Conteúdo verificado

Inglês Reforma

Assuntos Relacionados: história britânica 1500-1750

Informações de fundo

Crianças SOS produziu este website para as escolas, bem como este site de vídeo sobre a ?frica . Patrocinar uma criança para fazer uma diferença real.

A Reforma Inglês foi a série de eventos no século 16 Inglaterra pelo qual a Igreja da Inglaterra primeiro romperam com a autoridade do Papa e da Igreja Católica Romana .

Estes eventos foram, em parte, associado com o processo mais amplo do Europeia Reforma Protestante, um movimento religioso e político que afetou a prática do cristianismo na maior parte da Europa durante este período. Muitos fatores contribuíram para o processo: o declínio da feudalismo ea ascensão do nacionalismo , a ascensão da common law , a invenção do imprensa e aumento da circulação da Bíblia , a transmissão de novos conhecimentos e ideias entre os estudiosos e as classes média e alta. No entanto, as várias fases da Reforma Inglês, que também coberto Gales e Irlanda , foram em grande parte impulsionado por mudanças na política do governo, para que a opinião pública gradualmente acomodados em si.

Com base em Henry VIII desejo 's para uma anulação de seu casamento, a Reforma Inglês foi no início de mais um caso político do que uma disputa teológica. A realidade das diferenças políticas entre Roma e Inglaterra permitidos crescente disputas teológicas para vir à tona. Imediatamente antes da ruptura com Roma, que era o Papa e os conselhos gerais da igreja que decidiu doutrina. Lei da Igreja foi governado pelo Código de Direito Canônico com jurisdição final em Roma. Igreja impostos foram pagos diretamente a Roma e foi o Papa que teve a palavra final sobre a nomeação de bispos. A divisão de Roma fez o Inglês monarca a Governador Supremo da Igreja Inglês por " Real Supremacy ", tornando assim a Igreja da Inglaterra da igreja estabelecida da nação. controvérsias doutrinárias e legais agora descansou com o monarca eo papado foi privado de receitas e a palavra final sobre a nomeação de bispos.

A estrutura ea teologia da Igreja era uma questão de disputa feroz por gerações. Estas disputas foram finalmente terminou por um golpe de Estado (a " Revolução Gloriosa ") em 1688, a partir do qual emergiu uma política eclesiástica com uma igreja estabelecida e um número de igrejas não-conformistas, cujos membros, em primeira sofreu várias deficiências civis que só foram removidos ao longo do tempo, como fez a minoria substancial que permaneceram Católica Romana na Inglaterra, cuja organização igreja permaneceu ilegal até o século 19.

Fundo

Papel de Henrique VIII e casamentos reais

Catarina de Aragão, a primeira esposa de Henrique VIII.

Henry VIII ascendeu ao trono Inglês, em 1509, com a idade de 17. Ele fez um casamento dinástico com Catarina de Aragão, viúva de seu irmão Arthur, em junho de 1509, pouco antes de sua coroação no dia de Verão. Ao contrário de seu pai, que era reservado e conservador, o jovem Henry parecia ser o epítome da cavalaria e da sociabilidade, buscando a companhia de jovens como a si mesmo; um católico praticante, ele ouviu até cinco massas por dia (exceto durante a temporada de caça); de "poderoso, mas mente banal", ele se permitiu ser influenciado por seus assessores de quem ele nunca foi para além, de noite ou de dia; Ele era, portanto, suscetíveis a quem quer que teve sua orelha. Entre seus jovens contemporâneos e do Lord Chancellor, o cardeal Thomas Wolsey, houve, portanto, um estado de hostilidade. Enquanto Wolsey teve sua orelha, de Henry catolicismo era segura: em 1521, ele defendeu a Igreja Católica de Martin Luther acusações 's de heresia em um livro que ele escreveu, provavelmente com a ajuda considerável de Thomas More , intitulado A Defesa dos Sete Sacramentos, para a qual ele foi agraciado com o título de "Defensor da Fé" ( Defensor Fidei) por Papa Leão X. (Inglês sucessiva e monarcas britânicos mantiveram este título até o presente, mesmo depois de a Igreja Anglicana rompeu com o catolicismo.) Os inimigos de Wolsey na corte incluídos aqueles que tinham sido Luterana influenciado por idéias, entre os quais estava o atraente, carismático Anne Boleyn.

Anne chegou ao tribunal em 1522, a partir de anos na Europa, como dama de honra de Rainha Catherine, uma mulher de "charme, estilo e sagacidade, com vontade e selvageria que fez dela uma correspondência para Henry". No final dos anos 1520, Henry quis ter seu casamento com Catarina anulada. Ela não tinha produzido um herdeiro homem que sobreviveu até a idade adulta e Henry queria um filho para garantir a Dinastia Tudor. Antes de o pai de Henry ( Henrique VII ) ascendeu ao trono, Inglaterra tinha sido assolada por uma guerra civil, mais de reivindicações rivais para a coroa Inglês e Henry queria evitar uma incerteza semelhante sobre a sucessão. Único filho sobrevivente de Catherine era a princesa Maria .

Anne Boleyn, segunda esposa de Henrique VIII.

Henry afirmou que esta falta de um herdeiro masculino foi porque seu casamento foi "arruinada aos olhos de Deus". Catherine tinha sido o seu esposa do irmão falecido, e que, portanto, era contra bíblicos ensinamentos para Henry ter se casado com ela ( Levítico 20:21); um especial dispensa de Papa Júlio II tinha sido necessária para permitir o casamento em primeiro lugar. Henry argumentou que isso estava errado e que seu casamento nunca tinha sido válido. Em 1527, Henry perguntou Papa Clemente VII anular o casamento, mas o Papa recusou. Conforme Direito Canônico o Papa não pode anular um casamento com base em um impedimento canônico anteriormente dispensado. Clement também temiam a ira de sobrinho de Catarina, Sacro Imperador Romano Carlos V , cujas tropas no início daquele ano haviam saqueado Roma e brevemente tomado o prisioneiro Papa.

