Conteúdo verificado

Literatura Inglês Antigo

Informações de fundo

Os artigos desta seleção Escolas foram organizados por tópico currículo graças a voluntários Crianças SOS. Um link rápido para o patrocínio criança é http://www.sponsor-a-child.org.uk/

"Literatura Inglês Antigo" (por vezes referido como "literatura anglo-saxão") engloba literatura escrita em Inglês Antigo (também chamado de anglo-saxão) em Inglaterra anglo-saxã do século 7 às décadas após a conquista normanda de 1066. " Hino do Caedmon ", composta no século 7 de acordo com Bede, é muitas vezes considerado o mais antigo poema existente em Inglês, enquanto o poema mais tarde, a sepultura é um dos últimos poemas escritos em Inglês Velha, e apresenta um texto de transição entre a velha e Inglês Médio. Da mesma forma, a Parker Chronicle continua até o século 12.

O poema Beowulf, que muitas vezes começa a tradicional cânone da literatura Inglês, é a mais famosa obra de literatura Inglês Antigo. O Anglo-Saxon Chronicle também provou significante para o estudo histórico, preservando uma cronologia da história primitiva Inglês.

Em ordem de quantidade decrescente, literatura Inglês Old consiste em: sermões e as vidas dos santos, traduções bíblicas; traduzido obras latinas do início Padres da Igreja; Anglo-Saxon crônicas e obras de história narrativa; leis, testamentos e outras obras jurídicas; trabalhos práticos sobre gramática, medicina, geografia ; e poesia . Ao todo, são mais de 400 sobrevivo manuscritos do período, dos quais cerca de 189 são considerados "grandes".

Ao lado, a literatura Inglês Antigo, anglo-saxões escreveu uma série de Anglo-Latino funciona.

Bolsa de estudo

Literatura Inglês velho passou por diferentes períodos de investigação; nos séculos 20 e início dos anos 19 o foco foi sobre as raízes germânicas e pagãs que os estudiosos pensavam que podiam detectar na literatura Inglês Antigo. Mais tarde, por conta da obra de Bernard F. huppé, a influência dos Agostinianos exegese foi enfatizada. Hoje em dia, junto com um foco sobre paleografia e os próprios mais geralmente manuscritos físicos, acadêmicos debatem questões como namoro, local de origem, autoria, e as conexões entre cultura anglo-saxônica e no resto da Europa na Idade Média , e méritos literários.

Manuscritos existentes

O Peterborough crónica , num lado de cerca de 1150, é uma das principais fontes do Anglo-Saxon Chronicle; a página inicial

Um grande número de manuscritos permanecem do período anglo-saxão, com a maioria escritos durante os últimos 300 anos (9 a 11 séculos), em ambos os Latina e do vernáculo. Havia perdas consideráveis de manuscritos, como resultado do Dissolução dos Mosteiros, no século 16. Estudo acadêmico da língua começou no reinado de Rainha Elizabeth I , quando Matthew Parker e outros obtidos sejam quais forem manuscritos poderiam. Manuscritos ingleses velhos foram altamente apreciados pelos colecionadores desde o século 16, tanto pelo seu valor histórico e por sua beleza estética de letras uniformemente espaçados e elementos decorativos.

Existem quatro principais manuscritos poéticas:

  • O Junius manuscrito, também conhecido como o manuscrito Caedmon, é uma coleção ilustrada de poemas sobre narrativas bíblicas.
  • O Exeter livro, é uma miscelânea, localizado no Exeter Cathedral, uma vez que foi doado lá no século 11.
  • O Vercelli Livro, contém poesia e prosa; não se sabe como chegou a estar em Vercelli.
  • O Nowell Codex, também conhecido como o Beowulf Manuscrito, contém prosa e poesia, tipicamente lidar com temas monstruosos, incluindo Beowulf.

Sete grandes scriptoria produziu uma boa quantidade de manuscritos do Antigo Inglês: Winchester, Exeter, Worcester, Abingdon, Durham , e dois Canterbury casas, Christ Church e Santo Agostinho Abbey; dialetos regionais incluem: Northumbrian, Mércia, Kentish, Saxão ocidental (sendo o último o dialeto principal). Alguns Inglês Old sobrevive com pergaminho, pedra estruturas, e outros objetos ornamentados.

Inglês Old poesia

Nesta ilustração a partir da página 46 da Caedmon (ou Junius) manuscrito, um anjo aparece guardando os portões do paraíso.

