Conteúdo verificado

JRR Tolkien

Assuntos Relacionados: Escritores e críticos

Fundo para as escolas Wikipédia

Esta seleção é feita para as escolas de caridade infantil leia mais . Patrocinar uma criança para fazer uma diferença real.

JRR Tolkien
Tolkien 1916.jpg
Tolkien, de 24 anos, em uniforme militar, enquanto servia no Exército britânico durante a Primeira Guerra Mundial de 1916.
Nascido John Ronald Reuel Tolkien
(1892/01/03) 03 de janeiro de 1892
Bloemfontein , Estado Livre de Orange
Morreu 02 de setembro de 1973 (1973/09/02) (de 81 anos)
Bournemouth, Inglaterra
Ocupação Autor, acadêmico, filólogo, poeta
Nacionalidade Britânico
Etnia Inglês
Gêneros Fantasia, alta fantasia, tradução, crítica
Trabalho notável (s) O Hobbit
O Senhor dos Anéis
O Silmarillion
Cônjuge (s) Edith Bratt (1916-1971)

John Ronald Reuel Tolkien, CBE (pron .: / t ɒ l k Eu n /; 03 de janeiro de 1892 - 02 de setembro de 1973) foi um Inglês escritor, poeta, filólogo e professor universitário, mais conhecido como o autor do clássico alta fantasia trabalha O Hobbit , O Senhor dos Anéis , e O Silmarillion.

Serviu como o Rawlinson e Bosworth professor de anglo-saxão em Pembroke College, Oxford, 1925-1945 e Merton Professor de Inglês e Literatura na Merton College, Oxford, de 1945 a 1959. Ele era ao mesmo tempo um amigo próximo de CS Lewis -foram ambos os membros do grupo de discussão literária informal conhecido como o Inklings. Tolkien foi nomeado Comandante da Ordem do Império Britânico pela Rainha Elizabeth II em 28 de Março de 1972.

Após sua morte, o filho de Tolkien Christopher publicou uma série de trabalhos baseados em extensas notas de seu pai e manuscritos não publicados, incluindo The Silmarillion. Estes, juntamente com O Hobbit e O Senhor dos Anéis formar um corpo conectado de contos, poemas, histórias ficcionais, línguas inventadas, e ensaios literários sobre um mundo de fantasia chamado Arda, e Terra-média dentro dele. Entre 1951 e 1955, Tolkien aplicou o termo legendarium para a maior parte desses escritos.

Enquanto muitos outros autores haviam publicado obras de fantasia antes de Tolkien, o grande sucesso de O Hobbit e O Senhor dos Anéis levou diretamente para um ressurgimento populares do gênero. Isto tem causado Tolkien a ser popularmente identificado como o "pai" da fantasia moderna literatura, ou, mais precisamente, de alta fantasia. Em 2008, The Times classificou-o sexto em uma lista de "Os 50 maiores escritores britânicos desde 1945". Forbes classificou-o o quinto top-ganhando celebridade morta em 2009.

Biografia

Origens da família

A maioria dos antepassados paternos de Tolkien foram artífices. A família de Tolkien tinha suas raízes na Lower Saxony, mas estava morando na Inglaterra desde o século 18, tornando-se "rapidamente intensamente Inglês". Tolkien derivou seu sobrenome a partir da palavra tollkühn alemão, que significa "imprudente". Várias famílias com o sobrenome Tolkien ou outras variantes de ortografia ao vivo no noroeste da Alemanha, principalmente na Baixa Saxónia e Hamburgo. Um escritor alemão sugeriu que o nome é mais provável que derivam da aldeia Tolkynen, perto Rastenburg, Prússia Oriental (hoje no nordeste da Polônia), apesar de que aldeia está longe de Lower Saxony; seu nome é derivado da agora extinta Língua prussiana de idade.