A combinação de sua "escrúpulo de consciência" e sua fascinação por Anne Boleyn fez o seu desejo de livrar-se de sua rainha convincente. O indiciamento de seu chanceler Cardeal Wolsey em 1529 para Praemunire (tendo a autoridade do papado acima da Crown) e posterior morte em novembro 1530 em seu caminho para Londres para responder a uma acusação de alta traição à esquerda Henry aberto às influências opostas dos apoiantes da Rainha e aqueles que countenanced o abandono da fidelidade romana, para quem uma anulação foi, mas uma oportunidade.

Debate e legislação parlamentar

Em 1529, o rei convocou Parlamento para lidar com a anulação, conjugando assim, aqueles que queriam a reforma, mas que não concordavam que forma ele deve tomar; tornou-se conhecido como o Parlamento Reforma. Havia advogados comuns que se ressentiam dos privilégios do clero para convocar os leigos aos seus tribunais; havia aqueles que tinham sido influenciados pela Luterana evangelicalismo e eram hostis à teologia de Roma; Thomas Cromwell era ao mesmo tempo. Havia aqueles que, como Foxe e Stokesey, que defendeu o Real supremacia sobre a Igreja Inglês. De Henry Chancellor, Thomas More , sucessor de Wolsey, também queria que a reforma: ele queria que novas leis contra a heresia.

Thomas Cromwell, primeiro conde de Essex (c. 1485-1540), ministro-chefe de Henrique VIII 1532-1540.

Cromwell era um advogado e um membro do Parlamento, um evangélico que viu como o Parlamento poderia ser utilizado para avançar no Royal Supremacy, que Henry queria, e para promover práticas e crenças evangélicas que ele e seus amigos queriam. Um de seus amigos mais próximos era Thomas Cranmer , que em breve será o arcebispo.

Em matéria de anulação, nenhum progresso parecia possível: o Papa parecia mais medo do imperador Charles V que de Henry. Anne e Cromwell e seus aliados desejava simplesmente ignorar o Papa; mas em outubro 1530 uma reunião do clero e advogados aconselhou que o Parlamento não podia autorizar o arcebispo de agir contra a proibição do Papa. Henry, assim, resolvido para intimidar os sacerdotes.

Ações do rei contra o clero Inglês

Tendo trazido para baixo Cardeal Wolsey, seu chanceler, Henry VIII finalmente resolveu cobrar todo o clero inglês com Praemunire a fim de garantir o seu acordo à sua anulação. Praemunire, que proibia a obediência à autoridade de governantes estrangeiros, tinha sido em torno desde 1392 o Estatuto do Praemunire e tinha sido usado contra indivíduos no curso normal dos processos judiciais. Agora Henry, tendo cobrado primeiro apoiantes da rainha Catarina, Bispos John Fisher, John Clerk, Nicholas Oeste e Henry e Standish arquidiácono de Exeter Adam Travers, em seguida, decidiu avançar contra todo o clero. Henry alegou £ 100.000 do Convocação Canterbury da Igreja da Inglaterra por seu perdão, que foi concedida pela Convocação em 24 de Janeiro de 1531. O clero queria que o pagamento a ser distribuídos por cinco anos. Henry recusou. A Convocação respondeu retirando seu pagamento por completo e exigiu Henry cumprir certas garantias antes que eles concordaram em dar-lhe o dinheiro. Henry recusou essas condições, aceitaram apenas o período de pagamento de cinco anos e, em seguida, ao pagamento que Henry queria que a convocação para aceitar, acrescentou cinco artigos:

  1. que o clero reconhecer Henry como o "protetor única e Chefe Supremo da Igreja e do clero da Inglaterra"
  2. que o Rei tinha espiritual jurisdição
  3. que os privilégios da Igreja foram confirmadas somente se eles não impede o prerrogativa real e as leis do reino
  4. que o Rei perdoado o clero por violar o estatuto de Praemunire, e
  5. que o leigos também foram perdoados.

Mais actos legislativos

No Parlamento, Bispo John Fisher defendeu Catherine e do clero; ele tinha inserido no primeiro artigo, a frase "na medida em que a palavra de Deus permite". Em Convocação, no entanto, Arcebispo Warham solicitou uma discussão, mas foi recebido por um silêncio atordoado; em seguida, Warham disse: "Aquele que está em silêncio parece consentir", para o qual um clérigo respondeu: "Então, estamos todos em silêncio." O consentimento Convocação concedido ao rei cinco artigos eo pagamento em 8 de Março de 1531. Naquele mesmo ano, o Parlamento aprovou a Perdoe a Clero Act 1531.

Thomas Cranmer (1489-1556), arcebispo de Canterbury de Henrique VIII e editor e co-autor do primeiro e segundo livros de Oração Comum .

A quebra do poder de Roma passou pouco a pouco. Em 1532, Cromwell levado perante o Parlamento Súplica contra os Ordinários que listaram nove queixas contra a Igreja, incluindo os abusos de poder e poder legislativo independente de Convocação. Finalmente, em 10 de maio, o rei exigiu de convocação que a Igreja deveria renunciar a toda autoridade para fazer leis e, em 15 de maio, a Apresentação do Clero foi subscrito, que reconheceu Real Supremacy sobre a igreja para que ele não podia mais fazer direito canónico sem licença real, ou seja, sem a permissão do rei; assim castrar-lo completamente como um órgão legislativo. (Este seria posteriormente aprovada pelo Parlamento em 1534 e novamente em 1536.) O dia depois de este Mais renunciou ao cargo de chanceler, deixando Cromwell como ministro-chefe de Henry. (Cromwell nunca se tornou chanceler, o seu poder vinha - e se perdeu - por meio de suas relações informais com Henry.)