Inglês Old poesia cai genericamente em dois estilos ou campos de referência, o heróico Germânico eo cristão. Com poucas exceções, quase todos poetas ingleses velhos são anônimos.

Embora existam discursos anglo-saxões sobre Latina prosódia, as regras de Old verso Inglês são compreendidos apenas através de análises modernas dos textos existentes. A primeira teoria amplamente aceita foi construído por Eduard Sievers (1893)., Que distinguiu cinco distinta padrões aliterativos. Teorias alternativas foram propostas; a teoria de John C. Papa (1942), que usa a notação musical para rastrear os padrões verso, foi aceite em alguns setores, e é muito debatido.

O entendimento mais popular e bem conhecido de Inglês Antigo poesia continua a ser Sievers verso aliterativo . O sistema baseia- sotaque, aliteração, a quantidade de vogais, e os padrões de acentuação silábica. É composto de cinco permutações em um esquema versículo base; qualquer um dos cinco tipos podem ser utilizados em qualquer verso. O sistema foi herdado e existe em uma ou outra forma em todos os mais velhos Línguas germânicas. Duas figuras poéticas comumente encontrados em Inglês Antigo poesia são o kenning, uma frase frequentemente estereotipada que descreve uma coisa em termos de outra (por exemplo, Beowulf, o mar é chamada a estrada de baleia) e litotes, um eufemismo dramático empregado pelo autor para efeito irônico.

fyrene feond fremman em helle.
("Para perpetrar tormento, demônio do inferno.")
- Beowulf, linha 101

Mesmo que todos existente poesia Inglês Antigo é escrito e alfabetizados, presume-se que o Inglês Old poesia era um ofício oral que foi pré-formada por um SCOP e acompanhado por um harpa.

Poetas nomeados

A maioria dos poetas ingleses velhos são anónimos, e somente quatro nomes são conhecidos com certeza: Caedmon , Bede , Alfred, o Grande , e Cynewulf.

Caedmon é considerado o primeiro poeta Inglês Antigo, cujo trabalho ainda sobrevive. De acordo com o relato de Bede 's Historia ecclesiastica, ele viveu na abadia de Whitby em Northumbria, no século sétimo. Apenas seu primeiro poema, que compreende nove linhas, Hino de Caedmon, permanece, embora em versões Northumbrian, Oeste-saxões e latinos que aparecem em 19 manuscritos sobreviventes:

Agora vamos louvar o Guardião do Reino dos Céus
o poder do Criador eo pensamento de sua mente,
a obra do Pai glorioso, como Ele, o Senhor eterno
estabelecido no início de cada maravilha.
Para os filhos dos homens, Ele, o Criador Santo
primeiro fez o céu como um telhado, em seguida, o
Keeper da humanidade, o Senhor eterno
Deus Todo-Poderoso depois fez o mundo meio
a terra, para os homens.
- (Caedmon, Hino, St Petersburg Bede)

Bede é muitas vezes pensado para ser o poeta de um poema de cinco linhas direito de Beda Death Song, por conta de sua aparência em uma carta sobre a sua morte por Cuthbert. Este poema existe em um Northumbrian e versão posterior.

Alfred é dito ser o autor de alguns dos prefácios métricos para as traduções para o inglês velho da Pastoral de Gregory e Consolation de Filosofia de Boécio. Alfred também é pensado para ser o autor de 50 salmos métricos, mas se os poemas foram escritos por ele, sob sua direção ou patrocínio, ou como uma parte geral em seus esforços de reforma é desconhecido.

Cynewulf tem provado ser uma figura difícil de identificar, mas a pesquisa recente sugere que ele era desde o início do século 9 ao qual um número de poemas são atribuídos incluindo o destino dos Apóstolos e Elene (ambos encontrados no Livro Vercelli), e Cristo II e Juliana (ambos encontrados no Livro de Exeter).

Embora William de Malmesbury afirma que Aldhelm, bispo de Sherborn (d. 709), realizada canções seculares enquanto acompanhado por uma harpa, nenhum destes poemas ingleses velhos sobrevive. Paul G. Remely propôs recentemente que o Inglês Antigo Êxodo pode ter sido obra de Aldhelm, ou alguém intimamente associado com ele.

Poemas heróicos

Página remontado a partir de Beowulf, British Library Cotton Vitélio A.XV
Primeira página de Beowulf, contidas no Codex danificado Nowell.

