Conteúdo verificado

Che Guevara

Assuntos Relacionados: Figuras históricas

Fundo para as escolas Wikipédia

Esta seleção é feita para as escolas de caridade infantil leia mais . SOS mães cada um cuidar de uma família de crianças apadrinhadas .

Che Guevara
CheHigh.jpg
Guerrilheiro Heroico
Che Guevara no La Coubre serviço memorial
Tomado por Alberto Korda em 05 de março de 1960.
Nascido Ernesto Guevara
(1928/06/14) 14 de junho de 1928
Rosario, Santa Fe, Argentina
Morreu 09 de outubro de 1967 (1967/10/09) (idade 39) ( execução)
La Higuera, Vallegrande, Bolívia
Lugar de descanso Che Guevara Mausoleum
Santa Clara, Cuba
Organização Movimento 26 de Julho, Partido Unido da Revolução Socialista Cubana, Exército de Libertação Nacional (Bolívia)
Religião Nenhum ( Humanista marxista)
Cônjuge (s) Hilda Gadea (1955-1959)
Aleida March (1959-1967, sua morte)
Crianças Hilda (1956-1995), Aleida (b. 1960), Camilo (b. 1962), Celia (b. 1963), Ernesto (b. 1965)
Pais Ernesto Guevara Lynch
Celia de la Serna
Assinatura

Ernesto "Che" Guevara (pronunciação espanhola: [Tʃe ɣeβaɾa]; 14 de junho de 1928 - 09 de outubro de 1967), mais conhecido como el Che ou simplesmente Che, foi um argentino marxista revolucionário, médico, um autor, um líder da guerrilha, um diplomata, e um teórico militar. Uma figura principal da Revolução cubana, sua cara estilizado transformou-se um onipresente símbolo da contracultura dos rebelião e de insígnias globais dentro da cultura popular.

Como um jovem estudante de medicina, Guevara viajou por toda a América do Sul e foi movido pela pobreza, a fome ea doença que ele testemunhou. Seu desejo crescente para ajudar a derrubar o que ele via como a exploração capitalista da América Latina pelos Estados Unidos levou seu envolvimento em reformas sociais da Guatemala sob o presidente Jacobo Arbenz, cuja eventual Derrubada pela CIA ajudou a mando do United Fruit Company solidificou ideologia política de Guevara. Mais tarde, enquanto vivia na Cidade do México, ele conheceu Raúl e Fidel Castro , se juntou a sua Movimento 26 de Julho, e partiu para Cuba a bordo do iate, Ditador cubano Granma, com a intenção de derrubar apoiado pelos EUA Fulgencio Batista. Guevara logo ganhou destaque entre os insurgentes, foi promovido a segundo-em-comando, e desempenhou um papel fundamental na campanha de guerrilha de dois anos vitoriosos que depôs o regime de Batista.

Seguindo Revolução cubana, Guevara realizou uma série de papéis fundamentais no novo governo. Estes incluíram a revisão dos recursos e pelotões de fuzilamento para os condenados como criminosos de guerra durante o revolucionário tribunais, instituindo reforma agrária como ministro das indústrias, ajudando liderar um sucesso em todo o país campanha de alfabetização, servindo como presidente do banco nacional e diretor de instrução para Forças Armadas de Cuba, e percorrendo o mundo como um diplomata em nome do socialismo cubano. Essas posições também lhe permitiu desempenhar um papel central na formação das forças de milícia que repeliu o Invasão da Baía dos Porcos e trazendo o Soviética com armas nucleares mísseis balísticos para Cuba, que precipitou a 1962 Crise dos Mísseis Cubanos. Além disso, ele foi um escritor prolífico e diarista, compondo um seminal no manual do guerra de guerrilha, juntamente com um best-seller livro de memórias sobre seu jovem viagem de motocicleta continental. Suas experiências e estudar de Marxismo-Leninismo o levou a postular que a Terceiro Mundo subdesenvolvimento e dependência foi um resultado intrínseco da imperialismo, neocolonialismo, e capitalismo monopolista, com o único remédio sendo internacionalismo proletário e revolução mundial. Guevara saiu de Cuba em 1965 para fomentar a revolução no estrangeiro, em primeiro lugar sem sucesso no Congo-Kinshasa e, posteriormente, em Bolívia, onde foi capturado por CIA-assistida forças bolivianas e sumariamente executados.

Guevara continua sendo tanto uma figura histórica reverenciado e injuriado, polarizada no imaginário coletivo em uma infinidade de biografias, memórias, ensaios, documentários, músicas e filmes. Como resultado de seu martírio percebida, invocações poéticos para luta de classes, e desejo de criar a consciência de um "homem novo" impulsionado pela moral ao invés de incentivos materiais, ele evoluiu para um ícone por excelência de vários movimentos de esquerda de inspiração. A revista Time nomeou-o um dos 100 pessoas mais influentes do século 20, quando um Alberto Korda fotografia dele direito Guerrilheiro Heroico (mostrado), foi citado pelo Maryland Institute College of Art como "a fotografia mais famosa do mundo".

Infância

Um adolescente Ernesto (à esquerda) com os seus pais e irmãos, c. 1944. Sentado ao lado dele, da esquerda para a direita: Celia (mãe), Célia (irmã), Roberto, Juan Martín, Ernesto (pai) e Ana María.

Ernesto Guevara nasceu para Celia de la Serna y Llosa e Ernesto Guevara Lynch em 14 de Junho de 1928 Rosario, Argentina, o mais velho dos cinco filhos em um Família argentina de Espanhol, Basque e Ascendência irlandesa. Em vez de sobrenomes de seus pais, seu nome legal (Ernesto Guevara), por vezes, aparecem com de la Serna, ou Lynch que o acompanha. Em referência à natureza "inquieto" de Che, seu pai declarou que "a primeira coisa a notar é que nas veias do meu filho corria o sangue do Rebeldes irlandeses. "Muito cedo na vida Ernestito (como era então chamado) desenvolveu uma" afinidade para os pobres ". Crescendo em uma família com inclinações esquerdistas, Guevara foi apresentado a um amplo espectro de perspectivas políticas, mesmo como um menino. Seu pai, um acérrimo defensor de Republicanos do Guerra Civil Espanhola, muitas vezes hospedado muitos veteranos do conflito no lar Guevara.

Embora sofrendo crises incapacitantes da aguda de asma que foram a afligi-lo ao longo de sua vida, ele se destacou como atleta, que aprecia a natação, futebol, golfe e tiro; ao mesmo tempo, tornando-se um ciclista "incansável". Ele era um ávido união do rugby jogador, e tocou em fly-metade para Clube Universitário de Buenos Aires. Sua rúgbi jogar lhe rendeu o apelido de "Fuser" -a contração de El furibundo (furiosa) e sobrenome de sua mãe, de la Serna-por seu estilo agressivo de jogo.

Interesses intelectuais e literários

22-year-old Guevara em 1951

Guevara aprendeu xadrez de seu pai e começou a participar de torneios locais por 12 anos durante a adolescência e ao longo de sua vida, ele era apaixonado por poesia, especialmente a de Pablo Neruda, John Keats, Antonio Machado, Federico García Lorca, Gabriela Mistral, César Vallejo, e Walt Whitman . Ele também poderia recitar Rudyard Kipling 's " Se "e José Hernández de Martín Fierro da memória. A casa Guevara continha mais de 3.000 livros, o que permitiu Guevara para ser um leitor entusiasta e eclético, com interesses, incluindo Karl Marx , William Faulkner, André Gide, Emilio Salgari e Jules Verne. Além disso, ele gostava de as obras de Jawaharlal Nehru, Franz Kafka , Albert Camus , Vladimir Lenin , e Jean-Paul Sartre ; bem como Anatole France, Friedrich Engels , HG Wells, e Robert Frost.

À medida que envelhecia, ele desenvolveu um interesse em os escritores latino-americanos Horacio Quiroga, Ciro Alegría, Jorge Icaza, Rubén Darío, e Miguel Asturias. Muitas das idéias desses autores catalogou em seus próprios cadernos escritos à mão de conceitos, definições e filosofias de intelectuais influentes. Estes incluíram compondo desenhos analíticos de Buda e Aristóteles , juntamente com o exame Bertrand Russell no amor e patriotismo, Jack London na sociedade, e Nietzsche sobre a idéia da morte. Sigmund Freud idéias 's fascinava como ele citou-o em uma variedade de temas, desde sonhos e libido narcisismo ea complexo de Édipo. Seus assuntos favoritos na escola incluiu filosofia, matemática , engenharia, ciência política , sociologia , história e arqueologia .

Anos mais tarde, a 13 de fevereiro de 1958, desclassificado 'biográfico e personalidade relatório «CIA faria nota da ampla gama de interesses acadêmicos e intelecto de Guevara, descrevendo-o como" muito bem ler ", acrescentando que" Che é bastante intelectual para um Latino. "

Viagem de motocicleta

Em 1948, entrou no Guevara Universidade de Buenos Aires para estudar medicina. Seu "fome de explorar o mundo" levou-o a espalhar suas atividades colegiados com duas longas viagens introspectivas que iria mudar fundamentalmente a maneira como ele via a si mesmo e as condições econômicas contemporâneas na América Latina. A primeira expedição em 1950 foi um 4,500 km (2,800 mi) viagem solo através das províncias rurais de norte da Argentina em uma bicicleta em que ele instalou um pequeno motor. Isto foi seguido em 1951 por um período de nove meses, de 8.000 km (5.000 mi) continental trek motocicleta durante a maior parte da América do Sul. Para este último, ele tirou um ano de estudos para embarcar com seu amigo Alberto Granado, com o objetivo final de passar algumas semanas de voluntariado no San Pablo colônia de leprosos no Peru, nas margens do Rio Amazonas .

Um mapa de 1952 a viagem de Guevara com Alberto Granado. As setas vermelhas correspondem a viagens aéreas.
fotografia preto e branco de dois homens em uma jangada, equipado com uma grande cabana. A margem do rio é visível ao longe
Guevara (à direita) com Alberto Granado (à esquerda) a bordo de seu "Mambo-Tango" jangada de madeira sobre o rio Amazonas em junho de 1952. A balsa era um presente dos leprosos quem tinham tratados.

No Chile, Guevara encontrou-se furioso com as condições de trabalho dos mineiros Anaconda do Mina de cobre de Chuquicamata; e mudou-se pelo seu encontro durante a noite no Deserto de Atacama com uma perseguidos casal comunista que nem sequer possui um cobertor, descrevendo-os como "as vítimas de carne e sangue tremores de exploração capitalista". Além disso, no caminho para Machu Picchu no alto da Cordilheira dos Andes , ele ficou impressionado com a pobreza esmagadora das áreas rurais remotas, onde os camponeses trabalhou pequenas parcelas de terra pertencia a proprietários ricos. Mais tarde em sua viagem, Guevara foi especialmente impressionado com a camaradagem entre aqueles que vivem em uma colônia de leprosos, afirmando que "As maiores formas de solidariedade humana e de lealdade surgir entre essas pessoas solitárias e desesperados." Guevara usado notas tomadas durante esta viagem para escrever um relato intitulado Diários de Motocicleta, que mais tarde se tornou um New York Times best-seller e foi adaptado em um 2004 premiado filme do mesmo nome.

No total, a viagem levou Guevara através da Argentina, Chile, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Panamá e Estados Unidos ( Miami, Florida por 20 dias), antes de voltar para casa para Buenos Aires . Ao final da viagem, ele chegou a ver a América Latina não como uma coleção de nações separadas, mas como uma entidade única que requer uma estratégia de libertação em todo o continente. Sua concepção de um sem fronteiras, unido América hispânica partilha de um património comum Latino foi um tema proeminente que recorreram durante suas atividades revolucionárias posteriores. Ao retornar à Argentina, ele completou seus estudos e recebeu seu diploma de médico em junho de 1953, tornando-o oficialmente "Dr. Ernesto Guevara".

"A viagem de motocicleta o comprimento da América do Sul o despertou para a injustiça do domínio dos EUA no hemisfério, e ao sofrimento colonialismo trouxe para seus habitantes originais. "

- George Galloway, político britânico

Guevara mais tarde afirmou que através de suas viagens da América Latina, ele entrou em "contato próximo com a pobreza, a fome e as doenças ", juntamente com a" incapacidade de tratar uma criança por causa da falta de dinheiro "e" estupefação provocada pela fome contínua e punição " que leva um pai a "aceitar a perda de um filho como um acidente sem importância". Foram essas experiências que Guevara cita como convencê-lo de que, a fim de "ajudar essas pessoas", ele precisava deixar o reino da medicina, e considerar a arena política da luta armada.

