Conteúdo verificado

Flat Earth

Assuntos Relacionados: Mitos ; disputas religiosos

Fundo para as escolas Wikipédia

Crianças SOS voluntários ajudaram a escolher artigos e fez outro material currículo Um link rápido para o patrocínio criança é http://www.sponsor-a-child.org.uk/

Adaptação do século 15 de um T e O mapa. Este tipo de medieval Mapa-múndi ilustra apenas o lado alcance de um rodada da Terra, já que se pensava que ninguém poderia atravessar uma clime torrid perto do equador para a outra metade do globo.

A idéia de uma Terra plana é que a superfície da Terra é plana (um avião ), ao invés da opinião de que é uma aproximação muito perto da superfície de uma esfera. Esta era uma crença comum até o Gregos clássicos começaram a discutir a forma da Terra por volta do século 4 aC.

Independentemente da forma real da Terra, regiões locais da sua superfície pode ser considerada aproximadamente plana para muitas finalidades. A forma em grande escala da Terra só é relevante quando se considera a grandes distâncias. Consequentemente, na antiguidade apenas marinheiros, astrônomos, filósofos e teólogos têm se preocupado com a forma em grande escala da Terra.

A crença moderna que especialmente medieval cristianismo acreditavam em uma Terra plana tem sido referido como O mito do Flat Earth. Em 1945, foi listado pela Associação Histórica (da Grã-Bretanha) como o segundo de 20 em um panfleto sobre erros comuns na história. Recente estudo argumentou que "com extraordinárias [sic] poucas exceções nenhuma pessoa educada na história da civilização ocidental desde o século III aC em diante acreditava que a Terra era plana", e que a visão predominante era de uma terra esférica.

Jeffrey Russell afirma que a visão moderna de que as pessoas dos Idade Média acreditavam que a Terra era plana é dito ter entrado na imaginação popular no século 19, em grande parte graças à publicação de Fantasia de Washington Irving A Vida e viagens de Cristóvão Colombo em 1828. Embora esses autores rejeitam a idéia de uma Terra plana, outros, como o Sociedade da Terra Plana aceitar ou promover a hipótese.

Validade e utilidade

Independentemente de toda a terra é plana ou não, a superfície da Terra pode ser aproximada como plano em pequenas distâncias. Assumindo que toda a terra para ser plana era na verdade uma visão sofisticada por povos primitivos: eles perceberam que todos os acidentes locais de geografia: montes, vales, rios, e assim por diante, eram apenas desníveis de uma superfície plana em que foi média, tanto quanto eles poderiam ir. Quando levantamento e direção de averiguação assumimos que os ângulos de um triângulo somam 180 °, o que não é verdade para um triângulo na superfície de uma esfera.

Antiguidade

A crença em uma Terra plana é encontrado nos escritos mais antigos da humanidade. No início de Pensamento mesopotâmico, o mundo foi retratado como um disco achatado flutuando no oceano, e isto constitui a premissa para os primeiros gregos mapas como os de Anaximandro e Hecataeus de Mileto.

Alguns teólogos e pesquisadores bíblicos afirmam que pelo menos alguns dos autores dos Antigo Testamento livros da Bíblia teve um Visão de mundo babilônico, segundo a qual a Terra é plana e está em colunas, e é coberto por uma sólida sky-dome (o Firmament). O firmamento era o céu no qual Deus colocou o sol ( Salmo 19: 5) e as estrelas ( Gen 1:14). O conceito de Terra plana parece ser mencionado no ( Isaías 40:22), onde ele fala de Deus "mora acima do círculo da terra", que significa um círculo literal, a partir da palavra hebraica "chuwg". No entanto, em Is 22:18, a palavra "duwr" é usado para descrever uma bola. Isto parece estar em conflito com a visão de mundo babilônico. Jó 26: 7 afirma que Deus estava "pendurada a terra sobre o nada" e mesmo versículo também descreveu o norte (da Terra) como paira sobre nada também. O não-canônico Livro de Enoque apresenta um conceito em que o Sol ea Lua se mover dentro e fora da cúpula Firmament através de uma série de aberturas (refletindo o movimento aparente das suas nascer eo pôr ao longo do ano). Isto é explicado em detalhes consideráveis no seguinte trecho:

"Este é o primeiro mandamento dos luminares: O sol é uma luminária cuja saída é uma abertura do céu, que é (localizado) em direcção a leste, e cujo ingresso é (mais) uma abertura dos céus, (localizado) em . a oeste Vi seis aberturas através das quais o sol nasce e seis aberturas através das quais ele define a lua nasce e se põe também através das mesmas aberturas, e eles são guiados pelas estrelas;. juntamente com as pessoas que elas levam, eles são seis em o leste e seis no céu a oeste. Todos eles (são organizados) um após o outro em uma ordem constante. Há muitas janelas (ambos), à direita e à esquerda destas aberturas. Primeiro sai a grande luz cujo nome é o sol, sua circularidade é como o arredondamento do céu; e é totalmente preenchido com luz e calor O carro em que ele sobe é (impulsionado por) o vento soprando O sol se põe no céu (no oeste).. e retorna pelo nordeste, a fim de ir para o leste, é guiado para que ele deve chegar ao portão oriental e brilhar na face do céu "(1 Enoque 72: 2-5).