A poesia Inglês Antigo que recebeu o maior número de ofertas de atenção com o passado heróico Germânico. A mais longa (3182 linhas), e mais importante, é Beowulf, que aparece na danificado Nowell Codex. O poema conta a história do lendário Geatish herói Beowulf, que é o personagem-título. A história se passa em Escandinávia, na Suécia e Dinamarca , eo conto da mesma forma, provavelmente é de origem escandinava. A história é biográfico e define o tom para grande parte do resto do Inglês Antigo poesia. Alcançou Status da epopeia nacional, no mesmo nível que o Ilíada, e é de interesse para os historiadores, antropólogos, críticos literários, e estudantes do mundo inteiro.

Outros poemas heróicos além de Beowulf existem. Dois sobreviveram em fragmentos: A luta pelo Finnsburh, controversamente interpretado por muitos como uma releitura de uma das cenas de batalha em Beowulf, e Waldere, uma versão dos acontecimentos da vida de Walter de Aquitaine. Dois outros poemas mencionar figuras heróicas: Widsith se acredita ser muito antigo em partes, que remonta a acontecimentos no século 4, relativo Eormanric eo Godos, e contém um catálogo de nomes e lugares associados com ações valentes. Deor é uma letra, no estilo de consolação da filosofia , exemplos de aplicação de heróis famosos, incluindo Weland e Eormanric, ao caso do próprio narrador.

O Anglo-Saxon Chronicle contém vários poemas heróicos inseridos por toda parte. A primeira é chamada a partir de 937 A batalha de Brunanburh, que celebra a vitória do rei Athelstan sobre os escoceses e noruegueses. Há cinco poemas mais curtos: captura da Cinco Vilas (942); coroação Rei Edgar (973); morte do Rei Edgar (975); morte de Alfred o filho do rei Æthelred (1036); ea morte do rei Eduardo, o Confessor (1065).

O poema linha 325 A Batalha de Maldon comemora Conde Byrhtnoth e seus homens que caíram em batalha contra o Vikings em 991. Ele é considerado um dos melhores, mas ambos o início eo fim estão em falta eo único manuscrito foi destruído em um incêndio em 1731. Um discurso bem conhecido está perto do final do poema:

O pensamento deve ser o mais difícil, o coração o mais aguçada, coragem maior, como nossa força diminui.
Aqui está o nosso líder tudo cortada, o homem valente na poeira;
sempre que ele pode lamentar que agora acha a afastar-se este warplay.
Eu sou velho, eu não vou ir embora, mas eu pretendo deitar-se ao lado de meu senhor, pelo homem tanto amava.
- Batalha de Maldon

Inglês Old poesia heróica foi proferida oralmente de geração em geração. Como o cristianismo começou a aparecer, re-escrutinadores muitas vezes reformular os contos do cristianismo nas histórias heróicas mais velhos.

Poesia elegíaca

Relacionada com os contos heróicos são uma série de curtos poemas do Exeter Livro que têm vindo a ser descrito como "elegias" ou "poesia sabedoria". Eles são lírico e Boethian em sua descrição do cima e para baixo fortunas de vida. Gloomy no humor é A Ruína, que fala da decadência de uma cidade outrora gloriosa de Roman Grã-Bretanha (cidades na Grã-Bretanha entrou em declínio depois que os romanos partiram no início do século 5, como o início de Inglês continuou a viver sua vida rural) e The Wanderer, em que um homem mais velho fala sobre um ataque que aconteceu em sua juventude, onde seus amigos próximos e parentes foram mortos; memórias do abate permaneceram com ele toda a sua vida. Ele questiona a sabedoria da decisão impetuosa de envolver uma força de combate, possivelmente superiores: o homem sábio se envolve na guerra para preservar a sociedade civil, e não deve apressar-se em batalha, mas buscar aliados quando as probabilidades pode ser contra ele. Este poeta encontra pouca glória em bravura pelo amor de bravura. O Marinheiro é a história de um exílio sombrio de casa sobre o mar, a partir do qual a única esperança de redenção é a alegria do céu. Outros poemas sabedoria incluem Wulf e Eadwacer, Lament da esposa, e Mensagem do marido. Alfred, o Grande escreveu um poema sabedoria ao longo de seu reinado vagamente baseado na filosofia neoplatônica de Boécio chamou a Estabelece de Boécio.