Várias leis do Parlamento depois seguiu. A Lei em condicional Restraint de anatas, que propôs que o clero deve pagar não mais do que 5% do seu primeiro ano de receita (anatas) a Roma mostrou em primeira controverso, e exigiu a presença de Henry na Câmara dos Lordes três vezes ea intimidação de Câmara dos Comuns. O Lei de Retenção de Apelações que foi elaborada pela Cromwell, além de proibir apelos a Roma em assuntos eclesiásticos, declarou que "neste reino da Inglaterra é um Império, e assim tem sido aceito no mundo, governado por um Chefe Supremo e Rei ter a dignidade e real estate da Coroa Imperial do mesmo, a quem um compacto corpo político de todos os tipos e graus de pessoas divididas em termos e por nomes de Espiritualidade e Temporalidade, ser bounden e dever de suportar ao lado de Deus uma obediência natural e humilde ", declarando assim Inglaterra um país independente em todos os aspectos. Inglês historiador Geoffrey Elton chamou este ato um "ingrediente essencial" da "revolução Tudor" na medida em que expôs uma teoria da soberania nacional. O Ato em Absolute Restraint de anatas proibiu todos os anatas a Roma, e também ordenou que se catedrais recusou a nomeação do Rei para bispo, que seria passível de punição por Praemunire. Finalmente, em 1534, o Atos de Supremacia fez Henry "chefe supremo na Terra da Igreja da Inglaterra" e excluiu o eventual "uso, costume, leis estrangeiras, autoridade estrangeira [ou] prescrição ".

Thomas More , com John Fisher o líder da resistência política para a ruptura com Roma. Ambos foram executados em 1535.

Enquanto isso, depois de ter tomado Anne para a França em uma lua de mel pré-nupcial, Henry era casado com ela na Abadia de Westminster, em janeiro de 1533. Esta foi facilitada pela morte do arcebispo Warham, um adversário forte de uma anulação, após o que Henry nomeou Thomas Cranmer como seu sucessor como Arcebispo de Cantuária ; Cranmer foi preparado para conceder a anulação do casamento com Catarina como Henry necessário. Anne deu à luz uma filha, a princesa Elizabeth , três meses após o casamento. O Papa respondeu ao casamento por excomungando tanto Henry e Cranmer da Igreja Católica Romana (11 de Julho 1533). Henry era para ser excomungado novamente em dezembro 1538.

Consequentemente, no mesmo ano a Lei das Primícias e Tenths transferiu os impostos sobre a renda eclesiástica do Papa para a Coroa. O Acto relativo Pence e dispensas de Pedro proibiu o pagamento anual por proprietários de terras de um centavo para o Papa. Esta lei também reiterou que a Inglaterra não tinha "superior sob Deus, mas apenas o seu Graça "e que de Henry" coroa imperial "tinha sido diminuído pelas" usurpações e extorsões "do Papa não razoáveis e não caridosos.

No caso de qualquer um desses deve ser resistida o Parlamento aprovou a Traições Act 1534 que tornou alta traição punível com a morte de negar Real Supremacy; no ano seguinte, Thomas More e John Fisher foram executados ao abrigo desta legislação. Finalmente, em 1536, o Parlamento aprovou a Lei contra a autoridade do Papa, que removeu a última parte da autoridade papal ainda legal. Este foi o poder de Roma em Inglaterra para decidir os litígios relativos Escritura.

Radicalismo teológico

A ruptura com Roma não era, por si só, uma Reforma. Que estava por vir desde a difusão de idéias. Os pontos de vista do reformador alemão Martin Luther e sua escola foram amplamente conhecido e disputado em Inglaterra. Uma grande manifestação de radicalismo teológico na Inglaterra foi Lollardy, um movimento decorrente dos escritos de John Wycliffe, o tradutor da Bíblia do século 14, que salientou a primazia das Escrituras. Mas após a execução de Sir John Oldcastle, líder da rebelião Lollard de 1415, eles nunca mais teve acesso às alavancas do poder e, no século 15 foram muito reduzidas em número e influência. Ainda havia muitos Lollards cerca, especialmente em Londres e Vale do Tamisa, em Essex e Kent, Coventry, Bristol e até mesmo no norte do país, que seriam receptivos às novas idéias, quando chegaram, que parecia de uma reforma no estilo de vida o clero. Eles enfatizaram a a pregação da palavra sobre o sacramento do altar, segurando o último a ser, mas um memorial, mas eles não participaram das ações do governo. Outras idéias, críticas do supremacia papal foram realizadas, não só por Lollards, mas por aqueles que queriam afirmar a supremacia do Estado secular sobre a igreja, mas também por conciliaristas como Thomas More e, inicialmente, Cranmer. Outros reformistas católicos, incluindo John Colet, decano de St Paul, advertiu que os hereges não eram quase tão grande perigo para a fé como as vidas perversas e indolentes do clero.

História do Cristianismo
na Inglaterra
Geral
Comunhão Anglicana
Igreja Católica Romana
na Inglaterra e no País de Gales
Calendário de santos
(Church of England)
Cedo
José de Arimatéia
Legend of Christ na Grã-Bretanha
Cristianismo na Grã-Bretanha romana
Post-romana
Cristianismo anglo-saxão
Reforma
Guerras dos Três Reinos
Dissolução dos Mosteiros
Anglicanismo
Inglês Reforma
Perseguições marianas
Oxford Mártires
Pós-Reforma
Puritanismo ea Restauração
Inglês Guerra Civil
Igreja do século 18 da Inglaterra
Igreja do século 19 da Inglaterra
Emancipação Católica
Igreja da Inglaterra (recentes)

O impacto do pensamento de Lutero era de uma ordem diferente. A principal plataforma de seu pensamento, a justificação pela fé e não por boas obras, ameaçou toda a base do sistema penitencial Católica com as suas massas e orações dotados para os mortos, bem como a sua doutrina de purgatório. Fé, não piedosas orações atos, ou massas, nessa visão, pode proteger a graça de Deus. Além disso, a impressão, que se tinha tornado generalizada no final do século passado, significava que vernáculo Bíblias pode ser produzida em quantidade. Uma tradução mais Inglês por William Tyndale foi proibido, mas foi impossível evitar cópias fossem contrabandeadas e amplamente lido. A Igreja não poderia mais efetivamente ditar sua interpretação. Um grupo de Cambridge, que se reuniu na taverna White Horse de 1520 médio e tornou-se conhecido como "Little Alemanha", logo se tornou influente. Seus membros incluíam Robert Barnes, Hugh Latimer, John Frith e Thomas Bilney, todos eventualmente ser queimados como hereges. Mudança de Cranmer da mente, suportados em parte por sua condição de membro da equipe de negociação para a anulação, finalmente veio através de sua estadia com Andreas Osiander em Nuremberg em 1532. (Cranmer também se casou secretamente sobrinha de Osiander). Mesmo assim, a posição foi complicada pelo fato de que os luteranos não eram a favor da anulação. Cranmer (e Henry) se sentiu obrigado a procurar assistência de Estrasburgo e Basileia, o que o colocou em contato com as idéias mais radicais associados Zwingli.