Antiguidade Clássica

Por tempos clássicos a idéia de que a Terra era esférica começou a se firmar na Grécia Antiga . Pitágoras no século 6 aC, aparentemente por razões estéticas, declarou que todo o corpos celestes eram esféricas. No entanto, a maioria Presocratic Pitagóricos consideravam o mundo para ser plana. De acordo com Aristóteles , filósofos pré-socráticos, incluindo Leucipo (c. 440 aC) e Demócrito (c. 460-370 aC) acreditava em uma Terra plana. Anaximandro acreditava que a Terra para ser um cilindro curto com uma parte superior plana circular que se manteve estável, porque é a mesma distância de todas as coisas. Tem sido sugerido que os marítimos provavelmente forneceram a primeira evidência de observação que a Terra não era plana.

Por volta de 330 aC, Aristóteles fornecida evidência observacional para a Terra esférica, observando que os viajantes indo para o sul ver sul constelações subir mais alto acima do horizonte. Ele argumentou que isso só foi possível se o seu horizonte era em um ângulo de horizonte 'nortistas e, portanto, a superfície da Terra não poderia ser plana. Ele também observou que a fronteira da sombra da Terra na Lua durante a fase parcial de um eclipse lunar é sempre circular, não importa o quão alta a Lua está no horizonte. Apenas uma esfera lança uma sombra circular em todas as direções, enquanto um disco circular lança uma elíptica sombra em todas as direções para além de diretamente acima e logo abaixo. Escrevendo em torno de 10 aC, o geógrafo grego Estrabão citou vários fenômenos observados no mar como sugerindo que a Terra era esférica. Ele observou que as luzes elevadas ou áreas de terra eram visíveis aos marinheiros em distâncias maiores do que aqueles que eram menos elevados, e afirmou que a curvatura do mar era obviamente responsável por isso. Ele também observou que os observadores podem ver ainda mais quando seus olhos são elevados, e citou uma linha do Odyssey como indicando que o poeta Homero já estava ciente disso tão cedo quanto o sétimo ou oitavo século BC.

O terrestre circunferência foi determinada pela primeira vez em torno de 240 aC por Eratóstenes. Eratóstenes sabia que, Syene, no Egito , o Sol estava a pino no verão solstício, enquanto ele estimou que uma sombra do Sol em Alexandria foi de 1/50 de um círculo. Ele estimou que a distância de Syene para Alexandria como 5000 estádios, e estimou a circunferência da Terra foi de 250.000 estádios e um grau era de 700 estádios (implicando uma circunferência de 252 mil estádios). Eratóstenes usado estimativas aproximadas e números arredondados, mas, dependendo do comprimento do Estádio, o resultado está dentro de uma margem de entre 2% e 20% da circunferência efectiva, 40,008 km. Note que Eratóstenes só podia medir a circunferência da Terra, assumindo que a distância até o Sol é tão grande que os raios de luz solar são essencialmente paralelo. Uma medida semelhante, relatou em um tratado matemático chinês, o suanjing Zhoubi (1ª c. AC), foi utilizado para medir a distância para os Sun- embora assumindo que a Terra era plana.

Lucrécio (1º. C. AC) se opôs ao conceito de uma Terra esférica, porque ele considerou a idéia de Antipodes absurdo. Mas por volta do século 1 dC, Plínio, o Velho estava em posição de afirmar que todos concordam com a forma esférica da Terra, embora continuou a haver disputas sobre a natureza dos antípodas, e como é possível manter o oceano em uma forma curva. Plínio também considera a possibilidade de uma esfera imperfeito ", em forma de pinha ".

No século Segundo o astrônomo alexandrino Ptolomeu avançaram muitos argumentos para a esfericidade da Terra. Entre eles estava a observação de que quando navegando em direção as montanhas , eles parecem surgir do mar, o que indica que eles estavam escondidos pela superfície curva do mar. Ele também dá argumentos distintos que a Terra é curva norte-sul e que é curvo leste-oeste. Ptolomeu derivou seus mapas a partir de um globo curvo e desenvolveu o sistema de latitude , longitude e climas. Seus escritos manteve a base do Europeu astronomia em toda a Idade Média , embora Antiguidade Tardia ea Alta Idade Média (ca. terceira-setima séculos) viu argumentos ocasionais em favor de uma Terra plana.