Poesia clássica e latina

Vários poemas ingleses velhos são adaptações de textos filosóficos clássicos tardios. O mais longo é uma tradução do século 10 de Boécio consolação da filosofia contida na Manuscrito Cotton Otho A.vi. Outra é O Phoenix no Livro Exeter, um allegorisation do De Phoenice av por Lactantius.

Outros poemas curtos derivam do latim tradição bestiário. Alguns exemplos incluem O Panther, The Whale e The Partridge.

Charadas

Enigmas anglo-saxões são parte da literatura anglo-saxónica . O mais famoso anglo-saxão crivos são encontrados no Exeter Book. Este livro contém poemas seculares e religiosos e outros escritos, junto com uma coleção de 94 enigmas, embora haja especulações de que pode ter havido mais perto de 100 enigmas no livro. Os enigmas são escritas de uma forma semelhante, mas "é improvável que toda a coleção foi escrito por uma pessoa." É mais provável que muitos escribas trabalharam nesta coleção de enigmas. Embora o Livro Exeter tem uma coleção única e extensa de enigmas anglo-saxões, enigmas não eram incomuns durante esta época. Riddles foram cômico e obsceno.

Poesia cristã

Vidas de santos

O Vercelli Livro e Exeter Reserve conter quatro poemas longos narrativas de vidas de santos, ou hagiografia. Em Vercelli são Andreas e Elene e em Exeter são Guthlac e Juliana.

Andreas é 1722 linhas de comprimento e é o mais próximo dos sobreviventes poemas ingleses velhos para Beowulf em estilo e tom. É a história de Santo André e sua jornada para resgatar São Mateus do Mermedonians. Elene é a história de Santa Helena (mãe de Constantino ) e sua descoberta do Vera Cruz. O culto da Vera Cruz era popular na Inglaterra anglo-saxã e este poema foi fundamental.

Guthlac é na verdade dois poemas sobre Inglês São Guthlac (século 7). Juliana é a história da virgem mártir Juliana de Nicomédia.

Paráfrases bíblicas

Há um número de parcial Traduções Inglês da Bíblia Antigo e paráfrases sobreviver. O Junius manuscrito contém três paráfrases de textos do Antigo Testamento. Estes foram re-formulações de passagens bíblicas em Inglês Antigo, traduções não exatas, mas parafraseando, às vezes em bela poesia em seu próprio direito. A primeira e mais longa é de Genesis, o segundo é de Exodus eo terceiro é Daniel. O quarto e último poema, Que Cristo e Satanás, que está contida na segunda parte do manuscrito Junius, não parafrasear qualquer livro bíblico particular, mas reconta uma série de episódios, tanto do Antigo e do Novo Testamento.

O Nowell Codex contém uma paráfrase poética bíblica, que aparece logo após Beowulf, chamado Judith, uma releitura da história de Judith. Isto não deve ser confundido com Homilia do Ælfric Judith, que reconta a mesma história bíblica em prosa alliterative.

Traduções para o inglês velho de Salmos 51-150 foram preservadas, na sequência de uma versão em prosa dos primeiros 50 Salmos.

Há uma série de traduções verso do Gloria in Excelsis, o Oração do Senhor, ea Credo dos Apóstolos, assim como uma série de hinos e provérbios.

Poemas cristãos

Além de paráfrases bíblicas são uma série de poemas religiosos originais, principalmente lírica (não-narrativa).

O Livro Exeter contém uma série de poemas intitulado Cristo, seccionada em Cristo I, Cristo II e Cristo III.

Considerada uma das mais belas de todos os poemas ingleses velhos é Sonho do Rood, contida no Livro Vercelli. É uma visão de sonho de Cristo na cruz, com a cruz personificado, falando assim:

Eu suportou muito sofrimento-se naquela colina. Eu vi o Deus dos exércitos esticados para fora cruelmente. A escuridão tinha coberto de nuvens o corpo do Senhor, o esplendor brilhante. Uma sombra saiu, escuro debaixo dos céus. Todos choraram criação, lamentou a morte do rei. Cristo estava na cruz.
- Sonho do Rood

O sonhador resolve confiar na cruz, eo sonho termina com uma visão do céu.