Programa de Cromwell, assistido por influência de Anne Boleyn sobre as nomeações episcopais, não era apenas contra o clero eo poder de Roma. Ele convenceu Henry que a segurança de alianças políticas que Roma pode tentativa de reunir estava em negociações com os príncipes luteranos alemães. Há também parecia ser uma possibilidade que Charles V, imperador do Sacro Império Romano, pode agir para vingar sua tia rejeitado (a rainha Catarina) e fazer cumprir a excomunhão do Papa. Ele nunca chegou a nada, mas que trouxe à Inglaterra idéias luteranas: somente três sacramentos - batismo, eucaristia e da penitência - que Henry estava preparado para tolerar a fim de manter em aberto a possibilidade de uma aliança. Mais perceptível, e censurável para muitos, eram as injunções, antes de 1536 e, em seguida, 1538. O programa começou com a supressão de muitos dias de festa ", por ocasião do vício e da ociosidade", que, particularmente na época da colheita, teve um efeito imediato sobre vida da aldeia. As ofertas para imagens foram desencorajados, como foram as peregrinações - essas liminares ocorreu enquanto mosteiros estavam sendo dissolvido. Em alguns lugares, as imagens foram queimados, alegando que eles eram objetos de devoção supersticiosa, velas acesas diante imagens foram proibidos, Bíblias em Inglês e Latim eram para ser comprado. Foi assim que a Reforma começar a afetar as cidades e aldeias da Inglaterra e, em muitos lugares, as pessoas não gostavam dele.

Dissolução dos Mosteiros

Em 1534, deu início a um Cromwell Visitação dos Mosteiros ostensivamente para examinar seu caráter, de fato, a valorizar os seus activos, com vista à desapropriação. The Crown estava passando por dificuldades financeiras, ea riqueza da igreja, em contraste com a sua fraqueza política, fez apropriação de propriedade da igreja tanto tentador e viável. Supressão de mosteiros, a fim de angariar fundos não era desconhecida anteriormente. Cromwell tinha feito a mesma coisa sobre as instruções do Cardeal Wolsey para levantar fundos para duas faculdades propostas em Ipswich e Oxford anos antes. Agora, a visitação permitida para um inventário do que os mosteiros possuía, e os comissários que visitam alegou ter descoberto a imoralidade sexual e irregularidades financeiras entre os monges e freiras , que se tornou a justificativa ostensiva para a sua supressão. A Igreja de propriedade entre um quinto e um terço das terras em toda a Inglaterra; Cromwell percebeu que poderia vincular a aristocracia e nobreza de Royal Supremacy, vendendo-lhes a enorme quantidade de terras da Igreja, e que qualquer reversão de volta à pré-Royal Supremacy implicaria perturbar muitas das pessoas poderosas do reino. Por estas razões diversas a Dissolução dos Mosteiros, foi iniciado em 1536 com a Dissolução da Lei Mosteiros Menores, afetando casas menores, aqueles avaliados em menos de £ 200 por ano; a receita foi usada por Henry para ajudar a construir as defesas costeiras (ver Fortes dispositivo) contra a invasão esperado, e toda a sua terra foi dada à Coroa ou vendidos à aristocracia. Considerando que a supremacia real tinha levantado algumas sobrancelhas, o ataque ao abadias e conventos afetadas leigos. Mobs atacou aqueles enviados para quebrar edifícios monásticos; os comissários de supressão foram atacados por pessoas locais em vários lugares. Em No norte da Inglaterra, houve uma série de revoltas por católicos contra os dissoluções no final de 1536 e início de 1537. No outono de 1536 houve um grande agrupamento, a ser contados até 40.000 em número, em Horncastle em Lincolnshire que foi, com dificuldade, dispersos pela nobreza nervoso. Eles tinham tentado, sem sucesso, negociar com o rei por petição. O Peregrinação da Graça era uma questão mais séria. A revolta se espalhou através de Yorkshire, e os rebeldes reunidos em York. Robert Aske, seu líder, negociado a restauração de dezesseis dos vinte e seis mosteiros do norte, que, na verdade, tinha sido dissolvidos. No entanto, as promessas feitas a eles pelo duque de Norfolk foram ignorados em ordens do rei. Norfolk foi instruído para colocar a rebelião para baixo. Quarenta e sete dos rebeldes Lincolnshire foram executados e 132 da peregrinação do norte. Mais rebeliões ocorreram em Cornwall, no início de 1537, e em Walsingham (em Norfolk) que receberam tratamento semelhante.

Demorou Cromwell quatro anos para concluir o processo. Em 1539 ele se mudou para a dissolução dos monastérios maiores que haviam escapado anteriormente. Muitas casas desistiu voluntariamente, apesar de alguns procurou por isenção de pagamento. Quando suas casas foram fechadas alguns monges procuraram transferência para casas maiores. Muitos se tornaram sacerdotes seculares. Alguns, incluindo dezoito Cartuxos, recusou e foram mortos até o último homem.

Reforma revertida

A abolição da autoridade papal deu o seu lugar não para a mudança ordenada mas para dissensão e violência; iconoclastia, a destruição, as disputas dentro das comunidades que levaram à violência e desafio radical para todas as formas de fé eram diariamente relatado para Cromwell, algo que ele tentou esconder do rei. Uma vez que Henry sabia o que estava acontecendo, ele agiu. Assim, no final de 1538, uma proclamação foi emitida proibindo livre discussão do Sacramento e proibindo o casamento clerical, sob pena de morte. Henry pessoalmente presidiu o julgamento de John Lambert em novembro 1538 para negar a presença real. Ao mesmo tempo, ele compartilhou na elaboração de uma proclamação dando anabatistas e Sacramentaries dez dias para sair do país. Em 1539, o Parlamento aprovou a Seis Artigos reafirmando práticas católicas, tais como transubstanciação, celibato clerical ea importância de a confissão a um padre e penalidades prescritas se alguém lhes negou. O próprio Henry observou a Tríduo Pascal nesse ano com alguma exibição. Em 28 de junho de 1540 Cromwell, seu conselheiro de longa data e servo leal, foi executado. Diferentes razões foram avançados: Cromwell que não iria cumprir a Lei de seis artigos; que ele tinha apoiado Barnes, Latimer e outros hereges; e que ele foi o responsável por casamento de Henrique com Anne de Cleves, sua quarta esposa. Muitas outras detenções no âmbito da Lei seguido. Cranmer calar.

