathcart, Adam Taylor e DB Ray Este ponto de vista também foi realizado pelo Inglês Batista pregador, Charles Spurgeon, bem como Jesse Mercer, o homónimo da universidade de Mercer.

Origens Batistas no Reino Unido

Gráfico histórico do principal Ramos protestantes.

Em 1612, Thomas Helwys estabeleceu uma congregação Batista, em Londres, composta por fiéis da igreja de Smyth. Uma série de outras igrejas Batistas surgiu, e eles ficaram conhecidos como os batistas gerais. Os batistas particulares foram estabelecidos quando um grupo de calvinistas Separatistas adotado Baptismo dos crentes.

Origens Batistas na América do Norte

Tanto Roger Williams e John Clarke, seu compatriota em trabalhar pela liberdade religiosa, são diversas creditado como fundador o mais rapidamente igreja batista na América do Norte. Em 1639, Williams estabeleceu uma igreja batista em Providence, Rhode Island, e Clarke começou uma igreja batista em Newport, Rhode Island. De acordo com um historiador Batista, que tem pesquisado o assunto extensivamente, "Há muito debate ao longo dos séculos sobre se a igreja Providence ou Newport mereceu o lugar de 'primeiro' congregação batista na América. Registros exatos para ambas as congregações estão faltando."

O Grande Despertar energizou o movimento Batista, ea comunidade Batista teve um crescimento espetacular. Batistas se tornou a maior comunidade cristã em muitos estados do sul, incluindo entre a população negra.

Trabalho missionário batista no Canadá começou na colônia britânica de Nova Scotia (dia atual Nova Escócia e New Brunswick) na década de 1760. O primeiro registro oficial de uma igreja batista no Canadá foi o da Igreja Batista Horton (agora Wolfville) em Wolfville, Nova Scotia, em 29 de outubro de 1778. A igreja foi estabelecida com a assistência do Nova evangelista Luz Henry Alline. Muitos dos seguidores de Alline, após sua morte, iria converter e fortalecer a presença Baptist na região do Atlântico. Dois grandes grupos de batistas formaram a base das igrejas no Maritimes. Estes foram referidos como Batista Regular (calvinista em sua doutrina) e Livre Arbítrio batistas.

Em maio de 1845, as congregações batistas nos Estados Unidos dividido sobre a escravidão e missões. O Início Mission Society impediram os proprietários de escravos de ser nomeado como missionários. A divisão criou o Convenção Batista do Sul, enquanto as congregações do norte formaram sua própria organização guarda-chuva chamado agora o Americana Igrejas Batistas EUA (ABC-EUA). O Igreja Metodista Episcopal, do Sul havia se separado recentemente sobre a questão da escravidão, e do sul Presbiterianos iria fazê-lo logo em seguida.

Afiliações batistas

Muitas igrejas batistas escolher afiliado com grupos organizacionais que fornecem companheirismo sem controle. A maior tal grupo é a Convenção Batista do Sul. Há também um número considerável de grupos cooperativos menores. Finalmente, há igrejas batistas que optam por permanecer autônoma e independente de qualquer denominação, organização ou associação.

Em 1905, os batistas em todo o mundo formou a Aliança Batista Mundial (BWA). A BWA conta agora com 218 convenções batistas e os sindicatos a nível mundial com mais de 41 milhões de membros. Os objetivos do BWA incluem cuidar dos necessitados, levando em evangelismo mundial e defesa dos direitos humanos e da liberdade religiosa. Apesar de ter desempenhado um papel na fundação da BWA, o Convenção Batista do Sul cortou sua afiliação com BWA em 2004.

Afiliação

Estatística

Hoje, 46 milhões de batistas pertencem a igrejas que cooperam com o Aliança Batista Mundial. Muitos grupos de batistas, incluindo a Convenção Batista do Sul e do Baptist Bible Fellowship não cooperar com a Aliança. O seu número pode adicionar até um total de perto de 100 milhões de adeptos em todo o mundo através de 211 denominações, fazendo com que os batistas a maior denominação protestante no mundo.

Batistas estão presentes em quase todos os continentes em grandes denominações. O maior número de adesões batizados estão em Nigéria (3,5 milhões) e Congo (2 milhões) na ?frica , ?ndia (2,5 milhões) e Myanmar (1 milhão) na ?sia , EUA (35 milhões) e Brasil (1,8 milhões) no Norte e América do Sul .