Há uma série de poemas debate religioso. A mais longa é Cristo e Satanás no manuscrito Junius, que lida com o conflito entre Cristo e Satanás durante os quarenta dias no deserto. Outro poema debate é Solomon e Saturno, sobrevivendo em um número de fragmentos textuais, Saturno é retratado como um mágico debatendo com o rei sábio Solomon.

Outros poemas

Outras formas poéticas existir em Inglês Old incluindo adivinhas, versos curtos, gnomos, e poemas mnemônicos para lembrar longas listas de nomes.

O Livro Exeter tem uma coleção de noventa e cinco enigmas. Alguns deles jogar em interpretações obscenos do objeto descrito. As respostas não são fornecidos; alguns deles até hoje permanecem um enigma.

Há versos curtos encontrados nas margens dos manuscritos que oferecem conselhos práticos. Existem remédios contra a perda de gado, como lidar com um nascimento atrasado, enxames de abelhas, etc. O mais longo é chamado Nove Ervas encanto e é provavelmente de origem pagã. Outros versos semelhantes curtas, ou encantos, incluam Para um enxame de abelhas, Contra um anão, Færstice Wid, e contra um Wen.

Há um grupo de poemas mnemônicos projetados para ajudar a memorizar listas e sequências de nomes e para manter os objetos em ordem. Estes poemas são nomeados Menologium, Os Fates dos Apóstolos, O Rune poema, As Estações de jejum, ea As instruções para os cristãos.

Características específicas de anglo-saxão poesia

Símile e metáfora

Anglo-Saxon poesia é marcada pela raridade comparativa de símiles. Esta é uma característica particular de estilo verso anglo-saxão, e é uma conseqüência tanto da sua estrutura e da rapidez com que as imagens são implantados, para ser incapaz de apoiar eficazmente a simile expandida. Como exemplo disto, o épico Beowulf contém no máximo cinco símiles, e estes são de curto variedade. Isto pode ser contrastado nitidamente com a dependência forte e extensa que anglo-saxão poesia tem sobre metáfora, particularmente aquela proporcionada pelo uso de kennings. O exemplo mais proeminente deste em The Wanderer é a referência para a batalha como uma "tempestade de lanças". Esta referência à batalha nos dá uma oportunidade de ver como os anglo-saxões visto batalha: como imprevisível, caótico, violento, e talvez até mesmo uma função da natureza. É com estes elementos estilísticos e temáticos em mente, que um primeiro deve abordar anglo-saxão poesia.

Aliteração

Inglês velho poesia alliterates tradicionalmente, o que significa que um som (normalmente o som consoante inicial) é repetido ao longo de uma linha. Por exemplo, na primeira linha de Beowulf ", Hwæt Nós Gar-Dena |! Em marcha-dagum", (que significa "! Nós Lo ... of the Spear Danes em dias de outrora"), as palavras estressados Gar-Dena e artes-dagum aliterar sobre a consoante "L".

Cesura

Poesia Old Inglês, como outro verso aliterativo germânica velha, também é comumente marcado pelo cesura ou pausa. Além de definir o ritmo para a linha, a cesura também agrupados cada linha em dois dísticos.

Poesia Inglês Antigo e da tradição oral

As hipóteses de Milman Parry e Albert Senhor na Homérica Pergunta veio a ser aplicada (por Parry e Senhor, mas também por Francis Magoun) com o versículo escrito em Inglês Antigo . Isto é, a teoria propõe que certas características de pelo menos algumas das poesia pode ser explicada por postulando composição oral-estereotipada. Enquanto anglo-saxão (Inglês Antigo) poesia épica pode ter alguma semelhança com grego antigo épicos, como o Ilíada e Odisséia , a questão de se e como a poesia anglo-saxão foi transmitida através de uma tradição oral continua a ser um tema de debate, ea questão por qualquer poema especial improvável de ser respondida com certeza perfeita.