Em 1540, Henry começou seu ataque sobre a livre disponibilidade da Bíblia. Em 1536 Cromwell havia instruído cada paróquia para adquirir "um livro de toda a Bíblia de o maior volume em Inglês" pela Páscoa 1539. Esta instrução tinha sido largamente ignorado, assim uma nova versão, o Grande Bíblia (em grande parte Tradução de William Tyndale em Inglês do hebraico e grego Escrituras), foi autorizada em agosto de 1537. Mas por 1539 Henry anunciou seu desejo de tê-lo "corrigido" (que Cranmer referiu-se às universidades para realizar). Muitas paróquias foram, em qualquer caso, relutante em estabelecer Inglês Bíblias: agora o estado de espírito de conservadorismo, que se expressa no temor de que a leitura da Bíblia levou à heresia. Muitas Bíblias que tinham sido postas em prática foram removidos. Pelo 1543 Lei para o Avanço da True Religion, Henry restrito a leitura da Bíblia para homens e mulheres de nobre nascimento. Ele expressou seus temores para o Parlamento em 1545 que "a Palavra de Deus, é disputada, rimado, cantado e jangled em cada casa ale e taverna, ao contrário do verdadeiro significado e doutrina do mesmo".

Por 1546 os conservadores, o duque de Norfolk, Wriothesly, Gardiner e Tunstall estavam em ascendência e foram, por vontade do rei, para ser membros do conselho de regência, em sua morte. Mas pelo tempo que ele morreu em 1547, Edward Seymour, conde de Hertford, irmão de Jane Seymour, terceira esposa de Henry (e, portanto, tio para o futuro Edward VI), conseguiu, por uma série de alianças com os protestantes influentes, como Lisle, para ganhar controle sobre o Conselho Privado e convenceu Henry para mudar sua vontade e para substituí-los como seus executores por seus partidários.

Reforma de Edward

King Edward VI de Inglaterra, em cujo reinado a reforma da Igreja Anglicana movido em uma direção mais protestante.

Quando Henry morreu em 1547, seu filho de nove anos de idade, Edward VI , herdou o trono. Edward era uma criança precoce, que havia sido criado como protestante, mas era de pouco conta politicamente. Seymour foi feito Lord Protector. Ele foi contratado como regente virtual com poderes soberanos próximos. Agora feita Duque de Somerset, ele passou em primeiro hesitante, em parte porque os seus poderes não eram incontestado. Quando ele agiu foi porque ele viu a vantagem política. As 1.547 acções inibitórias contra imagens eram uma versão mais fortemente atraído daqueles de 1538, mas eles foram mais ferozmente aplicada, em primeiro lugar informalmente, e depois através de instrução. Todas as imagens nas igrejas estavam a ser desmantelados; vitrais , santuários, estátuas foram desfigurados ou destruídos; roods e muitas vezes os seus lofts e telas foram cortadas, os sinos foram levados para baixo; paramentos foram proibidos e queimados ou vendidos; placa de igreja era para ser derretidos ou vendido ea exigência do clero a ser celibato foi levantada; procissões foram proibidas; foram proibidos cinzas e palmeiras. Capelas, meio pelo qual a palavra de massas para os mortos foram dotados, foram abolidas por completo. A forma como isso foi recebido é disputada; Dickens afirma que as pessoas tinham "deixado de acreditar em massas de intercessão pelas almas do purgatório"; outros, como Duffy, argumentam que a demolição de capelas chantry ea remoção de imagens coincidiu com a actividade dos visitantes reais. A evidência é muitas vezes ambígua. Em 1549 Cranmer apresentou um Livro de Oração Comum em Inglês. Em 1550 altares de pedra foram trocadas por mesas de comunhão de madeira, uma ruptura muito público com o passado, como ele mudou o visual e foco de interiores de igrejas.

Menos visível, mas ainda influente, foi o novo ordinal que previa pastores protestantes, em vez de padres católicos, uma adaptação reconhecidamente conservador do projecto de Bucer; seu prefácio menciona explicitamente a sucessão histórica, mas tem sido descrito como "mais um caso de adoção oportunista de Cranmer de formas medievais para novos propósitos". Em 1551, o episcopado foi remodelado com a nomeação de protestantes para o banco. Este removeu o obstáculo à mudança que foi a recusa de alguns bispos a fazer cumprir os regulamentos.

Daí em diante, a Reforma prosseguiu rapidamente. Em 1552 o livro de orações, que o bispo conservador Stephen Gardiner havia aprovado a partir de sua cela na prisão como sendo "paciente de uma interpretação católica", foi substituído por um segundo livro de orações muito mais radical que alterou a forma do serviço de modo a remover qualquer senso de sacrifício. Parlamento de Edward também revogou de seu pai Seis Artigos.

A aplicação da nova liturgia nem sempre ter lugar sem uma luta. Conformidade era a ordem do dia, mas em East Anglia e em Devon não foram rebeliões, como também na Cornualha, para que muitas paróquias enviado seus jovens; eles foram abatidos somente após considerável perda de vidas. Em outros lugares, as causas das rebeliões eram menos fácil de definir, mas até julho em todo o sul da Inglaterra, não foi "trêmula tranquila", que explodiu em "mexe" em muitos lugares, mais significativamente na chamada Rebelião de Kett em Norwich. E além de peças mais espetaculares de resistência, em alguns lugares Chantry sacerdotes continuou a dizer orações e os proprietários a pagar-lhes a fazê-lo; oposição à remoção de imagens foi generalizada, tanto assim que, quando durante a comunidade, William Dowsing foi contratado para a tarefa de quebrar imagem em Suffolk, sua tarefa, como ele registra-lo, era enorme. Em Kent e no sudeste, o cumprimento foi principalmente dispostos e, para muitos, a venda de paramentos e placa foi uma oportunidade de ganhar dinheiro (mas também era verdade que em Londres e Kent, ideias da Reforma haviam penetrado mais profundamente no pensamento popular). O efeito da resistência era derrubar Somerset como Lord Protector, de modo que, em 1549, temia-se por alguns de que a Reforma cessaria. O livro de orações foi o ponto de inflexão. Mas Lisle, agora feito Conde de Warwick, foi feito Senhor Presidente do Conselho Privado e, sempre oportunista (ele estava a morrer um católico público), ele viu o prosseguimento da execução da política de reforma como um meio de derrotar os seus rivais.