Guatemala, ?rbenz e United Fruit

Um mapa das viagens de Che Guevara entre 1953 e 1956, incluindo a sua viagem a bordo do Granma.

Em 7 de julho de 1953, Guevara partiu novamente, desta vez para a Bolívia, Peru, Equador, Panamá, Costa Rica, Nicarágua, Honduras e El Salvador. Em 10 de dezembro de 1953, antes de sair para Guatemala, Guevara enviou uma atualização para sua tia Beatriz de San José, Costa Rica. Na carta Guevara fala de travessia através dos "domínios" da United Fruit Company, que o convenceu "quão terrível", os "polvos capitalistas" eram. Esta indignação afirmado realizada a "cabeça caça tom" que ele adotou, a fim de assustar seus parentes mais conservadores, e termina com Guevara jurando sobre uma imagem do então recentemente falecido Joseph Stalin , para não descansar até que estes "polvos foram vencidos". Mais tarde, naquele mês, Guevara chegou na Guatemala, onde o presidente Jacobo ?rbenz Guzmán liderou um governo democraticamente eleito que, através reforma agrária e outras iniciativas, estava tentando acabar com a sistema de latifúndios. Para conseguir isso, o presidente ?rbenz tinha decretado um grande programa de reforma agrária, onde todas as parcelas não cultivadas de grandes propriedades de terra deveriam ser desapropriadas e redistribuídas aos camponeses sem terra. A maior proprietário de terras, e um dos mais afetados pelas reformas, foi o United Fruit Company, a partir do qual o governo ?rbenz já tinha tomado mais de 225.000 acres (910 km 2) de terras não cultivadas. Satisfeito com a estrada a nação estava indo para baixo, Guevara decidiu se estabelecer na Guatemala, a fim de "aperfeiçoar-se e realizar tudo o que pode ser necessário a fim de tornar-se um verdadeiro revolucionário."

Em Cidade da Guatemala, Guevara procurado Hilda Gadea Acosta, um economista peruano que estava bem relacionado politicamente como um membro do esquerdista Aliança Popular Revolucionária Americana (APRA, Aliança Popular Revolucionária Americana). Ela introduziu Guevara a um número de funcionários de alto nível no Governo Arbenz. Guevara, em seguida, estabeleceu contato com um grupo de exilados cubanos ligados a Fidel Castro através da 26 de julho de 1953 ataque à Quartel Moncada em Santiago de Cuba. Durante este período ele adquiriu seu famoso apelido, devido ao seu uso freqüente do argentino diminutivo interjeição che, um enchimento discurso ocasional vocativo utilizado para chamar a atenção ou de tomar conhecimento de compreensão, de forma semelhante a ambos "bro" ou a frase canadense " eh ".

Tentativas de Guevara para a obtenção de um internato médico foram infrutíferas e sua situação econômica era muitas vezes precária. Em 15 de maio de 1954, um carregamento de Škoda infantaria e artilharia leve armas foi enviado de Checoslováquia comunista para o governo Arbenz e chegou em Puerto Barrios. Como resultado, a CIA US patrocinou um exército que invadiu o país e instalou a ditadura de direita de Carlos Castillo Armas. Guevara estava ansioso para lutar em nome de Arbenz e juntou-se uma armada milícia organizada pela Juventude Comunista para o efeito, mas frustrado com a inação do grupo, ele logo voltou a missão médica. Após o golpe, ele novamente se ofereceu para lutar, mas logo depois, Arbenz se refugiou na Embaixada do México e disse aos seus apoiantes estrangeiros a deixar o país. Repetidos apelos de Guevara para resistir foram anotados por partidários do golpe, e ele foi marcado por assassinato. Depois de Hilda Gadea foi preso, Guevara buscaram proteção no interior do Consulado argentino, onde permaneceu até que recebeu um salvo-conduto passar algumas semanas mais tarde e fez o seu caminho para o México. Ele se casou com Gadea no México em setembro de 1955.

A queda do regime de Arbenz cimentado vista de Guevara dos Estados Unidos como um potência imperialista que iria se opor e tentar destruir qualquer governo que procurou corrigir a desigualdade socioeconômica endêmica para a América Latina e outros países em desenvolvimento. Ao falar sobre o golpe Guevara declarou:

"A última democracia revolucionária latino-americana - que Jacobo Arbenz de - falhou como resultado da agressão premeditada frio realizado pelos EUA Sua cabeça era visível o Secretário de Estado John Foster Dulles, um homem que, através de uma rara coincidência, também era um acionista e advogado para o United Fruit Company. "

A convicção de que o marxismo Guevara alcançada através da luta armada e defendida por uma população armada era a única maneira de corrigir tais condições foi assim reforçada. Gadea escreveu mais tarde: "Foi Guatemala, que finalmente convenceu-o da necessidade de luta armada e por tomar a iniciativa contra o imperialismo. No momento em que ele saiu, ele tinha certeza disso."

Cidade do México e preparação

Guevara com Hilda Gadea em Chichén Itzá em sua viagem de lua de mel.

Guevara chegou na Cidade do México no início de Setembro de 1954, e trabalhou na seção de alergia do Hospital Geral. Além disso, ele deu palestras sobre medicina na Universidade Nacional Autônoma do México e trabalhou como fotógrafo notícia para Agência de Notícias Latina. Sua primeira esposa Hilda observa em seu livro de memórias Minha Vida com Che, que por um tempo, Guevara considerado indo para trabalhar como médico na ?frica e que ele continuou a ser profundamente preocupado com a pobreza em torno dele. Em um exemplo, Hilda descreve a obsessão de Guevara com uma lavadeira idosos a quem ele estava tratando, observando que ele a viu como "representante da classe mais esquecidos e explorados". Hilda mais tarde encontrei um poema que Che havia dedicado à mulher velha, contendo "uma promessa de lutar por um mundo melhor, de uma vida melhor para todos os pobres e explorados."

Durante esse tempo, ele renovou sua amizade com Ñico López e os outros exilados cubanos que ele havia conhecido na Guatemala. Em junho de 1955, López apresentou-o a Raúl Castro, que, posteriormente, apresentou-o a seu irmão mais velho, Fidel Castro , líder revolucionário que tinha formado o Movimento 26 de Julho e agora estava conspirando para derrubar a ditadura de Fulgencio Batista. Durante uma longa conversa com Fidel, na noite de sua primeira reunião, Guevara concluiu que a causa do cubano era o único para o qual ele tinha sido pesquisando e antes do amanhecer ele tinha assinado como um membro da Movimento 26 de Julho. Apesar de suas "personalidades contrastantes", a partir deste ponto Che e Fidel começou a promover o biógrafo dupla Simon Reid-Henry considera uma "amizade revolucionária que iria mudar o mundo", como resultado de seu compromisso para coincidindo anti-imperialismo.

Por este ponto na vida de Guevara, ele considerou que controlado pelos EUA conglomerados instalado e apoiado regimes repressivos em todo o mundo. Nesse sentido, ele considerou uma Batista " Fantoche dos EUA cujas cordas precisava de corte ". Embora ele planejava ser o grupo de médico de combate, Guevara participou do treinamento militar com os membros do Movimento. A parte fundamental da formação envolvia aprender bater e correr táticas de guerra de guerrilha. Guevara e os demais submetidos árduas marchas de 15 horas sobre montanhas, atravessando rios, e através da densa vegetação rasteira, aprendendo e aperfeiçoando os procedimentos de retirada emboscada e rápido. Desde o início Guevara era "Estudante prêmio" de Alberto Bayo entre aqueles em treinamento, marcando o mais alto em todas as provas dadas. No final do curso, ele foi chamado de "o melhor de todos eles guerrilha" por seu instrutor, o general Bayo.

Revolução cubana

Invasão, guerra e Santa Clara

Guevara em cima de uma mula em Província de Las Villas, Cuba, novembro 1958

O primeiro passo no plano revolucionário de Fidel Castro era um assalto em Cuba do México através do Granma, um velho, com vazamento cruzador de cabine. Eles partiram para Cuba em 25 de Novembro de 1956. Atacado por militares de Batista logo após o desembarque, muitos dos 82 homens foram mortos no ataque ou executados em cima de captura; apenas 22 encontraram um ao outro depois. Guevara escreveu que foi durante este confronto sangrento que Cristo deu a seus suprimentos médicos e pegou uma caixa de munição abandonada por um companheiro em fuga, finalizando sua transição simbólica de médico para combatentes.

Apenas um pequeno grupo de revolucionários sobreviveu para re-grupo como uma força de combate suja no fundo do Montanhas de Sierra Maestra, onde receberam o apoio do rede de guerrilha urbana Frank País, o Movimento 26 de Julho, e camponeses locais. Com o grupo de retirada para a Serra, o mundo se perguntava se Castro estava vivo ou morto até o início de 1957, quando a entrevista Herbert Matthews apareceu em The New York Times. O artigo apresentou uma imagem duradoura, quase mítico para Castro ea guerrilha. Guevara não estava presente para a entrevista, mas nos próximos meses ele começou a perceber a importância dos meios de comunicação social na sua luta. Enquanto isso, como suprimentos e moral diminuído, e com uma alergia a picadas de mosquito que resultou em agonia noz-sized cistos em seu corpo, Guevara considerou estes "os dias mais dolorosos da guerra".

Durante o tempo de Guevara viver escondido entre os pobres agricultores de subsistência das montanhas de Sierra Maestra, ele descobriu que não havia nenhuma escola, nenhuma eletricidade, acesso mínimo aos cuidados de saúde, e mais de 40 por cento dos adultos eram analfabetos . Enquanto a guerra continuava, Guevara se tornou parte integrante do exército rebelde e "convencido Castro com competência, diplomacia e paciência". Guevara montar fábricas para fazer granadas, construído fornos para cozer pão, ensinou novos recrutas sobre táticas e escolas organizadas para ensinar camponeses analfabetos a ler e escrever. Além disso, Guevara estabeleceu postos de saúde, oficinas para ensinar táticas militares, e um jornal para divulgar informações. O homem que três anos depois seria apelidado por Time Magazine: "O cérebro de Castro", neste ponto foi promovido por Fidel Castro para Comandante (comandante) de uma segunda coluna exército.

Como segundo em comando, Guevara era um disciplinador severo que às vezes tiro desertores. Desertores foram punidos como traidores, e Guevara era conhecido para enviar esquadrões de acompanhar aqueles que pretendem ir AWOL. Como resultado, Guevara se tornou temia por sua brutalidade e crueldade. Durante a campanha de guerrilha, Guevara também foi responsável pela às vezes execução sumária de um número de homens acusados de serem informantes, desertores ou Spies. Em seus diários, Guevara descreveu o primeiro tal execução de Eutimio Guerra, um guia de exército camponês que admitiu traição quando foi descoberto que ele aceitou a promessa de dez mil pesos para dar repetidamente afastado a posição do rebelde para o ataque pela força aérea cubana. Essas informações também permitiu que o exército de Batista para queimar as casas dos camponeses amigável-rebeldes. Mediante solicitação da Guerra que "acabar com sua vida rapidamente", Che deu um passo adiante e atirou na cabeça dele, escrevendo "A situação era desconfortável para as pessoas e para Eutimio assim que eu terminei o problema dando-lhe um tiro com uma pistola 0,32 na lado direito do cérebro, com orifício de saída no temporal [lobo] para a direita. " Seus notações científicas e descrição matéria-de-fato, sugeriu a um biógrafo um "descolamento notável à violência" por esse ponto na guerra. Mais tarde, Guevara publicou um relato literário do incidente intitulado "Death of a Traitor", onde ele transfigurado traição e pré-execução do pedido de Eutimio que a revolução "cuidar de seus filhos", em um "revolucionário parábola sobre a redenção pelo sacrifício ".