Parry e Senhor já tinha demonstrado a densidade das fórmulas métricas em grego antigo , e observaram que o mesmo fenômeno foi evidente na linha alliterative Inglês antiga:

Hrothgar mathelode leme Scildinga ("Hrothgar falou, protetor dos Scildings")
Beowulf mathelode bearn Ecgtheowes ("Beowulf falou, filho de Ecgtheow")

Além de fórmulas verbais, foram mostrados muitos temas a aparecer entre as várias obras da literatura anglo-saxão. A teoria propõe a explicar esse fato, sugerindo que a poesia era composto de fórmulas e temas de um tronco comum para a profissão poética, bem como passagens literárias compostas por artistas individuais em um sentido mais moderno. Larry Benson introduziu o conceito de "escrita à estereotipada" para descrever o estado de alguma poesia anglo-saxão que, apesar de comprovadamente escrito, contenha elementos de prova orais de influências, incluindo a forte dependência de fórmulas e temas mais freqüentes temas oral-fórmulas em Inglês Antigo poesia incluem "Beasts of Battle" e "Cliff of Death". O primeiro, por exemplo, é caracterizada pela menção de corvos, águias e lobos anteriores representações particularmente violentas de batalha. Entre os temas mais fartamente documentadas, é "The Hero on the Beach." DK Crowne proposto pela primeira vez este tema, definido por quatro características:

A Hero on the Beach.
"Lacaios." Acompanhamento
Uma luz piscando.
A conclusão ou Início de um Journey.

Um exemplo Crowne cita em seu artigo é que conclui que a luta de Beowulf com os monstros durante sua partida de natação com Breca:

Essas criaturas pecadoras não tinha preenchimento de júbilo que me consumia, reunidos em festa no fundo do mar; em vez disso, na parte da manhã, ferido por lâminas eles põem-se sobre a terra, colocar para dormir com espadas, para que nunca mais depois que eles dificultam marinheiros em seu curso sobre o mar. A luz veio do leste, o farol luminoso de Deus.

Næs hie ðære fylle gefean hæfdon,
manfordædlan, þæt hie me þegon,
symbel ymbsæton sægrunde neah;
ac em mergenne mecum Wunde
ser yðlafe lægon uppe,
aswefede sweordum, þæt syðþan na
ford brimliðende brontne YMB
lade ne Letton. Leoht eastan com,
beorht beacen godes;
Beowulf, linhas 562-70a

Crowne baseou-se em exemplos da aparência do tema em doze textos anglo-saxões, incluindo uma ocorrência em Beowulf. Ele também foi observado em outras obras de origem germânica, Oriente poesia Inglês, e até mesmo uma saga prosa islandesa. John Richardson declarou que o esquema era tão geral como para aplicar a praticamente qualquer personagem em algum ponto da narrativa, e pensei que uma instância da função "limiar" de Joseph Campbell Journey monomito do herói. JA Dane, em um artigo caracterizado como "polêmica sem rigor" afirmou que a aparência do tema em grego antigo poesia, uma tradição sem ligação conhecida ao germânico, invalidou a noção de "um tema autônomo na bagagem de um poeta oral. " A resposta de Foley foi que Dane entendido mal a natureza da tradição oral, e que de fato a aparência do tema em outras culturas mostrou que era uma forma tradicional.

Inglês Old prosa

A quantidade de sobreviver Inglês Old prosa é muito maior do que a quantidade de poesia. Da prosa sobreviver, a maioria é constituída de sermões e traduções de obras religiosas que foram compostas em latim. A divisão de prosa escrita medieval trabalha em categorias de "cristão" e "secular", como a seguir, é por amor de conveniência, para a alfabetização em Inglaterra anglo-saxã foi em grande parte da província de monges, freiras, e eclesiásticos (ou daqueles leigos a quem havia ensinado as habilidades de leitura e escrita Latina e / ou Inglês Antigo). Inglês Old prosa aparece pela primeira vez no século 9, e continua a ser gravado através do século 12 como a última geração de escribas, treinados como meninos no padronizada saxão ocidental antes da Conquista, morreu homens como velhos.

Prosa Christian

O autor secular mais conhecida de Inglês Antigo era o rei Alfred, o Grande (849-899), que traduziu vários livros, muitos deles religiosos, do latim para o Inglês Antigo. Alfred, querendo restaurar Cultura Inglês, lamentou o mau estado da educação Latina:

Tão geral foi [educacional] decadência na Inglaterra que havia muito poucos neste lado do Humber, que poderia traduzir ... uma carta do latim para o Inglês; e eu acredito que não havia muitos além do Humber
- Pastoral, introdução

Alfred propôs que os alunos sejam educados em Inglês Antigo, e aqueles que se sobressaiu deve ir mais para aprender Latina. Programa cultural de Alfred produziu as seguintes traduções: Gregório Magno de A Pastoral, um manual para sacerdotes sobre como conduzir suas funções; A consolação da filosofia por Boethius; e Os Soliloquies de Santo Agostinho. Alfred, o Grande também foi responsável pela tradução de cinqüenta Salmos em Inglês Antigo.