Exteriormente, a destruição e remoções para venda tinha mudado a igreja para sempre. Muitas igrejas tinha escondido seus paramentos e sua prata, e tinha enterrado os seus altares de pedra. Havia muitas disputas entre o governo e as paróquias mais de propriedade da igreja. Assim, quando Edward morreu em julho 1553 eo duque de Northumberland tentou ter o protestante Lady Jane Grey fez a rainha, a impopularidade dos confiscos deu a Maria a oportunidade de ter-se proclamado Rainha, pela primeira vez em Suffolk, em seguida, em Londres, para a aclamação da multidão.

Restauração Católica

Queen Mary I de Inglaterra restaurado a fidelidade Inglês para Roma.

A partir de 1553, sob o reinado da filha Católica Romana de Henrique, Maria I , a legislação foi revogada e Reforma Mary procuraram alcançar o reencontro com Roma. Sua primeira lei do Parlamento foi retroativamente validar casamento de Henrique com sua mãe e assim legitimar sua reivindicação ao trono. Alcançar seu objetivo era, no entanto, não é simples. O Papa foi apenas disposto a aceitar reunião quando da igreja disputas de propriedade tinha sido resolvido, o que, na prática, significava permitindo que aqueles que tinham comprado ex-propriedade da igreja para mantê-lo. Foi assim que o cardeal Pole chegar a tornar-se arcebispo de Canterbury no lugar de Cranmer. Mary poderia ter tido Cranmer, preso como estava, julgado e executado por traição - ele tinha apoiado as reivindicações de Lady Jane Grey - mas ela tinha resolvido em tê-lo julgado por heresia. Seus retratações de seu protestantismo teria sido um grande golpe para ela. Infelizmente para ela, ele inesperadamente retirou suas retratações no último minuto como ele era para ser queimado na fogueira, arruinando assim a vitória propaganda de seu governo.

Se Maria era assegurar a Inglaterra para o catolicismo, ela precisava de um herdeiro. Seguindo o conselho do Sacro Imperador Romano ela se casou com seu filho, Filipe II de Espanha ; ela precisava para impedi-la protestante meia-irmã Elizabeth de herdar a coroa e, assim, retornando a Inglaterra ao Protestantismo. Houve oposição, e até mesmo uma rebelião em Kent (liderada por Sir Thomas Wyatt); apesar de ter sido desde que Philip nunca iria herdar o reino se havia nenhum herdeiro, não recebeu quaisquer propriedades e não tinha coroação. Ele estava lá para fornecer um herdeiro. Mas ela nunca ficou grávida; sua gravidez aparente foi, de fato, o início de câncer de estômago. Ironicamente, outro golpe caiu. Papa Julius morreu e seu sucessor, o Papa Paulo IV, declarou guerra à Philip e recordou Pólo de Roma tê-lo julgado como um herege. Maria se recusou a deixá-lo ir. O apoio que ela poderia ter esperado de um Papa agradecido foi assim negado.

Depois de 1555, o tom de reconciliação inicial do regime começou a endurecer. As leis heresia medieval foram restaurados. A chamada Marian perseguições dos protestantes se seguiu e 283 protestantes foram queimados na fogueira por heresia. Isso resultou na Rainha tornando-se conhecido como "Bloody Mary", devido à influência de John Foxe, um dos protestantes que fugiu Marian Inglaterra. de Foxe Livro dos Mártires registrou as execuções com tantos detalhes que se tornou o epitáfio de Maria; Convocação posteriormente ordenou que O livro de Foxe deve ser colocado em todas as catedrais na terra. Na verdade, enquanto que aqueles que foram executados após as revoltas de 1536, ea rebelião de Down do St. David de 1549, eo número desconhecido de monges que morreu por recusar-se a apresentar, pode não ter sido julgado por heresia, eles certamente ultrapassado esse número por uma certa quantidade. Mesmo assim, o heroísmo de alguns dos mártires foi um exemplo para aqueles que os testemunharam, de modo que em alguns lugares era as queimadas que definem as pessoas contra o regime.

Houve uma consolidação lenta na força católica, nos últimos anos de Maria. O reconciliado Católica Edmund Bonner, Bispo de Londres, produziu um catecismo e uma coleção de homilias; a imprensa foi amplamente utilizado para produzir cartilhas e outros materiais devocionais; o recrutamento para as clero inglês começou a subir depois de quase uma década; reparação de igrejas há muito tempo negligenciadas foram iniciadas. No paróquias "restauro e reparação continuou, novos sinos foram comprados, e ales das igrejas produziram os seus lucros bucólicos". Comissários visitaram a garantir que altares foram restaurados, roods reconstruído e paramentos e placa de compra. Além disso, Pole estava determinado a fazer mais do que refazer o passado. Sua insistência foi na escritura, ensino e educação e na melhoria dos padrões morais do clero. É difícil determinar o quão longe Católica devoção, com sua crença nos santos e no purgatório, tinha mesmo sido quebrado pelos reinados anteriores; mas certezas, especialmente aqueles que inspirou-se em bolsas de homens, tinha sido abalada: benefactions para a igreja não retornou de forma significativa; confiança no clero, que tinham sido preparados para mudar suas mentes e agora estavam dispostos a deixar as suas novas esposas - como eles eram obrigados a fazer - foi obrigado a ter enfraquecido. Mosteiros, capelas e alguns DOURADO foram restabelecidas. "Religião Freguesia foi marcado pela esterilidade religiosa e cultural", embora alguns tenham observado entusiasmo, marcada apenas pelas más colheitas que produziam pobreza e querem. Restauração completa da fé católica na Inglaterra para seu estado de pré-reforma levaria tempo. Consequentemente, os protestantes secretamente ministrar a congregações subterrâneos, tais como Thomas Bentham, estavam planejando para uma longa caminhada, um ministério de sobrevivência. A morte de Maria em novembro de 1558, sem filhos e sem ter feito provisão para um católico para sucedê-la, iria desfazer sua consolidação.