Na Antiguidade tardia, tais como amplamente lido enciclopedistas Macrobius (quarto c.) E Marciano Capella (5 c.) Discutiu a circunferência da esfera da Terra, sua posição central no universo, a diferença das estações em norte e hemisférios sul, e muitos outros detalhes geográficos. Em seu comentário sobre Cícero Sonho de Cipião, Macrobius descreveu a Terra como um globo de tamanho insignificante em comparação com o resto do cosmos.

?ndia

Desde a antiguidade, uma visão cosmológica prevaleceu na ?ndia que segurava a Terra para consistem em quatro continentes agrupados em torno da montanha central Meru como as pétalas de uma flor; em torno desses continentes era o oceano exterior. Este ponto de vista foi elaborado de forma tradicional Cosmologia budista, que retrata o mundo como um grande disco, plana oceânica (da magnitude de um pequeno sistema planetário), delimitado por montanhas, em que os continentes são definidas como pequenas ilhas. No centro deste disco é a imensa Mount Sumeru, o pivô do mundo, em torno do qual as estrelas, o sol, ea lua giram; a mudança de dia e de noite é causada pela ocultação do Sol por esta montanha. Este mundo é apenas um de um número infinito de mundos semelhantes, que se estendem em todas as direcções.

China e do Extremo Oriente

Na China antiga , a crença predominante era de que a Terra era plana e quadrada, enquanto os céus eram redondos, uma suposição que permaneceu dominante até a introdução da astronomia europeia no século 17.

No Dinastia Han (202 aC-220 dC), texto do Da Dai Li Ji (大戴禮記) (Registros de Matters Ritual por Dai Senior), ele cita o mais cedo Zeng Shen (505 aC-436 aC) em resposta a uma pergunta de Shanchu Li, admitindo que era difícil conceituar a visão chinesa ortodoxa dos quatro cantos da terra e como eles poderiam ser devidamente cobertos. Conjecturas anteriores que Zhang Heng (78-139 dC) a teoria de que o universo tinha a forma oval de um ovo de galinha, ea própria terra era como a gema curvo dentro, foram refutadas pelo Inglês sinólogo Cullen:

Em uma passagem de Cosmogonia de Zhang Heng não traduzido por Needham, o próprio Chang diz: "O céu leva o seu corpo a partir do Yang, por isso é redonda e no movimento da Terra leva o seu corpo a partir do Yin, por isso é plana e de repouso.". O ponto da analogia ovo é simplesmente de salientar que a terra está completamente fechado pelo céu, em vez de simplesmente coberto de cima como o kai t'ien descreve. Astrônomos chineses, muitos deles homens brilhantes por quaisquer normas, continuou a pensar em termos de terra plana até o século XVII; este fato surpreendente pode ser o ponto de partida para um re-exame da aparente facilidade com que a idéia de uma terra esférica encontrado aceitação no século V aC Grécia.

No século 17, devido à influência do Jesuítas, que ocupavam altos cargos como os astrônomos na corte chinesa, a idéia de um spread terra esférica em chinês. Assim, logo após o colapso da Dinastia Ming , o tratado Ge Chi Cao de Xiong Ming-yu foi escrito (1648 dC), e mostrou uma foto impressa da terra como um globo esférico, com o texto afirmando que "O Round Earth, certamente, não tem cantos quadrados". O texto também apontou que barcos a vela poderia retornar ao seu porto de origem após a circunavegar as águas da terra. Xiong Ming-yu, a fim de convencer a classe de elite de sua época, harkened volta às idéias dos teóricos Hun Tian para defender suas idéias, com a terra 'redonda como uma bala besta' ('ru yuan dan wan').

A influência do mapa é tipicamente ocidentais, como mapas tradicionais da cartografia chinesa realizada a formatura da esfera em 365,25 graus, enquanto a graduação ocidental era de 360 graus. Também de interesse notar está de um lado do mundo, observa-se elevando Pagodes chineses, enquanto no lado oposto (upside-down), houve Europeia catedrais. Influência ocidental de geográfica conhecimento foi usado por Xiong para impor o que ele acreditava já havia sido defendido por astrônomos chineses anteriores. No entanto, o sinólogo francês Jean-Claude Martzloff considera que isto é uma interpretação retrospectiva:

Astronomia europeia foi muito julgado digno de consideração que inúmeros autores chineses desenvolveram a idéia de que os chineses da antiguidade havia antecipado a maioria das novidades apresentadas pelos missionários como descobertas europeus, por exemplo, a rotundidade da terra eo modelo de veículo "celeste estrela esférica . "Fazendo uso hábil de filologia, esses autores inteligentemente reinterpretados das maiores obras técnicas e literárias da antiguidade chinesa. Deste surgiu uma nova ciência inteiramente dedicado à demonstração da origem chinesa da astronomia e mais geralmente de toda a ciência e tecnologia europeias.