Fumando uma tubulação em sua base de guerrilha na Montanhas de Escambray

Apesar de ter mantido uma disposição exigente e severo, Guevara também viram o seu papel de comandante como um de um professor, entreter seus homens durante os intervalos entre compromissos com as leituras dos gostos de Robert Louis Stevenson, Cervantes e espanhol poetas líricos. Juntamente com este papel, e inspirado por O princípio de José Martí de "alfabetização sem fronteiras", Guevara permitiu ainda garantir que seus combatentes rebeldes fizeram o tempo diário para ensinar os camponeses iletrados com quem viveram e lutaram a ler e escrever, em que Guevara denominado a "batalha contra a ignorância". Tomas Alba, que lutou sob o comando de Guevara, indicou mais tarde que "Che era amado, apesar de ser severo e exigente. Gostaríamos de (ter) dada a nossa vida por ele."

Seu comandante Fidel Castro descreveu Guevara como inteligente, ousado, e um líder exemplar que "tinha grande autoridade moral sobre suas tropas". Castro observou ainda que Guevara tomou demasiados riscos, mesmo tendo uma "tendência para a imprudência". Tenente adolescente de Guevara, Joel Iglesias, relata tais ações em seu diário, notando que o comportamento de Guevara em combate ainda trouxe admiração do inimigo. Em uma ocasião Iglesias narra o tempo que ele tinha sido ferido em batalha, afirmando que "Che correu para mim, desafiando as balas, me jogou por cima do ombro, e me tirou de lá. Os guardas não se atreveu fogo para ele .. . mais tarde eles me disseram que ele fez uma grande impressão sobre eles quando o vi correr para fora com sua pistola preso no cinto, ignorando o perigo, eles não se atreveu a disparar ".

Guevara foi instrumental na criação do estação de rádio clandestina Rádio Rebelde (Rebel Radio) em fevereiro de 1958, que transmitir notícias ao povo cubano com declarações do Movimento 26 de Julho, e desde radiotelefone comunicação entre o crescente número de colunas rebeldes em toda a ilha. Guevara aparentemente tinha sido inspirado para criar a estação observando a eficácia das CIA forneceu rádio na Guatemala em derrubar o governo de Jacobo Arbenz Guzmán.

Para conter a rebelião, as tropas do governo cubano começou a executar prisioneiros rebeldes no local, e arredondado regularmente, torturado e baleado civis como uma tática de intimidação. Em março de 1958, as atrocidades continuadas realizadas pelas forças de Batista levou os Estados Unidos a anunciar que iria parar de vender armas ao governo cubano. Em seguida, no final de julho de 1958, Guevara teve um papel fundamental na Batalha de Las Mercedes usando sua coluna para deter uma força de 1.500 homens chamados por Batista Geral Cantillo em um plano para cercar e destruir as forças de Castro. Anos mais tarde, Major Larry Bockman do United States Marine Corps iria analisar e descrever apreciação tática de Che desta batalha como "brilhante". Durante este tempo Guevara tornou-se também um "expert" no líder táticas hit-and-run contra o exército de Batista, e depois desaparecendo de volta para o campo antes que o exército poderia contra-atacar.

Após Batalha de Santa Clara, 01 de janeiro de 1959

Enquanto a guerra estendido, Guevara liderou uma nova coluna de combatentes despachado para o oeste para o empurrão final em direção Havana. Viajar de pé, Guevara embarcou em uma difícil sete semanas marcha única viajando à noite para evitar emboscada, e muitas vezes não comer por vários dias. Nos últimos dias de Dezembro de 1958, a tarefa de Guevara era cortar a ilha em metade, tomando Província de Las Villas. Em questão de dias, ele executou uma série de "brilhantes vitórias táticas" que lhe deu o controle de todos, mas a província de cidade capital de Santa Clara. Guevara, em seguida, dirigiu seu "esquadrão suicida" no ataque a Santa Clara, que se tornou a vitória militar decisiva final da revolução. Nas seis semanas que antecederam a Batalha de Santa Clara houve momentos em que seus homens estavam completamente cercados, desarmados, e invadida. Eventual vitória de Che, apesar de estar em desvantagem de 10: 1, permanece na opinião de alguns observadores uma "notável tour de force na guerra moderna".

Rádio Rebelde transmitir os primeiros relatos de que a coluna de Guevara tinham tomada de Santa Clara, na véspera de Ano Novo de 1958. Isto contradizia relatórios da mídia nacional fortemente controlada, que teve em um estágio relatou a morte de Guevara durante os combates. No 03:00 em 1 de Janeiro de 1959, ao saber que seus generais estavam a negociar uma paz em separado com Guevara, Fulgencio Batista embarcou em um avião em Havana e fugiu para a República Dominicana, junto com uma "fortuna de mais de 300 milhões dólares através de enxerto e recompensas" acumulou. No dia seguinte, em 2 de janeiro, entrou Guevara Havana para assumir o controle final do capital. Fidel Castro tomou mais 6 dias para chegar, quando ele parou para conseguir apoio em várias grandes cidades em seu caminho para rolar vitoriosamente em Havana em 8 de janeiro de 1959. O número final de mortos dos dois anos de luta revolucionária foi de 2.000 pessoas.

Em meados de janeiro de 1959, Guevara foi viver em uma casa de verão em Tarara para se recuperar de um ataque de asma violento. Lá, ele começou o Grupo Tarara, um grupo que debateu e formaram os novos planos para o desenvolvimento social, político e econômico de Cuba. Além disso, Che começou a escrever seu livro Guerrilha enquanto descansando em Tarara. Em fevereiro, o governo revolucionário Guevara proclamou "um cidadão cubano de nascimento", em reconhecimento do seu papel no triunfo. Quando Hilda Gadea chegou a Cuba no final de janeiro, Guevara disse a ela que ele estava envolvido com outra mulher, e os dois concordaram em um divórcio, que foi finalizado em 22 de maio Em 2 de junho de 1959, ele se casou com Aleida March, membro de origem cubana do Movimento 26 de Julho, com quem tinha vivido desde o final de 1958. Guevara voltou para a vila costeira de Tarara em junho para sua lua de mel com Aleida. No total, Guevara acabaria por ter cinco filhos de seus dois casamentos.

La Cabaña, reforma agrária, e alfabetização

(Direita para a esquerda) líder rebelde Camilo Cienfuegos, o presidente cubano Manuel Urrutia, e Guevara (janeiro de 1959)

A primeira grande crise política surgiu sobre o que fazer com os funcionários Batista capturados que tinham sido responsáveis pelo pior da repressão. Durante a rebelião contra a ditadura de Batista, o comando geral do exército rebelde, liderado por Fidel Castro, introduzidos nos territórios libertados da lei penal do século 19 comumente conhecida como a Ley de la Sierra (Lei da Serra). Esta lei incluía a pena de morte para crimes extremamente graves, se perpetradas pelo regime de Batista ou por partidários da revolução. Em 1959, o governo revolucionário estendeu a sua aplicação ao conjunto da república e para aqueles que considerava criminosos de guerra, capturados e julgados após a revolução. De acordo com o Ministério da Justiça cubana, esta última extensão foi suportado pela maioria da população, e seguido o mesmo procedimento como aqueles na Julgamentos de Nuremberg detidos pela Aliados após a Segunda Guerra Mundial.

Para implementar uma parcela deste plano, chamado Guevara Castro comandante da La Cabaña Fortaleza prisão, para um mandato de cinco meses (02 de janeiro através de 12 de junho de 1959). Guevara foi acusado de expurgar o exército de Batista e consolidar a vitória por exigente "justiça revolucionária" contra aqueles considerados traidores, chivatos (informantes) ou criminosos de guerra. Servindo no cargo de comandante de La Cabaña, Guevara revisou as apelações dos condenados durante o processo de tribunal revolucionário. Os tribunais foram conduzidas por 2-3 oficiais do exército, um assessor e um cidadão local respeitada. Em algumas ocasiões a pena emitido pelo tribunal era a morte por pelotão de fuzilamento. Raúl Gómez Treto, assessor jurídico sênior do Ministério da Justiça cubana, argumentou que a pena de morte foi justificada, a fim de evitar que os cidadãos se de fazer justiça com as próprias mãos, como aconteceu há vinte anos no anti- Machado rebelião. Biógrafos, note que em janeiro de 1959, o público cubano estava em um "estado de espírito linchamento" e aponte para um levantamento no momento mostrando 93% de aprovação pública para o processo de tribunal. Além disso, a 22 de janeiro de 1959 Universal Newsreel transmitido em os EUA e narrado por Ed Herlihy, contou com Fidel Castro pedindo uma estimativa de um milhão de cubanos se eles aprovavam as execuções, e foi recebido com um rugido "¡Si!" (Sim). Com milhares de cubanos estimada para ter sido morto nas mãos de colaboradores de Batista, e muitos dos criminosos de guerra condenados à morte acusados de tortura e atrocidades físicas, o governo recém-habilitada levaram a cabo execuções, pontuado por gritos da multidão de "Paredón ¡!" (na parede), que biógrafo Jorge Castañeda descreve como "sem respeito pelos devido processo legal ".

"Eu ainda tenho que encontrar uma única fonte credível apontando para um caso em que Che executou" um inocente 'Essas pessoas executadas por Guevara ou sob suas ordens foram condenados pelos crimes habituais puníveis com a morte em tempos de guerra ou em suas conseqüências:. Deserção , treason or crimes such as rape, torture or murder. I should add that my research spanned five years, and included anti-Castro Cubans among the Cuban-American exile community in Miami and elsewhere."

- Jon Lee Anderson, autor deChe Guevara: Uma Vida Revolucionária,fórum PBS
Guevara em seus uniformes militares marca verde-oliva eboina

Embora haja variação contas, estima-se que várias centenas de pessoas foram executadas em todo o país durante este tempo, com jurisdicional total de morte de Guevara em La Cabaña variando 55-105 (ver referência). Pontos de vista conflitantes existe da atitude de Guevara para as execuções em La Cabaña. Alguns biógrafos de oposição exilados relatam que ele saboreou os rituais do pelotão de fuzilamento, e organizou-os com entusiasmo, enquanto outros relatam que Guevara perdoada uma vez que muitos prisioneiros que podia. O que é reconhecido por todos os lados é que Guevara tinha se tornado um homem "endurecido", que não teve dúvidas sobre a pena de morte ou resumo e ensaios colectivos. Se a única maneira de "defender a revolução era para executar seus inimigos, ele não iria ser influenciado por argumentos humanitários ou políticos". Isto é ainda confirmado por 05 de fevereiro de 1959, uma carta a Luis Paredes López em Buenos Aires , onde Guevara afirma inequivocamente "As execuções por pelotões de fuzilamento são não só uma necessidade para o povo de Cuba, mas também uma imposição do povo."

Junto com a garantia de "justiça revolucionária", a outra plataforma cedo chave de Guevara da era agrária, que estabelece a reforma agrária. Quase imediatamente após o sucesso da revolução em 27 de janeiro de 1959, Guevara fez um de seus discursos mais significativos onde ele falou sobre "as idéias sociais do exército rebelde". Durante este discurso, ele declarou que a principal preocupação do novo governo cubano era "a justiça social que a redistribuição de terras traz ". Poucos meses depois, em 17 de Maio de 1959, a Lei de Reforma Agrária elaborado por Guevara entrou em vigor, limitando o tamanho de todas as fazendas de 1.000 acres (4,0 km 2 ). Quaisquer participações mais esses limites foram expropriados pelo governo e ou redistribuído para camponeses em 67 acres (270.000 m 2 ) parcelas ou detidos como comunas do funcionamento do estado. A lei também estipula que as plantações de açúcar não poderia ser detida por estrangeiros.

Guevara naFaixa de Gazadurante 1959

Em 12 de Junho de 1959, Castro enviou Guevara fora em uma excursão de 14 de três meses na maior parte Países do Pacto de Bandung (Marrocos, Sudão, Egito, Síria, Paquistão, Índia, Sri Lanka, Burma, Tailândia, Indonésia, Japão, Iugoslávia , Grécia) e as cidades de Cingapura e Hong Kong. Enviando Guevara longe de Havana permitidos Castro parecer estar se distanciando Guevara e seus marxistas simpatias, que perturbaram tanto os Estados Unidos e alguns dos membros do Movimento 26 de julho de Castro. Guevara passado 12 dias no Japão (15-27 julho), participando de negociações com vista a alargar as relações comerciais de Cuba com essa nação. Durante a visita, ele se recusou a visitar e colocar uma coroa de flores do Japão Túmulo do Soldado Desconhecido comemorações dos soldados perdidos durante a II Guerra Mundial , observando que os "imperialistas" japoneses tinha "matado milhões de asiáticos". Em seu lugar, Guevara declarou que, ao invés, visitar Hiroshima, onde os militares americanos haviam detonado uma bomba atómica 14 anos antes. Apesar de sua denúncia do Japão imperial, Guevara também considerou o presidente Truman um "palhaço macabro" para os bombardeios, e depois de visitar Hiroshima e sua Peace Memorial Museum, ele enviou de volta um cartão postal para Cuba afirmando que "A fim de combater melhor para a paz, um must olhar para Hiroshima ".