De acordo com os pesquisadores do Grupo Barna, batistas são o maior agrupamento de denominacional cristãos nascidos de novo nos EUA A 2009 ABCNEWS / Beliefnet telefone votação de um 022 adultos sugere que quinze por cento dos americanos se identificam como batistas.

Uma grande porcentagem dos batistas na América do Norte são encontrados em cinco corpos-o Convenção Batista do Sul (SBC); Convenção Batista Nacional (NBC); Convenção Batista Nacional da América, Inc .; (NBCA); Americanos Igrejas Batistas nos EUA (ABC); e Baptist Bible Fellowship International (BBFI).

Qualificação para a adesão

Membros Políticas variar devido à autonomia das igrejas, mas o método tradicional pelo qual um indivíduo torna-se um membro de uma igreja é através batismo do crente, que é uma profissão pública da fé em Jesus, seguido pelo batismo em água.

A maioria dos batistas não crêem que o batismo é um requisito para a salvação, mas sim uma expressão pública de arrependimento e fé interior de um. Portanto algumas igrejas vai admitir em pessoas de adesão que fazem uma profissão de fé, mas não conseguem acompanhar, através de batismo de crentes.

Em geral, as igrejas batistas não tem uma restrição de idade indicado na adesão, mas o batismo do crente exige que um indivíduo ser capaz de livremente e sinceramente professar a sua fé. (Ver Age of Accountability)

Crenças e princípios batistas

Batistas, assim como outros cristãos, são definidos pela doutrina-algumas delas comuns a todos os grupos ortodoxos e evangélicos e uma parte dele importante distintivo. Através dos anos, diferentes grupos Batista emitiram confissões de fé, sem considerar que eles sejam credos -para expressar suas distinções doutrinárias particulares em comparação com os outros cristãos, bem como em comparação com outros batistas. A maioria dos batistas são evangélicos na doutrina, mas crenças batistas podem variar em função do sistema de governo congregacional que dá autonomia às igrejas batistas locais individuais. Historicamente, os batistas têm desempenhado um papel fundamental no sentido de incentivar a liberdade religiosa ea separação entre Igreja e Estado.

Doutrinas compartilhadas incluiria crenças sobre um só Deus; o nascimento virgem; milagres; expiação de pecados através da morte, sepultamento e ressurreição corporal de Jesus; a Trindade ; a necessidade de salvação (através da crença em Jesus Cristo como filho de Deus, sua morte e ressurreição, ea confissão de Cristo como Senhor); graça; o Reino de Deus; últimas coisas (Jesus Cristo voltará pessoal e visivelmente em glória para a terra, os mortos serão ressuscitados, e Cristo julgará todos em justiça); e evangelismo e missões. Alguns documentos doutrinários Batistas historicamente significativos incluem a Londres 1689 Confissão de Fé Batista de 1742 Batista Filadélfia Confissão, o 1833 New Hampshire Confissão de Fé Batista, o Southern Baptist Convention de Faith Baptist e Mensagem, e escrito convênios da igreja que algumas igrejas batistas individuais adotam como uma declaração de sua fé e crenças.

A maioria dos batistas afirmam que nenhuma igreja ou organização eclesiástica tem autoridade inerente sobre uma igreja Batista. Igrejas podem corretamente se relacionam entre si sob esta política apenas através de cooperação voluntária, não por qualquer tipo de coerção. Além disso, esta política Batista chama a liberdade de controles governamentais.

As excepções a esta forma local de governação local incluem algumas igrejas que enviam para a liderança de um corpo de idosos, bem como o Episcopais batistas que têm um sistema Episcopal .

Batistas em geral acreditam na literal Segunda Vinda de Cristo. Crenças entre batistas em relação à " fim dos tempos "incluem amillennialism, dispensationalism e histórico premillennialism, com vistas como postmillennialism e preterism receber algum apoio.