Em um trabalho mais recente revisão de hipóteses de Needham, o Inglês estudioso Cullen enfatiza o ponto que não havia realmente nenhum conceito de uma terra redonda em astronomia antiga chinesa:

Um século mais tarde Chiang Chi tentou enfrentar a objeção com uma hipótese de propagação curvilínea de luz ao longo da esfera celeste. Aqui, se em tudo, poderíamos esperar encontrar alguma referência à esfericidade da terra, mas, como já referimos, astronomia chinesa mostra nenhum traço dessa idéia.

Igreja Cristã Primitiva

A partir de Antiguidade Tardia, e desde o início da A teologia cristã, o conhecimento da esfericidade da Terra tornou-se generalizada. Houve algum debate sobre a possibilidade de os habitantes dos antípodas: as pessoas imaginavam como separadas por um tórrido intransitáveis clime eram difíceis de conciliar com a visão cristã de uma raça humana unificada descendentes de um casal e redimido por um único Cristo.

Santo Agostinho (354-430) argumentou contra assumindo as pessoas habitavam as antípodas:

Mas, como a fábula que há Antipodes, isto é, os homens no lado oposto da terra, onde o sol nasce quando se põe a nós, homens que andam com seus pés os nossos opostos, que está em nenhum fundamento credível. E, de fato, não é afirmar que esta foi aprendido pelo conhecimento histórico, mas por conjectura científica, com o fundamento de que a Terra está suspenso dentro da concavidade do céu, e que tem tanto espaço por um lado dele como no outro: portanto, eles dizem que a parte que está abaixo também devem ser habitada. Mas eles não observar que, embora se supor ou cientificamente demonstrado que o mundo é de uma rodada e forma esférica, mas isso não quer dizer que o outro lado da terra está nua de água; nem mesmo, ainda que seja descoberto, segue-se imediatamente que é povoado.

Uma vez que essas pessoas teriam de ser descendente de Adam, eles teriam que viajar para o outro lado da Terra em algum ponto; Agostinho continua:

É demasiado absurdo dizer, que alguns homens poderia ter tomado navio e atravessou todo o vasto oceano, e cruzou a partir deste lado do mundo para o outro, e que, portanto, até mesmo os habitantes daquela região distante são descendentes de que um primeiro homem .

Estudiosos da obra de Agostinho têm tradicionalmente assumido que ele teria compartilhado a visão comum dos seus contemporâneos instruídos de que a Terra é esférica. Essa hipótese vem sendo questionada, no entanto.

Alguns autores e artistas menos proeminentes na história da Igreja opõe diretamente a Terra redonda. Depois de sua conversão ao cristianismo, Lactantius (245-325) tornou-se um crítico mordaz de toda a filosofia pagã. No Livro III do Divino Institutos ele ridiculariza a noção de que poderia haver habitantes das antípodas ", cujos passos são maiores do que suas cabeças". Depois de apresentar alguns argumentos que alega defensores de um céu e da terra esférica tinha avançado para apoiar seus pontos de vista, ele escreve:

Cosmas Indicopleustes 'visão de mundo - terra plana em um Tabernáculo.

Mas se você perguntar de quem defende estas ficções maravilhosas, porque todas as coisas não caem em que parte inferior do céu, eles respondem que tal é a natureza das coisas, que os corpos pesados são suportados para o meio, e que todos eles são Juntaram-se em direção ao meio, como podemos ver raios de uma roda; mas que os corpos, que são leves, como neblina, fumaça e fogo, são suportados fora do meio, de forma a buscar o céu. Eu estou em uma perda o que dizer respeitando aqueles que, quando eles têm uma vez cometeu um erro, constantemente perseverar em sua loucura, e defender uma coisa vã por outro;

Em suas homilias relativa aos Estatutos St. João Crisóstomo (344-408) explicitamente defendida a idéia, com base em sua leitura das Escrituras, que a Terra flutuando sobre as águas recolhidas abaixo do firmamento, e Santo Atanásio (c.293-373) expressaram opiniões semelhantes em contra os pagãos, embora em contexto, ele está claramente falando das massas de terra da terra flutuando sobre o oceano. Como ele suporta a suposição no capítulo 27 que o Sol gira em torno da Terra, este é improvável que seja o suporte para uma Terra plana. Diodoro de Tarso (. 394 d) também defendeu uma Terra plana com base em escrituras; no entanto, a opinião de Diodoro sobre o assunto nos é conhecido somente por uma crítica a ele por Photius. Severian, Bispo de Gabala (. D 408), escreveu: "A terra é plana e que o sol não passar debaixo dela, à noite, mas viaja através das partes do norte como se escondido por um muro". O monge egípcio Cosmas Indicopleustes (547) em sua Topographia Christiana, onde a Arca da Aliança foi a intenção de representar todo o universo, argumentou em bases teológicas que a Terra era plana, paralelogramo delimitado por quatro oceanos.

Pelo menos um escritor cristão primitivo, Basílio de Cesaréia (329-379), acredita que o assunto era teologicamente irrelevante.