Após o retorno de Guevara em Cuba, em setembro de 1959, era evidente que Castro tinha agora mais poder político. O governo havia começado ocupações de terras incluídas na lei de reforma agrária, mas foi hedge em propostas de compensação aos proprietários de terras, em vez oferecendo juros baixos "bonds", um passo que colocou os EUA em alerta. Neste ponto, os criadores de gado afectados ricos de Camagüey montou uma campanha contra as redistribuições de terras, e alistou-se o líder rebelde recém descontentes Huber Matos, que junto com a ala anti-comunista do Movimento 26 de Julho, se juntou a eles em denunciar a "invasão comunista ". Durante este tempo ditador dominicano Rafael Trujillo estava oferecendo assistência à "Legião Anti-Comunista do Caribe", que estava treinando na República Dominicana. Esta força multi-nacional, composta principalmente de espanhóis e cubanos, mas também de croatas, alemães, mercenários gregos, e de direita, estava conspirando para derrubar o novo regime de Fidel Castro.

Guevara em 1960, andando pelas ruas de Havana com sua esposaAleida March (à direita)

Tais ameaças foram intensificados quando, em 4 de Março de 1960, duas explosões destruiu o cargueiro francês La Coubre , que transportava munições belgas do porto de Antuérpia , e foi ancorado no porto de Havana. As explosões mataram pelo menos 76 pessoas e feriu várias centenas, com Guevara pessoalmente prestar primeiros socorros a algumas das vítimas. O líder cubano Fidel Castro imediatamente acusou a CIA de "um ato de terrorismo" e realizou um funeral de Estado no dia seguinte para as vítimas da explosão. Foi no memorial serviço que Alberto Korda tirou a famosa fotografia de Guevara, agora conhecida como Guerrilheiro Heroico .

Estas ameaças percebidas solicitado Castro para eliminar ainda mais " contra-revolucionários ", e para utilizar Guevara para aumentar drasticamente a velocidade da reforma agrária. Para implementar este plano, uma nova agência governamental, o Instituto Nacional de Reforma Agrária (INRA), foi criada para administrar a nova lei de Reforma Agrária. INRA tornou-se rapidamente o órgão mais importante do país, com Guevara servindo como sua cabeça na sua qualidade de ministro de indústrias. Sob o comando de Guevara, INRA estabeleceu a sua própria milícia 100.000 pessoas, usado pela primeira vez para ajudar o governo a assumir o controle da terra expropriada e supervisionar sua distribuição, e mais tarde a criação de cooperativas agrícolas. A terra confiscada incluídos 480 mil acres (1.900 quilômetros 2 ) de propriedade de empresas norte-americanas. Meses mais tarde, como retaliação, presidente dos EUA, Dwight D. Eisenhower reduziu drasticamente as importações norte-americanas de açúcar cubano (principal cultura de rendimento de Cuba), levando assim Guevara em 10 de Julho de 1960, para tratar mais de 100.000 trabalhadores em frente ao palácio presidencial em uma reunião chamada para denunciar US "agressão econômica". Time Magazine repórteres que se reuniram com Guevara em torno deste tempo, o descreveu como "guid (ing) Cuba com cálculo gelado, grande competência, grande inteligência e um senso de humor perspicaz."

Junto com a reforma agrária, uma das principais áreas que Guevara salientou necessárias melhorias nacional foi na área de alfabetização . Antes de 1959, a taxa de alfabetização oficial para Cuba foi entre 60-76%, com acesso à educação nas zonas rurais e uma falta de instrutores os principais fatores determinantes. Como resultado, o governo cubano a mando de Guevara apelidado de 1961, o "ano do ensino", e mobilizou mais de 100 mil voluntários em "brigadas de alfabetização", que foram então enviados para a zona rural para a construção de escolas, formação de novos educadores, e ensinar a predominantemente analfabetos guajiros (camponeses) a ler e escrever. Ao contrário de muitas das iniciativas econômicas posteriores de Guevara, esta campanha foi "um sucesso notável". Pela conclusão da Campanha de Alfabetização cubano, 707.212 adultos tinham sido ensinados a ler e escrever, elevando a taxa de alfabetização nacional para 96%.

"Guevara era como um pai para mim ... ele me educou. Ele ensinou-me a pensar. Ele me ensinou a coisa mais linda que é ser humano."

- Urbano(Aka Leonardo Tamayo),
lutaram com Guevara em Cuba e na Bolívia

Acompanhando alfabetização, Guevara também estava preocupado com o que estabelece o acesso universal ao ensino superior. Para conseguir isso, o novo regime introduzido de ação afirmativa para as universidades. Ao anunciar este novo compromisso, Guevara disse a faculdade e os estudantes se reuniram na Universidade de Las Villas, que os dias em que a educação era "um privilégio da classe média branca" tinha terminado. "A Universidade", disse ele, "deve pintar-se preto, mulato, trabalhador, e camponesa." Se isso não aconteceu, ele advertiu, o povo iria quebrar as suas portas "e pintar a Universidade as cores que eles gostam."

O "Novo Homem", Baía dos Porcos e crise dos mísseis

"O homem atinge verdadeiramente sua condição humana completa quando ele produz sem ser obrigado pela necessidade física de vender a si mesmo como uma commodity."
- Che Guevara,Homem e socialismo em Cuba

Nesta fase, Guevara adquiriu a posição adicional de ministro das Finanças, bem como o presidente do Banco Nacional. Estas nomeações, combinado com o seu actual cargo como ministro de Indústrias, colocado Guevara no auge de seu poder, como o "czar virtual" da economia cubana. Como consequência da sua posição à frente do banco central, que era agora o dever de Guevara para assinar a moeda cubana, que por costume que têm a sua assinatura. Em vez de usar seu nome completo, ele assinou as contas unicamente " Che ". Foi através desse ato simbólico, que horrorizou muitos no setor financeiro cubana, Guevara sinalizou que sua aversão para o dinheiro e as distinções de classe que ela trouxe sobre. De Guevara amigo de longa data Ricardo Rojo mais tarde afirmou que "o dia em que assinou Che sobre as contas, (ele) literalmente bateu os adereços de sob a crença generalizada de que o dinheiro era sagrado. "

Encontro com franceses existencialistas filósofos Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir março de 1960. Sartre escreveu mais tarde que Che era " o ser humano mais completo do nosso tempo ". Além do espanhol, Guevara era fluente em francês.

Num esforço para eliminar desigualdades sociais, de Guevara e Cuba nova liderança mudou-se para transformar rapidamente a base política e econômica do país através de fábricas de nacionalização, bancos e empresas, ao tentar garantir habitação a preços acessíveis, saúde e emprego para todos os cubanos. No entanto, para que uma verdadeira transformação de consciência para se enraizar, Guevara acreditava que tais mudanças estruturais teria de ser acompanhada por uma conversão das pessoas em relações sociais e valores. Acreditando que as atitudes em Cuba no sentido de raça, mulheres, individualismo, eo trabalho manual foram produto de passado desatualizado da ilha, Guevara pediu a todos os indivíduos para ver uns aos outros como iguais e assumir os valores do que ele chamou de "el Hombre Nuevo" ( o Homem Novo). Guevara esperava que seu "homem novo" acabaria por ser "altruísta e cooperativo, obediente e trabalhadora, cegas ao gênero, incorruptível, não-materialista e anti-imperialista. " Para conseguir isso, Guevara enfatizou os princípios do marxismo-leninismo, e queria usar o Estado para enfatizar qualidades como igualitarismo e auto-sacrifício, ao mesmo tempo como "unidade, igualdade e liberdade" tornaram-se os novos máximas. Objectivo económico primeiro desejado de Guevara do novo homem, que coincidiu com sua aversão por condensação riqueza e desigualdade econômica , era ver a eliminação de toda a nação de incentivos materiais em favor de morais. Ele negativamente viram o capitalismo como uma "competição entre lobos" onde "só se pode ganhar à custa dos outros" e, portanto, desejava ver a criação de um "novo homem e mulher". Guevara sublinhou continuamente que uma economia socialista em si não é "vale o esforço, sacrifício e riscos de guerra e destruição" se ele acaba incentivando "a ganância e ambição indivíduo à custa de espírito coletivo ". A meta primária de Guevara do tornou-se assim para a reforma "consciência individual" e os valores para produzir melhores trabalhadores e dos cidadãos. Em sua opinião, "homem novo" de Cuba seria capaz de superar o " egoísmo "e" egoísmo "que ele detestava e discernido era exclusivamente característica dos indivíduos nas sociedades capitalistas. Para promover este conceito de um "homem novo", o governo também criou uma série de instituições e mecanismos dominada-partidárias em todos os níveis da sociedade, o que inclui organizações como grupos de trabalho, ligas juvenis, grupos de mulheres, centros comunitários e casas de cultura para promover patrocinado pelo estado da arte, música e literatura. Em congruência com isso, tudo educacional, meios de comunicação e instalações comunitárias com base artísticas foram nacionalizados e utilizado para incutir oficial do governo ideologia socialista. Ao descrever este novo método de "desenvolvimento", Guevara declarou:

"Há uma grande diferença entre o desenvolvimento da livre iniciativa e do desenvolvimento revolucionário. Em um deles, a riqueza está concentrada nas mãos de uns poucos afortunados, os amigos do governo, os melhores negociantes de rodas. No outro, a riqueza é o patrimônio do povo ".

A parte mais integrante da promoção de um sentimento de "unidade entre o indivíduo ea massa", Guevara acreditava, era o trabalho voluntário e vontade. Para exibir isso, Guevara ", liderado por exemplo", trabalhando "sem parar em seu trabalho ministério, na construção civil, e até mesmo cortando cana" em seu dia de folga. Ele era conhecido por trabalhar 36 horas em um trecho, convocar reuniões depois da meia-noite, e comer a correr. Tal comportamento foi emblemático do novo programa de incentivos morais, em que cada trabalhador foi agora necessários para atender a uma quota e produzir uma certa quantidade de bens de Guevara. Como um substituto para os aumentos salariais suprimidos por Guevara, os trabalhadores que excederam a sua quota agora só recebeu um certificado de louvor, enquanto os trabalhadores que não conseguiram satisfazer as suas quotas foram dadas um corte de pagamento. Guevara assumidamente defendeu sua filosofia pessoal no sentido de motivação e trabalho, afirmando:

Guevara pesca ao largo da costa de Havana, em 15 de maio de 1960. Junto com Castro, Guevara competiu com expatriado autorErnest Hemingwayno que era conhecido como o "Hemingway Concurso de Pesca".
"Isto não é uma questão de quantas libras de carne um pode ser capaz de comer, ou quantas vezes um ano alguém pode ir para a praia, ou quantos ornamentos do exterior um pode ser capaz de comprar com seu salário atual. O que realmente importa é que o indivíduo se sente mais completa, com muito mais riqueza interna e muito mais responsabilidade ".

Em face de uma perda de conexões comerciais com os países ocidentais, Guevara tentou substituí-los com as relações comerciais mais estreitas com os estados do Bloco Oriental, visitando um número de estados marxistas e assinar acordos comerciais com eles. No final de 1960, ele visitou a Tchecoslováquia , a União Soviética , Coreia do Norte, Hungria e Alemanha Oriental e assinado, por exemplo, um acordo de comércio em Berlim Oriental, em 17 de dezembro de 1960. Esses acordos ajudou a economia de Cuba até um certo grau, mas também tinha a desvantagem de uma dependência econômica crescente no Bloco de Leste. Foi também na Alemanha Oriental, onde Guevara conheceu Tamara Bunke (mais tarde conhecido como "Tania"), que foi designado como seu intérprete, e que seria anos mais tarde se juntar a ele e ser morto com ele na Bolívia.