Liquidação Isabelino

Após a morte sem filhos de Maria, sua meia-irmã Elizabeth herdou o trono. Uma das preocupações mais importantes durante início do reinado de Elizabeth era a religião . Elizabeth não poderia ser católica, como a igreja a consideravam ilegítima. Ao mesmo tempo, ela havia observado a turbulência provocada pela introdução de reformas protestantes radicais de Edward. A comunhão com a Igreja Católica foi novamente cortado por Elizabeth. Ela baseou-se principalmente em seus principais assessores, Sir William Cecil, como ela Secretário de Estado, e Sir Nicholas Bacon, como o Senhor Guardião do Grande Selo, para orientação sobre o assunto.

Rainha Elizabeth I da Inglaterra chegaram a um acordo religioso moderado.

Parlamento foi convocado em 1559 para considerar a Reforma Bill e para criar uma nova igreja. A Reforma Bill definiu a Comunhão como um celebration consubstancial ao contrário de uma celebração transubstantial, incluiu abuso do papa no ladainha, e ordenou que os ministros não devem usar o surplice ou outras vestes católicos. Permitiu que os ministros se casar, proibiu imagens de igrejas, e confirmou Elizabeth como Chefe Supremo da Igreja da Inglaterra . O Bill encontrou forte resistência na Câmara dos Lordes , como católicos romanos bispos, assim como os colegas leigos votaram contra. Eles refeito muito do Bill, mudou a ladainha para permitir uma crença transubstantial na Comunhão e se recusou a conceder Elizabeth o título de Chefe Supremo da Igreja. Parlamento foi prorrogada durante a Páscoa e, quando recomeçou, o governo entrou duas novas contas no Moradias - o Ato de Supremacia eo Ato de Uniformidade.

Ato de Supremacia

O Ato de Supremacia validado dez Atos que Maria havia revogado e confirmados Elizabeth como Governador Supremo da Igreja da Inglaterra. Governador Supremo era um título adequadamente equívoco que fez Elizabeth chefe da Igreja sem nunca dizer que ela era. Isso foi importante por duas razões: (1) satisfez aqueles que achavam que uma mulher não poderia governar a igreja, e (2) ele agiu de forma conciliatória em relação católicos ingleses. Para o clero, as mudanças de Elizabeth eram mais atacado do que os de seu meio-irmão, Edward, tinha sido. Todos, exceto um ( Anthony Kitchin) dos bispos perderam os seus postos de trabalho, uma centena de companheiros de faculdades de Oxford foram privados; muitos dignitários renunciou ao invés de fazer o juramento. Os bispos que foram removidos do banco eclesiástico foram substituídos por nomeados que concordariam com as reformas.

Sobre a questão das imagens, a reação inicial de Elizabeth era permitir crucifixos e castiçais e a restauração da roods, mas alguns dos novos bispos a quem ela havia elevado protestaram. Em 1560 Edmund Grindal, um dos exilados marianas feita agora Bispo de Londres, foi autorizado a impor a demolição de lofts rood em Londres e em 1561 a própria rainha ordenou a demolição de todos os lofts. Depois disso, a determinação de impedir qualquer nova restauração foi evidenciado pela destruição mais profunda da roods, paramentos, altares de pedra, condena, estátuas e outros ornamentos. A rainha também nomeou um novo Conselho Privado, removendo muitos conselheiros católicos romanos ao fazê-lo. Sob Elizabeth, o faccionalismo no Conselho e conflitos na corte muito reduzidos. O Ato de Supremacia tinha passado sem dificuldade.

Ato da uniformidade 1558

No entanto, o Ato da uniformidade 1558, que forçou as pessoas a participar de culto de domingo em uma igreja anglicana, em que uma nova versão doLivro de Oração Comumfoi a ser utilizado, foi aprovada por apenas três votos. O Bill da uniformidade foi mais cauteloso do que a Reforma Bill inicial.Ele revogou as leis severas propostas contra os católicos romanos, que removeu o abuso do papa desde a ladainha e manteve a redacção que permitiu tanto crença consubstancial e transubstantial na Comunhão.

Depois Parlamento foi demitido, Elizabeth e Cecil esboçou os reais Injunções. Estes eram adições à liquidação, e em grande parte sublinhou continuidade com o passado católico - ministros foram obrigados a vestir a sobrepeliz. Bolachas, em oposição ao pão de padeiro comum, estavam a ser utilizados como o pão no comunhão. Houve oposição à resolução na Inglaterra rural, que em sua maior parte foi em grande parte Católica Romana, para que as alterações destinadas à aceitação da liquidação. O que conseguiu mais do que qualquer outra coisa foi a excessiva duração do reinado de Elizabeth; enquanto Maria tinha sido capaz de impor o seu programa para uns meros cinco anos, Elizabeth tinha mais de quarenta anos. Aqueles que atrasado, "à procura de um novo dia" quando a restauração voltaria a ser comandado, foram derrotados pelo passar dos anos.