Na Idade Média

Europa Medieval Inicial

9o século diagrama cósmico Macrobian mostrando a esfera da Terra no centro, (globus terrae).
Século 12 T e O mapa que representa o mundo habitado, como descrito por Isidoro de Sevilha, em sua Etymologiae. (Capítulo 14, de terra et partibus).
12 descrição do século de uma terra esférica com as quatro estações (livro "Liber divinorum operum" por Hildegard de Bingen).

Com o fim da civilização romana, Europa Ocidental entrou na Idade Média com grandes dificuldades que afetaram a produção intelectual do continente. A maioria dos tratados científicos de antiguidade clássica (em grego ) não estavam disponíveis, deixando apenas resumos simplificados e compilações. Ainda assim, os livros didáticos dominantes da Idade Média adiantada apoiou a esfericidade da Terra. Por exemplo: muitos manuscritos medievais de Macrobius incluem mapas da Terra, incluindo os antípodas, mapas zonais mostram os climas ptolomaicos derivadas do conceito de uma Terra esférica e um diagrama que mostra a Terra (rotulado como globus terrae, a esfera da Terra) no centro das esferas planetárias hierarquicamente ordenados. Outros exemplos de tais esquemas medievais pode ser encontrada em manuscritos medievais do Sonho de Cipião. No Época carolíngia, estudiosos discutiram a visão de Macrobius dos antípodas. Um deles, o monge irlandês Dungal, afirmou que o fosso entre a nossa região tropical habitável e outra região habitável para o sul foi menor do que Macrobius tinha acreditado.

Vista da Europa da forma da Terra em Antiguidade Tardia ea Alta Idade Média pode ser melhor expressa pelos escritos de estudiosos cristãos:

  • Boécio (c 480 -. 524), que também escreveu um tratado teológico sobre a Trindade, repetiu o modelo Macrobian da Terra como um ponto insignificante no centro de um cosmos esférico em seu influente, e amplamente traduzida, Consolação da Filosofia .
  • Bishop Isidoro de Sevilha (560-636) ensinado em sua enciclopédia amplamente leitura, o Etimologias, que a Terra era redonda. Seu significado era ambíguo e alguns escritores acho que ele se referia a uma Terra em forma de disco; seus outros escritos deixar claro, porém, que ele considerava a Terra para ser globular. Ele também admitiu a possibilidade de as pessoas que habitam nas antípodas, considerando-os como lendário e observando que não havia nenhuma evidência para sua existência. Analogia em forma de disco de Isidoro continuou a ser usado durante a Idade Média por autores que favorecem claramente uma Terra esférica, por exemplo, o bispo do século 9 Rábano Mauro, que comparou a parte habitável do hemisfério norte ( Aristóteles clima temperado do norte 's) com uma roda, imaginado como uma fatia de toda a esfera.
  • O monge Bede (c.672 - 735) escreveu em seu influente tratado sobre computus, o cálculo do tempo, que a Terra era redonda, explicando o comprimento desigual da luz do dia a partir de "a redondeza da Terra, para não sem razão é chamado de" o orbe do mundo "nas páginas da Sagrada Escritura e de comum literatura. É, de facto, definida como uma esfera no meio de todo o universo. " ( De temporum ratione, 32). O grande número de manuscritos sobreviventes de o cálculo do tempo, copiado para atender a Exigência carolíngia que todos os sacerdotes devem estudar a computus, indica que muitos, se não a maioria, os sacerdotes foram expostos à idéia da esfericidade da Terra. Ælfric de Eynsham parafraseado Bede em Inglês Antigo , dizendo "Agora redondeza da Terra ea órbita do Sol constituem o obstáculo para o dia fazendo igualmente longa em todas as terras."
  • Bishop Vergilius de Salzburgo (c.700 - 784) é algumas vezes citado como tendo sido perseguidos por ensinar "uma doutrina perversa e pecadora ... contra Deus e contra a sua própria alma" sobre a esfericidade da Terra. Papa Zacarias decidiu que "se ele deve ser claramente estabelecido que ele professa a crença em um outro mundo e outras pessoas existentes debaixo da terra, ou em outro sol e da lua lá, tu és para realizar um conselho, e privá-lo de sua posição na hierarquia sacerdotal, e expulsá-lo da igreja. " A questão envolvida não era a esfericidade da Terra em si, mas se as pessoas que vivem nas antípodas não eram descendentes de Adão e, portanto, não estavam na necessidade de redenção. Vergilius conseguiu libertar-se de que a carga; mais tarde ele se tornou um bispo e foi canonizado no século XIII.

A indicação não-literária, mas gráfico que as pessoas na Idade Média acreditavam que a Terra era uma esfera, é o uso do orbe ( globus cruciger) no regalia de muitos reinos e do Sacro Império Romano. Atesta-se a partir da época do imperador romano cristão late- Teodósio II (423) durante a Idade Média; o Reichsapfel foi utilizado em 1191 na coroação de imperador Henry VI.