Quaisquer que sejam os méritos ou deméritos de princípios econômicos de Guevara, seus programas foram infrutíferas. Programa de incentivos "morais" para os trabalhadores de Guevara causou uma rápida queda na produtividade e um rápido aumento do absentismo. Décadas mais tarde, o diretor da Rádio Martí Ernesto Betancourt, um aliado cedo virou Castro-crítico e ex-vice de Che, Guevara acusaria de ser "ignorantes dos princípios económicos mais elementares." Em referência às falhas coletivas da visão de Guevara, repórter IF Stone que entrevistou Guevara duas vezes durante este tempo, observou que ele era " Galahad não Robespierre ", enquanto opinando que" em um sentido ele era, como algum santo cedo, refugiando-se na deserto. Apenas não poderia a pureza da fé ser salvaguardados do revisionismo não regenerado da natureza humana ".

Em 17 de abril de 1961, 1.400 exilados cubanos treinados nos EUA invadiram Cuba durante a invasão da Baía dos Porcos. Guevara não desempenham um papel fundamental na luta, como um dia antes da invasão um navio de guerra transportando fuzileiros navais falsificou uma invasão ao largo da costa ocidental de Pinar del Río e as forças comandadas por Guevara para essa região atraiu. No entanto, os historiadores dar-lhe uma parte do crédito pela vitória como ele foi diretor de instrução para as forças armadas de Cuba no momento. Autor Tad Szulc em sua explicação da vitória cubana, atribui crédito parcial Guevara, afirmando: "Os revolucionários ganhou porque Che Guevara , como o chefe do Departamento de Instrução das Forças Armadas Revolucionárias encarregados do programa de treinamento da milícia, tinha feito tão bem na preparação de 200 mil homens e mulheres para a guerra. " Foi também durante essa implantação que ele sofreu uma pastagem bala no rosto quando a pistola caiu do coldre e acidentalmente descarregada.

Guevara (esquerda) eFidel Castro, fotografado por Alberto Korda em 1961

Em agosto de 1961, durante uma conferência econômica da Organização dos Estados Americanos em Punta del Este, Uruguai, Che Guevara enviou uma nota de "gratidão" ao presidente dos EUA John F. Kennedy através de Richard N. Goodwin, um jovem secretário da Casa Branca . Ele dizia "Obrigado por Playa Girón (Baía dos Porcos). Antes da invasão, a revolução estava trêmula. Agora é mais forte do que nunca." Em resposta ao secretário do Tesouro norte-americano Douglas Dillon apresentar a Aliança para o Progresso, para ratificação pela assembleia, Guevara antagonicamente atacou a pretensão de ser uma "democracia" dos Estados Unidos, afirmando que tal sistema não era compatível com "financeiro oligarquia , a discriminação contra os negros, e ultrajes pelo Ku Klux Klan ". Guevara continuou, falando contra a "perseguição" que, em sua opinião, "levou cientistas como Oppenheimer de seus cargos, privou o mundo por anos de a voz maravilhosa de Paul Robeson, e enviou os Rosenberg para a morte contra os protestos de um mundo chocado . " Guevara terminou seu discurso, insinuando que os Estados Unidos não estava interessado em reformas reais, sardonicamente brincando que "especialistas norte-americanos nunca falam sobre reforma agrária;. Preferem um assunto seguro, como um melhor abastecimento de água Em resumo, elas parecem preparar a revolução de os banheiros. "

Guevara, que era praticamente o arquiteto da relação soviético-cubana, em seguida, desempenhou um papel fundamental em trazer a Cuba os soviéticos armados nucleares de mísseis balísticos que precipitaram a crise dos mísseis de Cuba em outubro de 1962 e trouxe o mundo à beira da guerra nuclear. Poucas semanas após a crise, durante uma entrevista com o jornal britânico comunista do Daily Worker , Guevara foi ainda fumegante sobre a traição Soviética percebido e disse correspondente Sam Russell que, se os mísseis estavam sob controle de Cuba, teriam ateado fogo-los fora. Enquanto dissertando sobre o incidente depois, Guevara reiterou que a causa da libertação socialista contra a "agressão imperialista" global acabaria por ter valido a pena a possibilidade de "milhões de vítimas da guerra atômica". A crise dos mísseis ainda mais convencido de que Guevara do mundo duas superpotências (Estados Unidos ea União Soviética ) usado Cuba como um peão em suas próprias estratégias globais. Depois disso, ele denunciou os soviéticos quase tão freqüentemente quanto ele denunciou os americanos.

Diplomacia internacional

Um mapa do mundo exibindo esses países viveu ou visitado por Che Guevara em vermelho. As três nações onde se envolveu em revolução armada são significados em verde.

Até dezembro de 1964, o Che Guevara tinha emergido como um "estadista revolucionário de estatura mundial" e, assim, viajou para Nova York como chefe da delegação cubana para falar nas Nações Unidas. Durante o seu discurso apaixonado, ele criticou a incapacidade das Nações Unidas para enfrentar a "brutal política de apartheid "na África do Sul, pedindo" Posso as Nações Unidas não fazem nada para impedir isso? " Guevara, em seguida, denunciou a política dos Estados Unidos para a sua população negra, afirmando:

"Aqueles que matam seus próprios filhos e discriminar diária contra eles por causa da cor da sua pele; aqueles que deixam os assassinos de negros permanecem livres, protegendo-os, e, além disso, punir a população negra porque exigem os seus direitos legítimos como homens livres-how aqueles que podem fazer isso se consideram guardiões da liberdade? "

Uma Guevara indignado terminou o seu discurso recitando a Segunda Declaração de Havana , decretando a América Latina uma "família de 200 milhões de irmãos que sofrem as mesmas misérias". Este "épico", Guevara declarou, seria escrito pelos "famintos massas indianas, os camponeses sem terra, trabalhadores explorados, e massas progressistas". Para Guevara o conflito era uma luta de massas e idéias, que seria levada adiante por aqueles "maltratado e desprezado por imperialismo "que foram previamente considerados" um fraco e submisso rebanho ". Com este "rebanho", Guevara agora afirmou: "Yankee capitalismo monopolista" agora terrivelmente viu seus "coveiros". Seria durante esta "hora da vingança", pronunciado Guevara, que a "massa anónima" iria começar a escrever sua própria história "com o seu próprio sangue" e recuperar os "direitos que foram riram por um e todos por 500 anos" . Guevara terminou seu discurso à Assembléia Geral por hipótese de que esta "onda de raiva" iria "varrer as terras da América Latina" e que as massas de trabalho que "girar a roda da história" eram agora, pela primeira vez, "o despertar de o sono longo, brutalizing a que tinha sido submetido ".

Guevara mais tarde soube que houve duas tentativas frustradas contra sua vida por exilados cubanos durante sua parada no complexo da ONU. O primeiro de Molly Gonzales que tentou romper barricadas em sua chegada com uma faca de caça de sete polegadas, e mais tarde, durante seu discurso por Guillermo Novo com uma bazuca iniciou-timer que foi demitido fora do alvo a partir de um barco no rio East no Sede das Nações Unidas. Depois Guevara comentou sobre ambos os incidentes, afirmando que "é melhor ser morto por uma mulher com uma faca do que por um homem com uma arma", acrescentando com uma onda lânguida do charuto que a explosão tinha "dado a coisa toda mais sabor ".

Enquanto em Nova York Guevara também apareceu noprograma de notícias CBS Sunday Face the Natione se reuniu com uma gama de pessoas, a partir de US senadorEugene McCarthy aos associados deMalcolm X. O último expressou sua admiração, declarando Guevara "um dos homens mais revolucionários neste país agora "durante a leitura de uma declaração dele para uma multidão noBallroom Audubon.

Caminhando atravésda Praça Vermelha, em Moscou, Novembro de 1964.

Em 17 de dezembro Guevara partiu para Paris, França, e de lá embarcou em uma turnê mundial de três meses, que incluiu vists para a República Popular da China, Coreia do Norte, a República Árabe Unida, Egito, Argélia, Gana, Guiné, Mali, Dahomey , Congo-Brazzaville e na Tanzânia, com paradas na Irlanda e em Praga . Enquanto na Irlanda Guevara abraçou sua própria herança irlandesa, celebrando o Dia de Saint Patrick em Limerick City . Ele escreveu para seu pai sobre esta visita, humoristicamente afirmando "Eu estou neste verde Irlanda de seus antepassados. Quando descobriram, a televisão [estação] veio me perguntar sobre a genealogia Lynch, mas no caso de eles eram ladrões de cavalos ou algo assim, eu não disse muita coisa. "

Durante esta viagem, ele escreveu uma carta a Carlos Quijano, editor de um semanário uruguaio, que mais tarde foi renomeado socialismo eo homem em Cuba . Esboçado no tratado foi intimação de Guevara para a criação de uma nova consciência, uma nova condição de trabalho, e um novo papel do indivíduo. Ele também estabeleceu o raciocínio por trás de seus sentimentos anti-capitalistas, afirmando:

"As leis do capitalismo, cego e invisível para a maioria, agir de acordo com o indivíduo, sem seu pensamento sobre isso. Ele só vê a vastidão de um horizonte aparentemente infinita diante dele. Isso é como ele é pintado por propagandistas do capitalismo, que se propõem a desenhar uma lição do exemplo deRockefeller-se é ou não é verdade, sobre as possibilidades de sucesso. A quantidade de pobreza e sofrimento necessário para o surgimento deum Rockefeller, ea quantidade de depravação que a acumulação de uma fortuna de tais vínculos de magnitude , são deixados de fora do quadro, e nem sempre é possível fazer as pessoas em geral ver isso ".

Guevara terminou o ensaio, declarando que "o verdadeiro revolucionário é guiado por um grande sentimento de amor" e acenando em todos os revolucionários "lutar todos os dias para que esse amor à humanidade viver será transformado em atos que sirvam de exemplo", tornando-se assim "uma força motriz". A gênese para as afirmações de Guevara se baseou no fato de que ele acreditava que o exemplo da Revolução Cubana foi "algo espiritual que transcende todas as fronteiras".

Argel, os soviéticos e China

Em Argel , Argélia, em 24 de fevereiro de 1965, Guevara fez o que acabou por ser sua última aparição pública na cena internacional quando ele fez um discurso em um seminário econômico na solidariedade afro-asiática. Ele especificou o dever moral dos países socialistas, acusando-os de cumplicidade tácita com os países ocidentais que exploram. Ele começou a delinear uma série de medidas que, segundo ele, os países comunistas do bloco deve implementar a fim de realizar a derrota do imperialismo. Tendo criticou a União Soviética (o financiador principal de Cuba) de uma maneira tão pública, ele retornou a Cuba em 14 de março para uma recepção solene por Fidel e Raúl Castro, Osvaldo Dorticós e Carlos Rafael Rodríguez no aeroporto de Havana.

Como revelado em seu último discurso público em Argel, Guevara tinha vindo para ver o Hemisfério Norte, liderada por os EUA no Ocidente ea União Soviética no Leste, como o explorador do Hemisfério Sul. Apoiou fortemente comunista do Vietnã do Norte na Guerra do Vietnã , e exortou os povos de outros países em desenvolvimento a pegar em armas e criar "muitos Vietnãs". Denúncias de Che de os soviéticos tornou popular entre os intelectuais e artistas de esquerda da Europa Ocidental a quem tinha perdido a fé na União Soviética, enquanto sua condenação do imperialismo inspirou jovens estudantes radicais nos Estados Unidos, que estavam impacientes para mudança social e para quem a idéia de revolução foi inspirador.

Além disso, a coincidência de pontos de vista de Guevara com aqueles expostos pela liderança comunista chinês sob Mao Zedong era cada vez mais problemático para Cuba como a economia do país se tornou mais e mais dependente da União Soviética. Desde os primeiros dias da revolução cubana, Guevara tinha sido considerado por muitos um defensor da estratégia maoísta na América Latina e no autor de um plano para a rápida industrialização de Cuba que foi frequentemente comparado ao da China " Grande Salto Adiante ". Castro tornou-se cansado da oposição de Guevara às condições soviéticas e recomendações: medidas que Castro viu como necessário, mas que Guevara descrito como corrupto e "pré-monopolista".