Outros importantes traduções inglesas Old incluem: Historiae Adversum paganos por Orosius, uma parte de companheiro para St. Augustine de A Cidade de Deus; os Diálogos de São Gregório Magno; e Bede 's História Eclesiástica do Povo Inglês.

Ælfric de Eynsham, escreveu no final dos anos 10 e início do século 11. Ele foi o maior e mais prolífico escritor de sermões anglo-saxões, que foram copiados e adaptados para uso até o século 13. Ele traduziu os primeiros seis livros da Bíblia ( Old Inglês Hexateuco), e anotado e traduzido outras partes da Bíblia. Suas Vidas dos Santos no Julius manuscrito contém Sete Sleepers de Éfeso, Santa Maria do Egito, Santo Eustáquio e São Euphrosyne. Ælfric também escreveu uma obra Inglês velho em tempo-acerto de contas, e cartas pastorais.

Na mesma categoria como Aelfric, e um contemporâneo, foi Wulfstan II, arcebispo de York. Sua sermões eram altamente estilística. Sua obra mais conhecida é Sermo Lupi Anglos de anúncios no qual ele culpa os pecados do Inglês para as invasões vikings. Ele escreveu uma série de textos jurídicos clericais Institutos de Polity e Cânones de Edgar.

Um dos primeiros textos em inglês Velho em prosa é o Martirológio, informações sobre santos e mártires de acordo com os seus aniversários e festas no calendário da igreja. Ela sobreviveu em seis fragmentos. Acredita-se que datam do século 9 por um anônimo Mércia autor.

A mais antiga coleção de sermões da igreja são o Homilias Blickling no Vercelli Livro e data do século 10.

Há uma série de vidas de santos obras em prosa; além daqueles escrito por Aelfric são a vida prosa de Saint Guthlac (Vercelli Book), a vida de Santa Margarida ea vida de São Chad. Há quatro vidas no manuscrito Julius: Sete Sleepers de Éfeso, Santa Maria do Egito, Santo Eustáquio e São Euphrosyne.

O Wessex Evangelhos são uma tradução integral dos quatro evangelhos em um dialeto saxão ocidental de Inglês Antigo, produziu cerca de 990. O Inglês velho Evangelho de Nicodemos manuscritos datam do século 11 dC. Outras traduções incluem "... o Evangelho do Pseudo-Mateus, Salvatoris vindicta, Visão de São Paulo e da Apocalipse de Thomas ".

Um dos maiores corpos de texto Inglês Antigo é encontrada nos textos jurídicos recolhidos e guardados pelas casas religiosas. Estes incluem muitos tipos de textos: registros de doações de nobres; testamentos; documentos de emancipação; listas de livros e relíquias; processos judiciais; regras aliança. Todos estes textos fornecem informações valiosas sobre a história social de tempos anglo-saxões, mas também são de valor literário. Por exemplo, algumas das narrativas de casos tribunal são interessantes para o seu uso da retórica.

Prosa secular

O Crônica anglo-saxã foi provavelmente começou na época do rei Alfred, o Grande e continuou por mais de 300 anos como um registro histórico da história anglo-saxão.

Um exemplo de uma única clássica o romance tenha sobrevivido, é um fragmento da história de Apolônio de Tiro, a partir do século 11.

Um monge que estava escrevendo em Inglês Antigo, ao mesmo tempo que Aelfric e foi Wulfstan Byrhtferth de Ramsey, cujos livros Handboc e Manual eram estudos da matemática e da retórica.

Aelfric escreveu obras dois neo-científicos, Hexameron e Interrogationes Sigewulfi, lidar com as histórias da Criação. Ele também escreveu uma gramática e glossário em Inglês Antigo chamado Latina, usado mais tarde por estudantes interessados na aprendizagem Francês Old porque tinha sido anotado em francês antigo.

Existem muitas regras sobreviventes e cálculos para encontrar os dias de festa, e tabelas para o cálculo das marés e da época da lua.

No Nowell Codex é o texto de As Maravilhas do Oriente, que inclui um mapa notável do mundo, e outras ilustrações. Também contido na Nowell é Carta de Alexandre Aristóteles. Porque este é o mesmo manuscrito que contém Beowulf, alguns estudiosos especulam que pode ter sido uma coleção de materiais em lugares exóticos e criaturas.