Um estudo recente de conceitos medievais da esfericidade da Terra observou que "desde o século VIII, não cosmógrafo digno de nota foi posta em causa a esfericidade da Terra." No entanto, o trabalho destes intelectuais não pode ter tido uma influência significativa sobre a opinião pública, e é difícil dizer o que a população em geral pode ter pensado da forma da Terra, se eles consideravam a questão em tudo.

Europa Medieval mais tarde

Imagem de uma edição 1550 de Na esfera do mundo, o mais influente astronomia livro do século 13.
Ilustração da Terra esférica em uma cópia do século 14 de L'du monde Imagem (cerca de 1246).
John Gower se prepara para filmar o mundo, uma esfera com compartimentos representando terra, ar e água ( Vox Clamantis, por volta de 1400).

Alguns historiadores consideram que os primeiros defensores da Terra plana foram influentes (vista do século 19 tipificado por Andrew Dickson White); outros que eles eram relativamente sem importância (tipificados por Estudos Religiosos Scholar Jeffrey Burton Russell na década de 1990) no final da Idade Média.

Até o século 11 a Europa tinha aprendido de Astronomia islâmica. O Renascimento do século 12 a partir de cerca de 1070 iniciou uma revitalização intelectual da Europa com fortes filosóficas e científicas raízes, e aumento do apetite para o estudo da natureza. Registros abundantes sugerem que, em seguida, os europeus geralmente acreditavam que a Terra era esférica.

Hermannus Contractus (1013-1054) foi um dos primeiros estudiosos cristãos para estimar a circunferência da Terra com Método de Eratóstenes. Tomás de Aquino (1225-1274), o teólogo mais importante e amplamente ensinada da Idade Média, acreditava em uma Terra esférica; e ele mesmo levou para concedidos a seus leitores também sabia que a Terra é redonda. Palestras no universidades medievais comumente avançada evidência em favor da ideia de que a Terra era uma esfera. Além disso, " Na esfera do mundo ", o mais influente astronomia livro do século 13 e leitura obrigatória pelos alunos em todas as universidades da Europa Ocidental, descreveu o mundo como uma esfera. Tomás de Aquino, em seu Summa Theologica, escreveu: "O físico prova a terra para ser rodada por um meio, o astrônomo por outro: para o último prova isso por meio da matemática, por exemplo, pelas formas de eclipses, ou algo do tipo, enquanto o ex-prova -lo por meio da física, por exemplo, o movimento dos corpos pesados para o centro, e assim por diante ".

A forma da Terra não só foi discutida em trabalhos acadêmicos escritos em latim ; foi também tratada em obras escritas em vernáculo línguas ou dialectos e destina-se a um público mais vasto. O livro norueguês Konungs Skuggsjá, de cerca de 1250, afirma claramente que a Terra é redonda - e que é a noite do outro lado da Terra quando é dia na Noruega. O autor também discute a existência de antípodas - e ele observa que eles (se existirem) verá o Sol no norte do meio do dia, e que eles terão estações opostas das pessoas que vivem no Hemisfério Norte.

Dante Divina Comédia, a última grande obra da literatura da Idade Média, escrito em italiano, retrata a Terra como uma esfera, discutindo as implicações, tais como as diferentes estrelas visíveis no hemisfério sul, a posição alterada do sol , e os vários fusos horários da Terra. Além disso, o Elucidarium de Honório Augustodunensis (c. 1120), um manual importante para a instrução de menor clero que foi traduzido para Inglês Médio, Francês velho, Alemão alto médio, Velha do russo, Holandês Médio, Old Norse, Islandês, Espanhol e vários dialetos italianos, refere-se explicitamente a uma Terra esférica. Da mesma forma, o facto de Bertold von Regensburg (mid-13th século) usou a Terra esférica como um ilustração sermão mostra que ele poderia assumir esse conhecimento entre sua congregação. O sermão foi realizada no alemão vernacular e, portanto, não estava destinado a um público aprendeu.

Reinhard Krüger, um professor de literatura romance na Universidade de Stuttgart (Alemanha), descobriu mais de 100 medievais escritores latinos e vernaculares - 79 conhecido pelo nome - da antiguidade tardia ao século 15 que estavam todos convencidos de que a Terra era redonda como uma bola:

Autores entre a Antiguidade tardia e viagem de Colombo (1492), que defendeu uma terra esférica:

  • Reis e políticos

Brunetto Latini, Rei visigodo Sisebut, rei Alfred dos anglo-saxões , Afonso X de Castela