"Marxcaracterizou a manifestação psicológica ou filosófica da capitalistasrelações sociais comoalienação eantagonismo; o resultado damercantilização do trabalho e do funcionamento do lei do valor.Para Guevara, o desafio era substituir a alienação dos indivíduos doprocesso produtivo, eo antagonismo gerado por relações de classe, com integração esolidariedade, o desenvolvimento de umaatitude coletiva da produção e do conceito de trabalho como um bem socialdever. "

- Helen Yaffe, autor deChe Guevara: A Economia da Revolução

Nos escritos privados de Guevara a partir deste momento (desde lançado), ele mostra sua crítica crescente da economia política soviética, acreditando que os soviéticos haviam "esquecido Marx ". Isso levou Guevara para denunciar uma série de práticas soviéticas, incluindo o que ele viu como a sua tentativa de "air-escovar a violência inerente de luta de classes integrante para a transição do capitalismo para o socialismo ", a sua política de" perigoso "de co-existência pacífica com o Estados Unidos, o seu fracasso para pressionar por uma "mudança de consciência" para a idéia de trabalho, ea sua tentativa de " liberalizar "a economia socialista. Foi o desejo de Guevara para ver a completa eliminação de dinheiro, juros, produção de mercadorias, a economia de mercado, e " relações mercantis ": todas as condições de que os soviéticos defendiam só iria desaparecer quando o comunismo mundial foi alcançado. Inconformada com esta abordagem incrementalista, Guevara criticou o manual soviético de Economia Política , corretamente prevendo que uma vez que os soviéticos não estavam dispostos a abolir a lei do valor (como Guevara desejado), que acabaria por regressar ao capitalismo.

Duas semanas depois de seu discurso Argel, Guevara abandonou a vida pública e, em seguida, desapareceu completamente. Seu paradeiro era um grande mistério em Cuba, como ele foi geralmente considerada como o segundo no poder para o próprio Castro. Seu desaparecimento foi diversas vezes atribuída ao fracasso do esquema de industrialização que havia defendido enquanto ministro da Indústria, a pressão exercida sobre Castro por funcionários de desaprovação soviética do pro- de Guevara postura comunista chinês sobre a ruptura sino-soviética, e sérias diferenças entre Guevara e o Castro pragmático em relação a Cuba de desenvolvimento econômico e linha ideológica. Pressionado pela especulação internacional sobre o destino de Guevara, Castro afirmou em 16 de junho de 1965 que o povo iria ser informado quando o próprio Guevara desejava que eles saibam. Ainda assim, espalhar rumores dentro e fora de Cuba. Em 03 de outubro de 1965, Castro revelou publicamente uma carta sem data supostamente escrita a ele por Guevara, alguns meses antes; nele, Guevara reafirmou sua duradoura solidariedade com a Revolução Cubana, mas declarou sua intenção de sair de Cuba para lutar pela causa revolucionária no exterior. Além disso, ele se demitiu de todos os seus cargos no governo e partido, e renunciou à sua cidadania cubana honorário.

Congo

37-year-old Guevara, segurando um bebê Africano e de pé com um colegasoldado afro-cubana naCrise do Congo de 1965.

No início de 1965 Guevara foi para a África para oferecer seu conhecimento e experiência como guerrilheiro ao contínuo conflito no Congo. De acordo com o presidente argelino Ahmed Ben Bella, Guevara pensou que a África era elo fraco do imperialismo e, portanto, tinha um enorme potencial revolucionário. O presidente egípcio Gamal Abdel Nasser, que tinha relações fraternas com Che remonta a sua 1,959 visita, vi planos de Guevara para combater no Congo como " imprudente "e advertiu que ele iria se tornar uma" figura Tarzan ", fadado ao fracasso. Apesar do aviso, Guevara viajou para o Congo usando o pseudônimo Ramón Benítez. Guevara liderou a operação cubano em apoio ao movimento marxista Simba, que emergira da crise do Congo em curso. Guevara, seu segundo em comando Victor Dreke, e outros 12 expedicionários cubanos chegaram ao Congo 24 de abril de 1965 e um contingente de cerca de 100 afro-cubanos se juntou a eles logo depois. Eles colaboraram durante algum tempo com o líder guerrilheiro Laurent-Désiré Kabila, que tinha ajudado anteriormente partidários do deposto Patrice Lumumba liderar uma revolta mal sucedidas meses antes. Como um admirador do falecido Lumumba, Guevara declarou que seu "assassinato deve ser uma lição para todos nós". Guevara, com conhecimento limitado de Swahili e as línguas locais, foi atribuído um intérprete adolescente, Freddy Ilanga. Ao longo de sete meses Ilanga cresceu para "admirar o hard-working Guevara", que "mostrou o mesmo respeito aos negros como ele fez com os brancos". No entanto, Guevara logo tornou-se desiludido com a pouca disciplina das tropas de Kabila e depois demitiu-o, afirmando que "nada me leva a crer que ele é o homem do momento".

Como um obstáculo adicional, mercenários sul-Africano branco, liderados por Mike Hoare em concertação com os exilados cubanos e da CIA, trabalhou com o Exército Nacional Congo para impedir movimentos de Guevara de seu acampamento base que foi localizado nas montanhas perto da aldeia de Fizi em Lake Tanganyika , no sudeste do Congo. Eles foram capazes de monitorar suas comunicações e assim antecipou seus ataques e interditou seus linhas de abastecimento. Apesar do fato de que Guevara procurou esconder sua presença no Congo, o governo dos EUA estava ciente de sua localização e atividades. O Agência de Segurança Nacional foi interceptar todas as suas transmissões de entrada e saída através de equipamento a bordo do USNS privada Jose F. Valdez (T- AG-169), um posto de escuta flutuante que continuamente cruzou o Oceano Índico fora Dar es Salaam para o efeito.

Ouvir um Zênite Trans-Oceanic receptor de ondas curtas são (sentado à esquerda) Rogelio Oliva, José María Martínez Tamayo (conhecido como "Mbili" no Congo e "Ricardo" na Bolívia), e Guevara. De pé atrás deles é Roberto Sánchez ("Lawton" em Cuba e "Changa" no Congo de 1965.

O objetivo de Guevara era para exportar a revolução, instruindo anti locais lutadores Mobutu Simba no marxistas ideologia e teoria foco estratégias de guerra de guerrilha. Em sua Congo Diário livro, ele cita a incompetência, a intransigência e lutas internas das forças congolesas locais como principais razões para o fracasso da revolta. Mais tarde, naquele ano, em 20 de novembro de 1965, em problemas de saúde com disenteria, que sofre de asma aguda e desanimados depois de sete meses de frustração e inatividade, Guevara deixou o Congo com os sobreviventes cubanos, seis membros de sua coluna de 12 homens tendo morrido. Em um ponto Guevara considerou enviando os feridos de volta para Cuba e lutando no Congo sozinho até sua morte, como um exemplo revolucionário. Depois de ser instado por seus companheiros e pressionado por dois emissários enviados por Castro, no último momento, ele relutantemente concordou em deixar a África. Durante esse dia e noite, as forças de Guevara calmamente tirou seu acampamento base, queimou suas cabanas, e destruiu ou jogou armas no lago Tanganyika que eles não poderiam ter com eles, antes de atravessar a fronteira para a Tanzânia durante a noite e viajar por terra para Dar es Salaam . Ao falar sobre sua experiência nos meses mais tarde Congo, Guevara concluiu que ele deixou em vez de lutar até a morte, porque:... "O elemento humano falhou Não há nenhuma vontade de lutar Os líderes são corruptos Em uma palavra ... não havia nada a ver. " Guevara também declarou que "não podemos libertar-nos por um país que não quer lutar." Algumas semanas mais tarde, ao escrever o prefácio para o diário que ele manteve durante a venture Congo, ele começou: "Esta é a história de um fracasso."

Guevara estava relutante em voltar a Cuba, porque Castro tinha feito "carta de despedida" de Guevara público -a carta pretende apenas ser revelada no caso de sua morte, em que ele cortou todos os laços, a fim de dedicar-se à revolução em todo o mundo. Como resultado, Guevara passou os próximos seis meses vivendo clandestinamente em Dar es Salaam e Praga . Durante este tempo ele compilou suas memórias da experiência do Congo e escreveu rascunhos de mais dois livros, um sobre a filosofia eo outro sobre economia. Ele então visitou vários países da Europa Ocidental para testar seus novos papéis falsa identidade, criada por Inteligência cubana para suas viagens posteriores à América do Sul. Como Guevara preparado para a Bolívia, ele secretamente viajou de volta a Cuba para visitar Castro, bem como para ver sua esposa e para escrever uma última carta a seus cinco filhos para ser lido depois de sua morte, que terminou com ele, instruindo-os:

"Acima de tudo, ser sempre capazes de sentir profundamente qualquer injustiça cometida contra qualquer um, em qualquer lugar do mundo. Esta é a mais bela qualidade de um revolucionário."

Bolívia

No final de 1966, a localização de Guevara ainda não era de conhecimento público, embora representantes do movimento de independência de Moçambique, a FRELIMO, informou que eles se reuniram com Guevara no final de 1966 em Dar es Salaam em relação a sua oferta para ajudar em seu projeto revolucionário, uma oferta que eles finalmente rejeitados. Em um discurso em 1967 rali Dia Internacional dos Trabalhadores, em Havana, o ministro interino das Forças Armadas, Major Juan Almeida, anunciou que Guevara foi "servir a revolução em algum lugar na América Latina".

Antes de partir para a Bolívia, Guevara alterou sua aparência por raspar sua barba e parte do topo da cabeça, bem como tingir o resto de sua cinzento cabelo assim ele seria irreconhecível como Che Guevara. Em 3 de novembro de 1966, Guevara secretamente chegaram em La Paz em um vôo de Montevidéu, sob o nome falso Adolfo Mena González, posando como um empresário uruguaio de meia-idade trabalhando para o Organização dos Estados Americanos.

Guevara na Bolívia rural, pouco antes de sua morte (1967).

Primeiro acampamento de base de Guevara foi localizado na floresta seca na região montanhosa Ñancahuazú remoto. Treinamento no acampamento no vale Ñancahuazú provou ser perigosos, e pouco foi realizado em forma de construir um exército de guerrilha. O nascido na Argentina Leste operatório alemão Haydée Tamara Bunke Bider, mais conhecido por seu nome de guerra "Tania", tinha sido instalado como agente principal de Che em La Paz .

Força de guerrilha de Guevara, totalizando cerca de 50 e operando como o ELN ( Exército de Libertação Nacional de Bolívia ; " Exército de Libertação Nacional da Bolívia "), foi bem equipados e teve uma série de sucessos iniciais contra regulares do Exército boliviano no difícil terreno da montanhoso região Camiri. Como resultado das unidades de Guevara "Ganhar várias escaramuças contra as tropas bolivianas na primavera e no verão de 1967, o governo boliviano começou a superestimar o verdadeiro tamanho da força de guerrilha. Mas em setembro o Exército conseguiu eliminar dois grupos de guerrilha em uma batalha violenta, supostamente matando um dos líderes.

Os investigadores supor que o plano de Guevara por fomentar a revolução na Bolívia falhou por uma série de razões:

  • Ele esperava que lidar apenas com o militar boliviano, que foram mal treinados e equipados, e não tinha conhecimento de que o governo dos Estados Unidos tinha enviado uma equipe da CIAatividades especiais comandos Divisão e outros agentes para a Bolívia para ajudar o esforço anti-insurreição. O boliviano Exército também seriam treinadas, aconselhadas e fornecida pelaForças Especiais do Exército, incluindo um batalhão de elite recentemente organizada doRangers treinados emguerra na selva que montou um acampamento em La Esperanza, um pequeno povoado perto da localização da guerrilha de Guevara.
  • Guevara tinha esperado assistência e cooperação dos dissidentes locais que não recebem, nem ele receber o apoio do Partido Comunista da Bolívia sob a liderança de Mario Monje, que foi orientada em relação a Moscou, em vez de Havana. No próprio diário de Guevara capturado após sua morte, ele escreveu sobre o Partido Comunista da Bolívia, que ele caracterizou como "desconfiados, desleal e estúpido".
  • Ele deverá manter-se em contato por rádio com Havana. Os dois transmissores de ondas curtas fornecidos a ele por Cuba foram falho; assim, os guerrilheiros foram incapazes de se comunicar e ser reabastecido, deixando-os isolados e ociosos.