Puritans e católicos romanos

O reinado de Elizabeth viu o surgimento de puritanismo , que abrangeu esses protestantes que, enquanto eles concordaram que deve haver uma igreja nacional, sentiu que a igreja tinha sido apenas parcialmente reformada. Puritanismo variou de hostilidade para com o conteúdo do livro de oração e cerimônia "papista", a um desejo de governança igreja para ser profundamente reformada. Grindal foi feito arcebispo de Canterbury em 1575 e escolheu se opor até mesmo a rainha em seu desejo de transmitir a agenda puritana. "Tenha paciência comigo, peço-vos, Senhora, se eu escolher, em vez de ofender sua majestade terrena do que ofender a majestade celestial de Deus", ele terminou um 6000 palavra vergonha para ela. Ele foi colocado sob prisão domiciliar para o seu problema e, embora ele não fosse privada, a sua morte em 1583 pôs fim às esperanças de seus partidários. Seu sucessor, Arcebispo Whitgift mais refletiu a determinação da rainha de disciplinar aqueles que não estavam preparados para aceitar a sua liquidação. A conformista, ele impôs um grau de obediência ao clero que, aparentemente, alarmados mesmo ministros da Rainha, como Lord Burghley. A causa puritana não foi ajudado até mesmo por seus amigos. Os pseudónimos " tratos Martin Marprelate ", que atacaram clero conformistas com um tom humorístico calunioso, indignado altos clérigos puritanos e defina o governo em uma tentativa frustrada de executar o escritor à terra. Aliás, a derrota da Armada Espanhola em 1588 tornou mais difícil para os puritanos de resistir à conclusão de que uma vez que Deus "soprou com seu vento e eles estavam dispersos", ele não poderia ser muito ofendido pelo estabelecimento religioso na terra.

Por outro lado ainda havia um grande número de católicos romanos, alguns dos quais conformaram, dobrando com os tempos, na esperança de que haveria um novo inversa; vestes ainda estavam escondidos, castiçais de ouro legou, cálices mantido. A missa foi celebrada ainda em alguns lugares ao lado do novo serviço de comunhão. Foi, naturalmente mais difícil do que até agora. Ambos padres católicos e leigos viveu uma vida dupla, aparentemente em conformidade, mas evitar tomar o juramento de conformidade. Foi só com o tempo que não-conformidade, a recusa de participar dos cultos protestantes, tornou-se mais comum. Os jesuítas e sacerdotes do seminário, treinados em Douai e Roma para compensar as perdas de sacerdotes Inglês, incentivou esta. Por década de 1570 uma igreja clandestina estava crescendo rapidamente, como a Igreja da Inglaterra tornou-se mais protestante e menos suportável para os católicos romanos. Os católicos romanos ainda eram uma minoria considerável. Apenas uma tentativa público para restaurar a antiga religião ocorreu: o nascer do condes do norte em 1569. Era uma tentativa fracassada; apesar das multidões tumultuosos que saudaram os rebeldes em Durham, a rebelião não se espalhou, a assistência de que procurava não estava próxima, sua comunicação com os aliados na corte era pobre; eles chegaram nem perto de definir Mary Stuart , cuja presença pode se uniram apoio, livre de sua prisão em Tutbury. A recusa da Igreja Católica Romana a aprovar comparecimento ocasional em Serviços protestantes e da excomunhão de Elizabeth pelo papa Pio V, em 1570, apresentou a opção de católicos romanos mais claramente, e com a chegada dos padres do seminário, enquanto era uma tábua de salvação para muitos católicos romanos, trouxe mais problemas. Ministros de Elizabeth tomou medidas para conter a maré: multas de recusa a freqüentar a Igreja foram levantadas a partir de 12 d. por serviço de £ 20 por mês, o salário de cinquenta vezes um artesão; agora foi a traição de ser absolvido de cisma e reconciliados com Roma; a execução de sacerdotes começou - a primeira em 1577, quatro em 1581, onze em 1582, dois em 1583, seis em 1584, cinqüenta e três por 1590, e setenta mais entre 1601 e 1680. Tornou-se traiçoeira por um padre católico romano ordenado no exterior para entrar no país. Porque o papado tinha chamado para a deposição da Rainha, a escolha para os católicos moderados ficava entre traição e condenação. Embora consideravelmente menos do que no Continente, por padrões britânicos a lista dos mártires católicos da Reforma Inglês foi extensa.

Há, é claro, sempre alguma distância entre a legislação e sua aplicação. Os ataques governamentais em não-conformidade foram principalmente sobre a pequena nobreza. Poucos recusants foram efetivamente multados; as multas que foram impostas eram muitas vezes a preços reduzidos; a perseguição diminuiu; sacerdotes veio a reconhecer que eles não deveriam se recusar a comunhão a conformistas ocasionais. As perseguições não extinguir a fé, mas eles testaram intensamente. O grande número de católicos romanos em East Anglia e do Norte na década de 1560 desapareceu na população em geral, em parte, porque os padres não-conformistas servido em grande parte as grandes casas católicos romanos, que por si só poderia escondê-los. Sem o cuidado de massa e pastoral, yeomen, artesãos e lavradores caiu em conformismo. Catolicismo Romano, apoiada por padres estrangeiros ou expatriados, passou a ser visto como traidor.

Legado

Na época da morte de Elizabeth um terceiro tinha surgido ", perfeitamente hostil" para Puritans, mas não aderente a Roma. Ele preferiu a revista Livro de Oração Comum de 1559, a partir do qual tinha sido removido alguns dos assuntos ofensivos aos católicos. Os recusantes tinha sido removida do centro do palco. A nova disputa estava agora entre os puritanos (que queriam ver o fim do livro de oração e episcopado), e esta terceira parte (o corpo considerável de pessoas que olhou com bons olhos o Isabelino liquidação, que rejeitou "as profecias", cuja espiritualidade teve sido alimentada pelo Livro de Oração e que preferiu a governança da bispos).

Foi entre esses dois grupos que, após a morte de Elizabeth em 1603, um novo episódio, mais selvagem da Reforma estava no processo de gestação. Durante os reinados dos reis Stuart, James I e Charles I , as linhas de batalha estavam a tornar-se mais definido, em última instância, para o Inglês Guerra Civil , a primeira em solo Inglês para engolir partes da população civil. A guerra foi apenas parcialmente sobre a religião, mas a abolição do livro de oração e episcopado por um Parlamento puritano era um elemento nas causas do conflito. Como historiador MacCulloch observou, o legado desses eventos tumultuosos pode ser reconhecido, ao longo da Commonwealth (1649-1660) e Restauração que se lhe seguiu e além. O terceiro era tornar-se o núcleo da Igreja restaurada de Inglaterra, mas no preço de mais divisão.

Retirado de " http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=English_Reformation&oldid=411440455 "