Há um número de trabalhos médicos interessantes. Há uma tradução de Apuleio de Herbarium com ilustrações impressionantes, encontrados juntos com Medicina de Quadrupedibus. A segunda coleção de textos é Do Careca Leechbook, um livro do século 10 contendo ervas e até mesmo algumas curas cirúrgicas. Uma terceira recolha, conhecido como o Lacnunga, inclui muitos encantos e encantamentos.

Textos jurídicos anglo-saxões são uma parte grande e importante do corpus global. Até o século 12 que tinha sido organizado em duas grandes coleções (veja Textus Roffensis). Eles incluem leis dos reis, começando com os dos Aethelbert de Kent, e textos lidar com casos e lugares específicos do país. Um exemplo interessante é Gerefa que define os deveres de um Reeve em uma grande propriedade senhorial. Há também um grande volume de documentos legais relacionados com casas religiosas.

Recepção de Inglês Antigo

Old Inglês literatura não desapareceu em 1066 com a conquista normanda. Muitos sermões e obras continuaram a ser lido e usado em parte ou no todo-se ao longo do século 14, e foram posteriormente catalogados e organizados. Durante a Reforma , quando bibliotecas monásticas foram dispersos, os manuscritos foram recolhidos por antiquários e estudiosos. Estes incluíram Laurence Nowell, Matthew Parker, Robert Bruce e algodão Humfrey Wanley. No século 17 começou uma tradição de Inglês Old dicionários de literatura e referências. O primeiro era Dictionarium Saxonico-Latino-anglicum de William Somner (1659). Lexicógrafo Joseph Bosworth começou um dicionário no século 19 que foi concluída por Thomas Northcote Toller em 1898 chamado Um dicionário anglo-saxão, que foi atualizado por Alistair Campbell em 1972.

Porque Inglês Antigo era uma das primeiras línguas vernáculas para ser escrito, os estudiosos do século XIX, procurando as raízes da "cultura nacional" europeu (ver O nacionalismo romântico) teve interesse especial em estudar literatura anglo-saxónica, e Inglês Velho tornou-se uma parte regular do currículo universitário. Desde a Segunda Guerra Mundial tem havido um crescente interesse nos manuscritos themselves- Neil Ker, uma paleógrafo, publicou o Catálogo inovador de manuscritos contendo anglo-saxão, em 1957, e em 1980 quase todos os textos manuscritos anglo-saxões eram na impressão. JRR Tolkien é creditado com a criação de um movimento de olhar para Inglês Antigo como sujeito de teoria literária em sua palestra seminal Beowulf: The Monsters and Critics (1936).

Inglês literatura antiga tem tido alguma influência sobre a literatura moderna, e poetas notáveis traduzido e incorporado Inglês Old poesia. Bem conhecidas traduções primeiros incluem Tradução de William Morris de Beowulf e Ezra Pound tradução 's do marítimo. A influência da poesia pode ser visto na poetas modernos TS Eliot , Ezra Pound e WH Auden. Tolkien adaptado o assunto e terminologia da poesia heróica para obras como O Hobbit e O Senhor dos Anéis , e John Gardner escreveu Grendel, que conta a história de adversário de Beowulf a partir de sua própria perspectiva.

Mais recentemente, outros poetas notáveis, como Paul Muldoon, Seamus Heaney, Denise e Levertov UA Fanthorpe têm demonstrado interesse em Inglês Antigo poesia. Em 1987 Denise Levertov publicou uma tradução Hino do Caedmon sob o título "Caedmon" na coleção Respirar ?gua. Este foi então seguido pela versão de Seamus Heaney do poema "Whitby-sur-Moyola" em seu The Spirit Level (1996) "Hino do Caedmon" de Paul Muldoon em sua Moy Areia e Cascalho (2002) e UA Fanthorpe de "Canção de Caedmon" em seu Queuing para o Sun (2003). Estas traduções são muito diferentes uns dos outros, assim como de Seamus Heaney Beowulf (1999) se desvia anteriores, projetos semelhantes. Heaney usa dicção irlandês através Beowulf para trazer o que ele chama de um "corpo especial e força" para o poema, colocando em primeiro plano o seu próprio património Ulster ", a fim de tornar (o poema) cada vez mais 'willable frente / novo e de novo e de novo.' "

Retirado de " http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=Old_English_literature&oldid=545286937 "