  • Padres da Igreja, papas, bispos, sacerdotes, membros de ordens religiosas

Basílio de Cesareia, Ambrósio de Milão, Aurelius Augustinus , Paulus Orosius, Jordanes, Cassiodoro, Isidoro de Sevilha, Beda Venerabilis , Theodulf de Orléans, Vergilius de Salzburgo, Irish monge Dicuil, Rábano Mauro, Remigius de Auxerre, Johannes Scotus Erígena, Leo de Nápoles, Gerbert d'Aurillac (Papa Silvestre II), Notker o alemão de Sankt-Gallen, Hermann os coxos, Hildegard von Bingen, Petrus Abaelardus, Honório Augustodunensis, Gautier de Metz, Adam de Bremen, Albertus Magnus, Tomás de Aquino , Berthold de Regensburg, Meister Eckhart, Enea Silvio Piccolomini (Papa Pio II)

  • Teólogos, filósofos e enciclopedistas

Ampelius, Chalcidius, Macrobius, Marciano Capella, Boécio, Guilherme de Conches, Philippe de Thaon, Abu-Idrisi, Bernardus Silvestris, Petrus Comestor, Thierry de Chartres, Gautier de Châtillon, Alexander Neckam, Alain de Lille, Averroes, Moshe ben Maimon, Lambert de Saint-Omer, Gervásio de Tilbury, Robert Grosseteste, Johannes de Sacrobosco, Thomas de Cantimpré, Peire de Corbian, Vicente de Beauvais, Robertus Anglicus, Juan Gil de Zamora, Perot de Garbelei, Roger Bacon, Ristoro d'Arezzo, Cecco d'Ascoli, Fazio degli Uberti, Levi ben Gerson, Konrad de Megenberg, Nicole Oresme, Petrus Aliacensis, Alfonso de la Torre, Toscanelli

  • Poetas, viajantes, impressoras, marítimos, comerciantes

Snorri Sturluson, Marco Polo , Dante Alighieri , Brochard o alemão, Jean de Meung, Jean de Mandeville, Christine de Pisano, Geoffrey Chaucer , William Caxton, Martin Behaim, Christopher Columbus

Português exploração da ?frica e da ?sia , Columbus viagem para as Américas (1492) e, finalmente, Fernão de Magalhães circum-navegação da Terra (1519-1521) 's forneceu os, provas práticas finais para a forma global da terra.

Mundo Islâmico

Por volta de 830 dC, Califa al-Mamun encomendou um grupo de astrônomos para medir a distância de Tadmur ( Palmyra) para al-Raqqah, na Síria moderna. Eles encontraram as cidades devem ser separados por um grau de latitude ea distância entre eles para ser 66 2/3 milhas e assim calculado a circunferência da Terra para ser 24 mil milhas (cerca de 38,6 mil quilômetros), um valor que difere das estimativas modernas por cerca de 3,6 %.

Muitos estudiosos muçulmanos declarado um acordo mútuo ( Ijma) que os corpos celestes são redondos, entre eles Ibn Hazm (d. 1069), Ibn al-Jawzi (d. 1200), e Ibn Taymiya (d. 1328). Ibn Taymiya disse: "Os corpos celestes são round-como é a declaração de astrônomos e matemáticos, que é também a declaração dos estudiosos do Islã". Abul-Hasan ibn al-Manaadi, Abu Muhammad Ibn Hazm, e Abul-Faraj Ibn Al-Jawzi disseram que os eruditos muçulmanos estão de acordo que todos os corpos celestes são redondos. Ibn Taymiyah também observou que Deus disse: "E Ele (Deus) é Quem criou a noite eo dia, o sol ea lua. Eles flutuam, cada um em um Falak." Ibn Abbas diz: "A Falaka como a de uma roda de giro." A palavra "Falak '(na língua árabe ) significa "aquilo que é redondo."

Os estudiosos muçulmanos que ocupavam a teoria da Terra redonda usou de forma impecavelmente islâmica, para calcular a distância e direção de qualquer ponto na Terra para Makkah (Meca) . Isto determinou a Qibla, direção ou muçulmano da oração. Matemáticos muçulmanos desenvolvido trigonometria esférica que foi utilizado nestes cálculos. Ibn Khaldun (d. 1406), em seu Muqaddimah, também identificou o mundo como esférica. A crença depois de estudiosos muçulmanos, como Suyuti (d. 1505), que a terra é plana representa um desvio a este parecer anterior.

Tempos modernos

Mito do Flat Earth

O equívoco comum que as pessoas antes da idade da exploração acreditava que a Terra era plana entrou no imaginário popular após a publicação de Washington Irving de A Vida e viagens de Cristóvão Colombo em 1828. Esta crença é repetida até mesmo em alguns livros didáticos amplamente lidos. Edições anteriores de Thomas Bailey The American Pageant stated that "The superstitious sailors [of Columbus' crew] ... grew increasingly mutinous...because they were fearful of sailing over the edge of the world"; however, no such historical account is known. Actually, sailors were probably among the first to know of the curvature of Earth from everyday observations, for example seeing how mountains vanish below the horizon on sailing far from shore.

O Flammarion xilogravura. Legenda da Flammarion traduz em " Um missionário medieval diz que encontrou o ponto onde o céu ea terra se encontram ... "

Durante o século 19, aromânticaconcepção de um "europeuIdade das Trevas "deu muito mais proeminência ao modelo Flat Earth do que jamais possuiu historicamente.