Além disso, conhecida a preferência de Guevara para a confrontação em vez de compromisso, que tinha anteriormente tona durante a sua campanha de guerrilha em Cuba, contribuiu para a sua incapacidade para desenvolver relações de trabalho bem sucedidas com os líderes locais na Bolívia, tal como tinha acontecido no Congo. Essa tendência já existia em Cuba, mas tinha sido colocada em xeque por intervenções oportunas e orientações de Fidel Castro.

O resultado final foi que Guevara foi incapaz de atrair habitantes da área local para participar de sua milícia, durante os 11 meses que ele tentativas de recrutamento. Perto do final do empreendimento Guevara escreveu em seu diário que "os camponeses não nos dão qualquer ajuda, e eles estão se transformando em informantes."

Captura e execução

"Não havia nenhuma pessoa mais temido pela empresa (CIA) do que Che Guevara porque ele tinha a capacidade e carisma necessário para dirigir a luta contra a repressão política das hierarquias tradicionais no poder nos países da América Latina."

- Philip Agee, agente da CIA, depois desertou para Cuba
Monumento a Guevara emLa Higuera.
Localização deVallegrande, na Bolívia.

Félix Rodríguez, um exilado cubano virou CIA Atividades Especiais Divisão operatório, aconselhou tropas bolivianas durante a caça para Guevara na Bolívia. Além disso, o documentário 2007 Inimigo do meu inimigo , dirigido por Kevin Macdonald, alega que nazista criminoso de guerra Klaus Barbie, conhecido como "O Açougueiro de Lyon" , aconselhou e, possivelmente, a CIA ajudou a orquestrar eventual captura de Guevara.

Em 7 de outubro de 1967, um informante avisarem as Forças Especiais bolivianas de a localização do acampamento guerrilheiro de Guevara na ravina Yuro. Em 8 de outubro, eles cercaram a área com 1.800 soldados, e Guevara foi ferido e feito prisioneiro enquanto liderava um destacamento com Simeón Cuba Sarabia. Che biógrafo Jon Lee Anderson relata conta do boliviano sargento Bernardino Huanca: que uma Guevara duas vezes ferido, sua arma inútil, gritou: "Não atirem Eu sou Che Guevara e valho mais para você vivo do que morto!".

Guevara foi amarrado e levado para uma escola em ruínas lama na aldeia vizinha de La Higuera, na noite de 8 de outubro Para o próximo meio dia, Guevara se recusou a ser interrogado por oficiais bolivianos e só iria falar baixinho para soldados bolivianos. Um desses soldados bolivianos, um piloto de helicóptero chamado Jaime Nino de Guzman, descreve Che como olhar "terrível". De acordo com Guzman, Guevara foi baleado na panturrilha direita, seu cabelo estava emaranhado com a sujeira, suas roupas estavam desfiado, e seus pés estavam cobertos de bainhas de couro bruto. Apesar de sua aparência abatida, ele relata que "Che segurou a cabeça alta, olhou todos diretamente nos olhos e pediu apenas para algo para fumar." De Guzman afirma que ele "teve pena" e deu-lhe um pequeno saco de tabaco para cachimbo, e que Guevara, em seguida, sorriu e agradeceu-lhe. Mais tarde, na noite de 8 de outubro de Guevara, apesar de ter as mãos amarradas, chutou boliviano delegado Espinosa na parede após o oficial entrou na escola e tentou arrebatar tubo de Guevara de sua boca como uma lembrança, enquanto ele ainda estava fumando ele. Em outro exemplo de desafio, Guevara cuspir na cara do boliviano contra-almirante Ugarteche que tentou questionar Guevara algumas horas antes de sua execução.

Na manhã seguinte, em 9 de outubro de Guevara pediu para ver o maestra (professor) da aldeia, 22-year-old Julia Cortez. Cortez viria a afirmar que ela encontrou Guevara ser um "Homem de vista agradável com um olhar suave e irônico" e que durante a conversa ela encontrou-se "incapaz de olhar nos olhos dele", porque o seu "olhar era insuportável, piercing, etc. tranqüilo ". Durante sua breve conversa, Guevara ressaltou a Cortez o mau estado da escola, afirmando que era "anti- pedagógico "esperar campesino alunos a serem educados lá, enquanto" os funcionários do governo conduzir carros Mercedes ", e declarando" que é o que nós estão lutando contra ".

Mais tarde naquela manhã em 9 de outubro, o presidente boliviano René Barrientos ordenou que Guevara ser morto. A ordem foi transmitida para a unidade detentora Guevara por Félix Rodríguez, apesar do desejo do governo que os EUA Guevara ser levado para o Panamá para mais interrogatórios. O carrasco que se ofereceu para matar Guevara era Mario Terán, um , 31-year-old sargento alcoólica no exército boliviano que, pessoalmente, tinha pedido para atirar Guevara com base no fato de que três de seus amigos da Companhia B, todos com o mesmo primeiro nome de "Mario", foi morto em um tiroteio anterior com grupo de guerrilheiros de Che Guevara. Para fazer com que os ferimentos de bala parecem consistentes com a história, o governo boliviano planeja lançar ao público, Félix Rodríguez ordenou Terán que procurar com cuidado para fazer parecer que Guevara tinha sido morto em combate durante um confronto com o exército boliviano. Gary Prado, o capitão boliviano no comando da empresa exército que capturou Guevara, disse que as razões Barrientos ordenou a execução imediata de Guevara é assim, não haveria possibilidade de que Guevara iria escapar da prisão, e também para que não houvesse nenhum drama em que diz respeito a um julgamento público.

Antes de Guevara foi executado, ele foi convidado por um dos soldados bolivianos guardam-lhe se ele estava pensando em sua própria imortalidade. "Não", ele respondeu: "Eu estou pensando sobre a imortalidade da revolução." Poucos minutos depois, o sargento Terán entrou na cabana e ordenou imediatamente os outros soldados para fora. Sozinho com Terán, Che Guevara, em seguida, levantou-se e falou com seu carrasco, que foram suas últimas palavras:...! "Eu sei que você veio para me matar atirar Fazê-lo Atire em mim, covarde Você está indo só para matar um homem ! " Como Guevara estava falando, Terán hesitou, em seguida, abriu fogo com sua M1 Garand rifle semi-automático, acertando Guevara nos braços e pernas. Por alguns segundos, Guevara se contorcia no chão, aparentemente mordendo um de seus pulsos para evitar gritar. Terán, em seguida, disparou várias vezes novamente, ferindo-o fatalmente no peito. Che Guevara foi declarado morto às 13:10 hora local de acordo com Rodríguez. Ao todo, Guevara foi baleado nove vezes por Terán. Isto incluiu cinco vezes em suas pernas, uma vez no ombro e braço direito, uma vez no peito e, finalmente, na garganta.

Meses antes, durante sua última declaração pública àConferência Tricontinental, Guevara escreveu seu próprioepitáfio, afirmando que "Onde quer que a morte pode nos surpreender, que seja bem-vindo, desde que este nosso grito de guerra pode ter atingido um ouvido receptivo e outra mão pode ser prorrogado para empunhar nossas armas. "

Pós-execução e memorial

Depois de sua execução, o corpo de Guevara foi preso às patins de aterragem de um helicóptero e voou para a vizinha Vallegrande, onde foram tiradas fotografias dele deitado em uma laje de concreto na lavanderia da Nuestra Señora de Malta. Várias testemunhas foram chamados para confirmar que era Guevara, chave entre eles o jornalista britânico Richard Gott, a única testemunha de ter cumprido Guevara quando ele estava vivo.

Coloque em manifestações públicas como centenas de residentes locais arquivados passado o corpo, o cadáver de Guevara foi considerado por muitos para representar um rosto "como Cristo", com alguns bloqueios mesmo sub-repticiamente recorte de seu cabelo como relíquias divinas. Tais comparações foram novamente prorrogado quando o crítico de arte Inglês John Berger, duas semanas mais tarde, ao ver as fotografias post-mortem, observou que eles se assemelhava duas pinturas famosas: Rembrandt 's A Lição de Anatomia do Dr. Nicolaes Tulp e de Andrea Mantegna Lamentação sobre o Cristo Morto . Houve ainda quatro correspondentes presente quando o corpo de Guevara chegou a Vallegrande, incluindo Bjorn Kumm do sueco Aftonbladet , que descreveu a cena em um 11 de novembro de 1967 exclusivo para The New Republic .

Um memorando desclassificado de 11 de Outubro de 1967, de presidente dos Estados Unidos Lyndon B. Johnson de seu Conselheiro de Segurança Nacional Walt Whitman Rostow, chamou a decisão de matar Guevara "estúpido", mas "compreensível do ponto de vista da Bolívia". Após a execução Rodríguez levou vários itens, incluindo-pessoais de Guevara um relógio de pulso Rolex GMT Master que ele continuou a usar muitos anos mais tarde, muitas vezes mostrando-lhes a repórteres durante os anos que se seguiram. Hoje, alguns desses pertences, incluindo a lanterna, estão em exposição na CIA. Depois de um médico militar amputadas as mãos, oficiais do exército boliviano transferido o corpo de Guevara para um local desconhecido e se recusou a revelar se os seus restos mortais foram enterrados ou cremados. As mãos foram conservadas em formol a ser enviado a Buenos Aires para a identificação de impressões digitais. (Suas impressões digitais estavam no arquivo com a polícia argentinos). Eles foram posteriormente enviados para Cuba.

Plaza de la Revolución, em Havana, Cuba. Além do Ministério do Interior do prédio onde Guevara trabalhou uma vez, é um esboço de aço 5 história de sua face. Sob a imagem é o lema de Guevara, a frase espanhola: "Hasta la Victoria Siempre" (Inglês:. Até a vitória, sempre).

Em 15 de outubro Fidel Castro reconheceu publicamente que Guevara estava morto e proclamou três dias de luto público em toda Cuba. Em 18 de Outubro Castro falou a uma multidão de um milhão de carpideiras em Havana Praça da Revolução, e falou sobre o caráter de Guevara como um revolucionário. Fidel Castro fechou seu elogio apaixonado assim:

"Se queremos expressar o que queremos que os homens das gerações futuras a ser, devemos dizer: Sejam como Che Se quisermos dizer como queremos que nossos filhos sejam educados, devemos dizer sem hesitação: Queremos que eles ser educados no espírito de Che! Se queremos que o modelo de um homem, que não pertence a nossos tempos, mas para o futuro, eu digo do fundo do meu coração que tal modelo, sem uma única mancha em sua conduta, sem uma única mancha em sua ação, é o Che! "

Também removido quando Guevara foi capturado eram sua 30,000-palavra, diário escrito à mão, uma coleção de sua poesia pessoal, ea uma curta história que ele tinha sido o autor sobre uma guerrilha comunista jovem que aprende a superar seus medos. Seu diário eventos da campanha de guerrilha documentado na Bolívia, com a primeira entrada, em 7 de novembro de 1966, pouco depois de sua chegada à fazenda em Ñancahuazu, instalou-ea última data de 7 de outubro de 1967, um dia antes de sua captura. O diário relata como os guerrilheiros foram obrigados a iniciar as operações prematuramente por causa da descoberta pelo exército boliviano, explica a decisão de Guevara para dividir a coluna em duas unidades que foram posteriormente incapazes de restabelecer o contato, e descreve seu empreendimento sem sucesso global. Ele também registra o abismo entre Guevara e do Partido Comunista da Bolívia, que resultou na Guevara ter significativamente menos soldados do que o inicialmente esperado, e mostra que Guevara tinha uma grande dificuldade em recrutar da população local, em parte devido ao fato de que o grupo guerrilheiro tinha aprendido Quechua, sem saber que a língua local foi realmente um idioma Tupi-Guarani. À medida que a campanha se aproximava do fim inesperado, Guevara se tornou cada vez mais doente. Ele sofria de cada vez piores crises de asma, ea maioria de suas últimas ofensivas foram realizadas na tentativa de obter medicina. O diário boliviano foi rápida e grosseiramente traduzido por Ramparts revista e distribuída em todo o mundo. Há pelo menos quatro diários adicionais na existência-os de Israel Reyes Zayas (Alias ​​"Braulio"), Harry Villegas Tamayo ( "Pombo"), Eliseo Reyes Rodriguez ("Rolando") e Dariel Alarcón Ramírez ("Benigno") - cada de que revela outros aspectos de eventos.