Alguns princípios batistas distintivas adicionais detidas por muitos batistas:

  • A supremacia das Escrituras canônicas como norma de fé e prática. Para algo para tornar-se uma questão de fé e prática, não é suficiente para que seja apenas consistente com e não contra os princípios bíblicos. Deve ser algo explicitamente ordenada por meio de comando ou exemplo na Bíblia. Por exemplo, é por isso que os batistas não praticam o batismo infantil, eles dizem que a Bíblia nem os comandos nem exemplifica o batismo infantil como uma prática cristã. Mais do que qualquer outro princípio Batista, um presente quando aplicado ao batismo infantil é dito para separar batistas de outros cristãos evangélicos.
  • Batistas acreditam que a fé é uma questão entre Deus eo indivíduo ( a liberdade religiosa). Para eles, isso significa que a defesa da liberdade absoluta de consciência.
  • A insistência na imersão como o único modo de batismo. Batistas não acreditam que o batismo é necessário para a salvação. Portanto, eles não consideram que seja um sacramento, uma vez que não confere graça salvadora.

Crenças que variam entre os batistas

Como não há autoridade hierárquica e cada igreja batista é autônoma, não há um conjunto oficial de crenças Teológico Batista.Essas diferenças existem tanto entre as associações, e mesmo entre as igrejas dentro das associações.

Algumas questões doutrinais sobre os quais exista diferença generalizada entre os batistas são:

  • Escatologia
  • Calvinismo vs.Arminianismo
  • O doutrina da separação do "mundo" e se associar com aqueles que são "do mundo"
  • Glossolalia (falar em línguas)
  • Como a Bíblia deve ser interpretada (hermenêutica)
  • A medida em queas placas missionárias deve ser usado para apoiar missionários
  • A medida em que os não membros poderão participar daCeia do Senhor serviços
  • Que a tradução das Escrituras para usar (vejaKing-James-Only movimento), a própria natureza da Evangelho
  • O papel de mulheres no casamento
  • O ordenação de mulheres como diáconos e pastores.
  • Se deve ou não aceitar LGBT membros / ministros e se deve ou não realizar o casamento gay.

As controvérsias que moldaram batistas

Batistas têm enfrentado muitas controvérsias em sua história de 400 anos, controvérsias do nível de crises. Historiador Walter Batista Shurden diz a palavra "crise" vem da palavra grega que significa "decidir". Shurden escreve que ao contrário da visão negativa presumida de crises, algumas controvérsias que atingem um nível de crise pode realmente ser "positivo e altamente produtiva." Ele afirma que, mesmo cisma, apesar de nunca ideal, muitas vezes tem resultados positivos. Em suas crises de opinião entre batistas cada tornaram-se-momentos de decisão que moldaram seu futuro. Algumas controvérsias que moldaram batistas incluem a "crise missões", a "crise escravidão", a "crise marco", e da "crise modernista".

Crise missões

No início do século 19, a ascensão do moderno movimento missionário, ea reação contra ela, levou à ampla controvérsia e amargo entre os batistas americanos. Durante esta era, os batistas americanos foram divididos entre missionária e anti-missionária. A secessão substancial dos batistas foi para o movimento liderado por Alexander Campbell, para voltar a uma igreja mais fundamental.

Crise escravidão

Que antecederam a Guerra Civil Americana , batistas se envolveu na controvérsia sobre a escravidão nos Estados Unidos. Considerando que a Primeira Grande Despertar, metodistas e batistas pregadores tinha oposto a escravidão e instou alforria, ao longo das décadas que fizeram mais de uma acomodação com a instituição. Eles trabalharam com os proprietários de escravos no Sul de exortar uma instituição paternalista. Ambas as denominações fizeram apelos diretos aos escravos e negros livres para a conversão. Os batistas particularmente permitiu-lhes papéis ativos nas congregações. Por meados do século 19, os batistas do norte tendem a se opor a escravidão. Enquanto as tensões aumentaram, em 1844, a Casa Mission Society recusou-se a nomear um senhor de escravos como um missionário que havia sido proposto pela Geórgia. Ele observou que os missionários não poderia tomar servos com eles, e também que o Conselho não queria parecer tolerar escravidão.

O Convenção Batista do Sul foi formada por nove convenções estaduais em 1845, fundado em parte da premissa de que a Bíblia sanções escravidão e de que é aceitável para os cristãos a possuir escravos. Eles acreditavam que a escravidão era uma instituição humana que o ensino Batista poderia fazer menos dura. Não foram só os muitos plantadores entre os seus membros, mas alguns dos pregadores proeminentes da denominação, como o Rev. Basil Manly, Sr., presidente da Universidade do Alabama, eram plantadores e possuíam escravos (que possuía 40.)