A xilogravura amplamente divulgado de um homem que pica sua cabeça através do firmamento de uma Terra plana para ver a mecânica das esferas, executado no estilo do século 16 não pode ser atribuída a uma fonte mais cedo do que de Camille Flammarion L'Atmosphère: Météorologie Populaire ( Paris, 1888, p. 163). A xilogravura ilustra a declaração no texto que um missionário medieval afirmou que "chegou ao horizonte, onde a Terra e os céus conheci", uma anedota que pode ser rastreada até Voltaire , mas não a qualquer origem medieval conhecida. Em sua forma original, a xilogravura incluiu uma borda decorativa que o coloca no século 19; em publicações posteriores, alguns alegando que a xilogravura datada do século 16, a fronteira foi removido. De acordo com a evidência anedótica Flammarion havia encomendado o próprio xilogravura; certamente nenhuma fonte da imagem mais cedo do que o livro de Flammarion é conhecido.

A Sociedade da Terra Plana

Final Frontier Voyager ou Sociedade da Terra Plana,George Grie

A última conhecido grupo de proponentes Flat Earth, a Sociedade da Terra Plana, manteve o conceito vivo e ao mesmo tempo reivindicado alguns milhares de seguidores. O último presidente da Sociedade, Charles K. Johnson, passou anos examinando os estudos das teorias de terras planas e redondas e provas proposta de uma conspiração contra Terra plana: "A idéia de um globo girando é apenas uma conspiração de erro que Moisés, Columbus, e FDR todos lutou ... "Seu artigo foi publicado na revista Science Digest , 1980. Ele prossegue, afirmando, "Se é uma esfera, a superfície de uma grande massa de água deve ser curvado. Os Johnsons ter verificado a superfícies de Lake Tahoe e do Mar Salton (um lago de sal raso no sul da Califórnia, perto da fronteira com o México) sem detectar qualquer curvatura ".

A Sociedade declinou na década de 1990 após um incêndio em sua sede na Califórnia ea morte de Charles K. Johnson, em 2001.

Outros criacionistas da Terra plana modernas

William Carpenter (1830-1896) publicou "Uma centena de provas a Terra não é um globo". Por exemplo, ele argumenta que "há rios que correm por centenas de milhas em direção ao nível do mar sem cair mais do que alguns pés - nomeadamente, o Nilo ., que, por mil milhas, cai mas um pé A extensão nível desta medida é bastante incompatível com a idéia de "convexidade" da Terra "; e que um aeróstata ao mais alto possível altitude verá o que parece ser uma superfície côncava "sendo este exactamente o que é de se esperar de uma superfície que é verdadeiramente nível, uma vez que é da natureza de superfícies planas para aparecer a subir para um nível com o olho do observador ".

Cientista Inglês Samuel Rowbotham (1816-1885), escrito sob o pseudônimo de "Parallax", publicou os resultados de muitos experimentos que testaram as curvaturas da água sobre lagos. Ele também produziu estudos que pretendia mostrar os efeitos de navios desaparecendo abaixo do horizonte pode ser explicado pelas leis da perspectiva em relação ao olho humano.

Ibn Baz controvérsia

Um jurista muçulmana moderna influente foi dito ter alegado que a terra é plana, e que qualquer um que nega este é um incrédulo. Abd-al-Aziz ibn Abd-Allah ibn Baaz (Ibn Baz), o Grande Mufti da Arábia Saudita , era um clérigo tradicionalmente educada que sofria de cegueira . Em 1993, ele se diz ter emitido uma fatwa, ou decreto religioso, declarando: "A Terra é plana. Quem afirma é redondo é um ateu merecedor de punição." Enquanto o edital teria causado constrangimento para muitos sauditas, Ibn Baz emitiu um comunicado afirmando que a Terra era esférica mas amplo o suficiente para ser plana e dizendo que ele "apenas" negado Rotação da Terra.

Partidários de Ibn Baz disse que o livro em que a alegação da Terra plana era suposto ter sido colocado para fora não existe, e que toda a controvérsia foi baseada em uma entrevista com jornalistas egípcios. Eles disseram que Ibn Baz, como ele esclareceu depois, estava se referindo à superfície de terra que nós andamos em ser plana embora ele acreditava que a Terra seja esférica. Em árabe , a mesma palavra é comumente usado tanto para a Terra, bem como do solo. O jornalista, não ter pago a atenção para essa distinção, citado erroneamente Ibn Baz e criou uma história; a história foi pego por um kuwaitiano revista ( Assiyasah ) e de lá se espalhou pelo mundo. Ibn Baz era um admirador e estudioso das obras de Ibn Taymiyyah, que não suportam a teoria da Terra plana.

Retirado de " http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Flat_Earth&oldid=227812202 "