Francês intelectual Régis Debray, que foi capturado em abril de 1967, enquanto com Guevara na Bolívia, deu uma entrevista da prisão em agosto de 1968, em que ele alargada sobre as circunstâncias da captura de Guevara. Debray, que tinha vivido com grupo de guerrilheiros para um curto período de tempo de Guevara, disse que, em sua opinião, eles foram "vítimas da floresta" e assim "comido pela selva". Debray descreveu uma situação onde os homens destituídos de Guevara sofreu desnutrição, falta de água, falta de sapatos, e só possuía seis cobertores para 22 homens. Debray conta que Guevara e os outros tinham sofrido uma "doença" que causou as mãos e os pés para inchar em "montes de carne" para o ponto onde você não podia discernir os dedos em suas mãos. Debray descrito Guevara como "otimista sobre o futuro da América Latina", apesar da situação fútil, e observou que Guevara estava "resignado a morrer no conhecimento de que sua morte seria uma espécie de renascimento", observando que Guevara percebida morte "como uma promessa de renascimento "e" ritual de renovação ".

Em certa medida, essa crença por Guevara de uma ressurreição metafórica se tornou realidade. Enquanto as imagens do Guevara mortos estavam a ser divulgado e foram sendo debatidas as circunstâncias de sua morte, a lenda de Che começou a se espalhar. Manifestações em protesto contra o "assassinato" ocorreu em todo o mundo, e artigos, tributos e poemas foram escritos sobre sua vida e da morte. Comícios em apoio de Guevara foram realizadas a partir de "México para Santiago , Argel para Angola, e Cairo para Calcutá . " A população de Budapeste e Praga acenderam velas para honrar a morte de Guevara; eo retrato de um Che sorridente apareceu em Londres e Paris. Quando, alguns meses depois, ocorreram tumultos em Berlim , na França, e Chicago, e os distúrbios se espalhar para os campi universitários americanos, homens e mulheres jovens usavam Che Guevara camisetas e levou suas imagens durante suas marchas de protesto. Na opinião do historiador militar Erik Durschmied, "Naqueles meses inebriante de 1968, Che Guevara não estava morto. Ele estava muito vivo. "

Recuperação de restos mortais

Monumento e mausoléu de Che Guevara em Santa Clara, Cuba.

No final de 1995, se aposentou boliviano Geral Mario Vargas revelado a Jon Lee Anderson, autor da biografia de Che Guevara: Uma Vida Revolucionária , que o corpo de Guevara foi localizado perto de uma pista de pouso Vallegrande. O resultado foi uma pesquisa multi-nacional para os restos, que duraria mais de um ano. Em julho de 1997 uma equipe de geólogos cubanos e argentinos antropólogos forenses descobriram os restos de sete corpos em duas valas comuns, incluindo um homem com as mãos amputadas (como Guevara). Funcionários do governo boliviano com o Ministério do Interior depois identificou o corpo como Guevara quando os dentes escavado "perfeitamente combinado" um molde de gesso de dentes de Che feitos em Cuba antes de sua expedição congolês. O "argumento decisivo", então, chegaram ao argentino antropóloga forense Alejandro Inchaurregui inspecionou o interior bolso escondido de um casaco azul desenterrado ao lado do cadáver sem mãos e encontrou um pequeno saco de tabaco para cachimbo. Nino de Guzman, o piloto do helicóptero boliviano que tinha dado Che um pequeno saco de tabaco, mais tarde afirmou que ele "tinha sérias dúvidas" no primeiro e "pensamento os cubanos só iria encontrar velhos ossos e chamá-lo de Che"; mas "depois de ouvir sobre a bolsa de tabaco, não tenho dúvidas." Em 17 de outubro de 1997, os restos mortais de Guevara, com os de seis de seus companheiros combatentes, foram estabelecidas para descansar com honras militares em um especialmente construído mausoléu na cidade cubana de Santa Clara, onde ele havia ordenado sobre a vitória militar decisiva da Revolução Cubana.

Em julho de 2008 o governo boliviano de Evo Morales revelou diários anteriormente selados de Guevara composta em dois notebooks desgastados, juntamente com um diário de bordo e várias fotografias em preto-e-branco. Neste evento o vice-ministro boliviano da Cultura, Pablo Groux, expressou que havia planos para publicar fotografias de cada página escrita à mão no final do ano. Enquanto isso, em agosto de 2009 antropólogos que trabalham para Ministério da Justiça da Bolívia descobriu e revelou cinco dos companheiros guerrilheiros de Guevara perto da cidade boliviana de Teoponte.

Legado

"A descoberta de Che continua metonimicamente ativou uma série de associações interligadas - rebelde, mártir, figura desonestos de uma aventura picaresca, salvador, renegado, extremista -. Em que não havia divisão fixa entre eles O tribunal corrente de opinião coloca Che em um continuum que oscila entre vê-lo como um rebelde equivocada, um guerrilheiro filósofo coruscatingly brilhante, um poeta-guerreiro duelos contra moinhos de vento, um guerreiro de bronze que lançou o desafio para a burguesia, o objeto de paeans fervorosos a sua santidade, ou um assassino em massa vestido com o disfarce de um anjo vingador cuja cada ação está imbricado na violência -. o terrorista fanática arquetípico "

- Dr. Peter McLaren, autor deChe Guevara, Paulo Freire, ea Pedagogia da Revolução

Um gráfico estilizado do rosto de Guevara em uma bandeira acima das palavras "El Che Vive!" (Che Vive!).

Mais de 45 anos depois de sua execução, a vida eo legado de Che continua a ser uma questão controversa. As contradições de seu ethos em vários pontos de sua vida criaram um personagem complexo de dualidade sem fim, aquele que era "capaz de manejar a caneta e metralhadora com a mesma habilidade", enquanto profetizando que "a ambição revolucionária mais importante foi ver o homem libertada da sua alienação. " Posição paradoxal de Guevara é ainda mais complicada pelo seu leque de qualidades aparentemente diametralmente opostas. Um humanista secular e praticante da medicina simpático que não hesitou em atirar seus inimigos, um célebre líder internacionalista que abdicou violência para impor uma filosofia utópica do bem coletivo, um idealista intelectual que adorava a literatura, mas se recusou a permitir a dissidência reacionário, um anti -imperialist marxista insurgente que era radicalmente disposto a forjar um novo mundo da pobreza menos sobre as cinzas apocalípticas de o antigo, e, finalmente, um franco anti-capitalista cuja imagem foi expropriada e comoditizado; A história de Che continua a ser reescrita e re-imaginado.

Uma matriz de indivíduos notáveis ​​elogiaram Guevara como um herói; por exemplo, Nelson Mandela referia a ele como "uma inspiração para todo ser humano que ama a liberdade", enquanto Jean-Paul Sartre descreveu-o como "não só um intelectual, mas também o ser humano mais completo de nossa época". Aqueles que tenham manifestado sua admiração incluem autores Graham Greene, que observou que Che "representava a idéia de bravura, cavalaria e aventura", e Susan Sontag, que expôs que "o objetivo [de Che] era nada menos que a causa da própria humanidade. " Na comunidade negra, filósofo Frantz Fanon professada Guevara para ser "o símbolo mundial das possibilidades de um só homem", enquanto chefe do Partido dos Panteras Negras Stokely Carmichael elogiou que "Che Guevara não está morto, suas idéias são connosco." Louvor tem se refletido em todo o espectro político, com o libertário teórico Murray Rothbard exaltando Guevara como uma "figura heróica", lamentando depois de sua morte que "mais do que qualquer homem de nossa época ou mesmo do nosso século, [Che] era a encarnação viva do princípio da revolução ", enquanto jornalista Christopher Hitchens comentou que "a morte [de Che] significou muito para mim e incontáveis ​​como eu na época, ele era um modelo, embora um impossível para nós burguesa românticos na medida em que ele foi e fez o que os revolucionários foram feitos para fazer-lutaram e morreram por suas crenças. " O sociólogo Michael Löwy alega que os muitos-facetas da vida de Guevara (ou seja, médico e economista, revolucionário e banqueiro, teórico militar e embaixador, pensador profundo e agitador político) iluminado a ascensão do "mito Che", permitindo-lhe ser invariavelmente cristalizado em seus muitos papéis como uma metanarrativa "Red Robin Hood , Don Quixote do comunismo, novo Garibaldi, marxista Saint Just, Cid Campeador do condenados da terra, Sir Galahad dos mendigos ... e bolchevique demônio que assombra os sonhos dos ricos, (enquanto) acendalhas braseiros de subversão em todo o mundo. "

Por outro lado, Jacobo Machover, autor oposição no exílio, descarta o herói-adoração e retrata-o como um carrasco implacável. O ex-prisioneiro cubano Armando Valladares ecoa sentimentos semelhantes, declarando Che "um homem cheio de ódio", enquanto acusando-o de dezenas executoras que nunca foi julgado. Alvaro Vargas Llosa de The Independent Institute tem a hipótese de que os seguidores contemporâneos de Guevara "iludir-se agarrando-se um mito ", ao descrever Guevara como" marxista puritana "que empregou seu poder rígida para suprimir a dissidência, ao mesmo tempo, operando como uma" máquina de matar a sangue-frio ". Llosa também acusou "disposição fanática" de Guevara como sendo o elemento central do "sovietização" da revolução cubana, especulando que ele possuía uma "subordinação total da realidade para cegar ortodoxia ideológica". Detratores ainda teorizou que as revoluções de inspiração Che em grande parte da América Latina teve o resultado prático de reforçar o militarismo brutal e conflitos internos por muitos anos. Hoover Institution pesquisador William Ratliff coloca Guevara como uma criação de seu ambiente histórico, referindo-se a ele como um "destemido" e "head-strong Messias-como figura", que era o produto de um mártir-enamorado cultura latina que "pessoas inclinadas a procurar e seguir milagreiros paternalistas ". Ratliff especula que as condições econômicas da região adequado compromisso de Guevara para "trazer justiça aos oprimidos por esmagamento tiranias centenárias"; descrevendo a América Latina como sendo atormentado por aquilo que Moisés Naím referidas como as "doenças malignas lendário" de desigualdade, pobreza, política e instituições disfuncionais defeito. Na sua própria avaliação de Guevara, historiador britânico Hugh Thomas opina que Che era um "homem corajoso, sincero e determinado que também era obstinada, estreito, e dogmática." No final de sua vida, de acordo com Thomas, "ele parece ter se convencido das virtudes da violência para seu próprio bem", enquanto "sua influência sobre Castro para o bem ou para o mal "cresceu após sua morte, como Fidel assumiu muitos de suas opiniões. Na avaliação de Thomas "," Como no caso de Martí, ou Lawrence da Arábia, insuficiência iluminou, não esmaecido a lenda. "

Autor Michael Casey observa comoa imagem de Che tornou-se um logotipo tão reconhecível como oswoosh da Nike ouarcos dourados.

Enquanto isso, Guevara continua sendo um herói nacional em Cuba, onde sua imagem adorna os $ 3 Peso cubano e da escola as crianças começam cada manhã pelo penhor "Vamos ser como Che". Em sua terra natal, a Argentina, onde escolas secundárias levam seu nome, inúmeros museus Che pontilham o país, que em 2008 apresentou um de 12 pés (3,7 m) estátua de bronze dele na cidade de seu nascimento, Rosario. Além disso, Guevara foi santificado por alguns camponeses da Bolívia como " São Ernesto ", a quem eles rezam para obter assistência. Em contraste, Guevara continua sendo uma figura odiada entre muitos no exilado cubano e comunidade cubano-americana dos Estados Unidos, que o vê com animosidade como "o carniceiro de La Cabaña ". Apesar deste estado polarizado, um alto contraste gráfico monocromático de rosto de Che, criado em 1968 pelo artista irlandês Jim Fitzpatrick, tornou-se um dos mais universalmente o mundo imagens merchandized e objetivadas, encontrado em uma infindável variedade de itens, incluindo t-shirt, chapéus, cartazes, tatuagens e biquínis, contribuindo, ironicamente, à cultura de consumo Guevara desprezado. No entanto, ele continua a ser uma figura transcendente, tanto em contextos políticos e especificamente como um ícone popular amplo de rebelião juvenil.

Timeline

Lista de obras em inglês

Originalmente escrito em espanhol por Ernesto "Che" Guevara, mais tarde traduzida em Inglês

  • Uma nova sociedade: Reflexões para o mundo de hoje,  Oceano Press, 1996,ISBN 1-875284-06-0
  • Retirado de " http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Che_Guevara&oldid=546124424 "