Já no final do século 18, batistas negras começaram a se organizar em separado igrejas, associações e agências de missões, especialmente nos estados do norte. Não só os negros configurar algumas congregações independentes no Sul antes da Guerra Civil Americana , libertos rapidamente separados de congregações brancas e associações após a guerra. Eles queriam ser livres de supervisão branco. Em 1866, a Convenção Batista Americana consolidado, formado a partir de batistas negras do Sul e Oeste, ajudou associações sul configurar convenções estaduais negros, o que fizeram em Alabama, Arkansas, Virgínia, North Carolina, e Kentucky. Em 1880 convenções estaduais preto unidos na convenção nacional de Missões Estrangeiras, para apoiar o trabalho missionário batista negro. Duas outras convenções nacionais pretas foram formados, e em 1895 eles se uniram como a Convenção Batista Nacional. Esta organização foi mais tarde por meio de suas próprias mudanças, girando fora de outras convenções. É a maior organização religiosa negra ea segunda maior organização Batista no mundo. Demografia relativamente recentes mostram que os batistas desfrutar de sua presença no sudeste dos Estados Unidos da América, que foram escravistas estados, antes do fim da Guerra Civil maior per capita. A fé batista é a fé predominante dos afro-americanos ..

Em 20 de Junho de 1995, a Convenção Batista do Sul votaram para aprovar uma resolução renunciando a suas raízes racistas e desculpando-se por sua defesa passado de escravidão. Mais de 20.000 Batistas do Sul registados para a reunião em Atlanta. A resolução declarou que mensageiros, como delegados da SBC são chamados, "sem hesitação denunciar o racismo, em todas as suas formas, assim como o pecado deplorável" e "lamento e repudiar os atos históricos do mal como a escravidão de que continuamos a colher uma colheita amarga." Ele ofereceu um pedido de desculpas a todos os afro-americanos para "apologia e / ou perpetuar o racismo individual e sistêmico em nossa vida" e arrependimento por "racismo de que temos sido culpados, consciente ou inconscientemente." Embora os Batistas do Sul têm condenou o racismo no passado, esta foi a primeira vez que a convenção predominantemente branca tinha lidado especificamente com a questão da escravidão.

A declaração pediu perdão "de nossos irmãos e irmãs afro-americanos" e se comprometeram a "erradicar o racismo em todas as suas formas de vida Batista do Sul e do ministério." Atualmente cerca de 500.000 membros da denominação de 15,6 milhões de membros são afro-americanos e outras 300.000 são étnicos minorias. A resolução marcado primeiro reconhecimento formal da denominação que racismo desempenhou um papel em sua fundação.

Crise Landmark

Southern Baptist Landmarkismo procurou repor a separação eclesiástica que caracterizara as antigas igrejas batistas, em uma época em reuniões sindicais inter-confessionais estavam na ordem do dia. James Robinson Graves foi o principal líder desse movimento e um dos batistas mais influentes do século 19. Enquanto alguns Landmarkers eventualmente separada da Convenção Batista do Sul, a influência do movimento sobre a Convenção continuou até o século 20. Sua influência continua a afetar as políticas de convenções. Em 2005, o Internacional Mission Board Batista do Sul proibiu seus missionários para receber imersões alienígenas para o batismo.

Crise modernista

A ascensão de modernismo teológico no último século 19 e 20, também afetou muito batistas. O movimento Landmark, já mencionado, tem sido descrito como uma reação contra o modernismo incipiente entre os Batistas do Sul. Na Inglaterra, Charles Haddon Spurgeon lutou contra vistas modernistas da Escritura na Downgrade Conflito.

O Convenção Batista do Norte, nos Estados Unidos teve um conflito interno sobre o modernismo no início do século 20, em última análise, abraçando-a. Duas novas associações conservadoras foram fundadas como resultado: a Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares em 1933 ea Conservative Baptist Association of America em 1947.

Na sequência de conflitos semelhantes sobre o modernismo, a Convenção Batista do Sul aderiu à teologia conservadora como a sua posição oficial. Dois novos grupos batistas foram formados pelos Batistas do Sul moderados que não concordavam com a direção em que a Convenção Batista do Sul se dirigia: a Aliança de Batistas em 1987 ea Cooperative Baptist Fellowship em 1991. Os membros de ambos os grupos inicialmente identificados como Batista do Sul, mas ao longo do tempo os grupos "tornou-se novas famílias permanentes de Batistas".

Retirado de " http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Baptists&oldid=535727028 "