Os avós maternos de Tolkien, John e Jane Edith Suffield, morava em Birmingham e dono de uma loja no centro da cidade. A família Suffield tinha corrido vários negócios fora do mesmo prédio, chamado Lamb House, desde o início do século 19. A partir de 1812 de Tolkien grande-grande-avô William Suffield tinha um livro e artigos de papelaria loja lá; do tataravô 1826 de Tolkien, também chamado John Suffield, teve um cortinas e negócios meias lá.

Infância

1892 Cartão de Natal com uma foto colorida da família Tolkien em Bloemfontein, enviados a parentes em Birmingham, Inglaterra

John Ronald Reuel Tolkien nasceu em 03 de janeiro de 1892 em Bloemfontein no Estado Livre de Orange (agora Província de Free State, na ?frica do Sul) para Arthur Reuel Tolkien (1857-1896), um gerente de banco Inglês, e sua esposa Mabel, née Suffield (1870-1904). O casal tinha deixado a Inglaterra, quando Arthur foi promovido a chefe do escritório Bloemfontein do banco britânico para o qual trabalhava. Tolkien tinha um irmão, seu irmão mais novo, Hilary Arthur Reuel, que nasceu em 17 de fevereiro de 1894.

Quando criança, ele foi mordido por um grande babuíno aranha no jardim, um evento que alguns pensam teria ecos posteriores em suas histórias, embora Tolkien admitiu nenhuma memória real do evento e nenhum ódio especial de aranhas como um adulto. Em outro incidente, uma casa-boy família, que pensou Tolkien uma criança bonita, levou o bebê para sua kraal para exibi-lo, devolvê-lo na manhã seguinte.

Quando ele tinha três anos, ele foi para a Inglaterra com sua mãe e seu irmão sobre o que era para ser uma visita de família demorado. Seu pai, porém, morreram na ?frica do Sul de febre reumática antes que ele pudesse se juntar a eles. Isto deixou a família sem uma renda, por isso a mãe de Tolkien levou para viver com seus pais em Reis Heath, Birmingham. Logo depois, em 1896, eles se mudaram para Sarehole (agora em Hall Green), em seguida, uma Vila Worcestershire, mais tarde, anexo ao Birmingham. Ele gostava de explorar Sarehole Mill e Moseley Bog ea Clent, Lickey e Malvern Hills, que mais tarde iria inspirar cenas em seus livros, juntamente com cidades e aldeias, tais como Worcestershire Bromsgrove, Alcester, e Alvechurch e locais como a fazenda de sua tia Bolsão de Jane, cujo nome seria utilizado em sua ficção.

Birmingham Oratório, onde Tolkien era um paroquiano e altar menino, (1902-1911)

Mabel Tolkien ela mesma ensinou seus dois filhos, e Ronald, como era conhecido na família, era um aluno interessado. Ela ensinou-lhe uma grande quantidade de botânica e despertou nele o gozo do look and feel das plantas. Jovem Tolkien gostava de desenhar paisagens e árvores, mas suas lições favoritas eram as relativas às línguas, e sua mãe lhe ensinou os rudimentos de latim muito cedo. Ele podia ler por quatro anos de idade e poderia escrever fluentemente logo depois. Sua mãe lhe permitiu ler muitos livros. Ele não gostava de Treasure Island e The Pied Piper e pensou As aventuras de Alice no país das maravilhas por Lewis Carroll foi "divertido, mas preocupante". Ele gostava de histórias sobre "peles-vermelhas" ea fantasia funciona George MacDonald. Além disso, os "Livros de fadas" de Andrew Lang foi particularmente importante para ele e sua influência é evidente em alguns de seus escritos posteriores.

Escola do rei Edward em Birmingham, onde Tolkien era um estudante (1900-1902, 1903-1911)

Tolkien participaram Escola do rei Edward, Birmingham, e mais tarde Escola St. Philip, antes de ganhar uma bolsa de estudos da Fundação e retornando à escola do rei Edward. Enquanto um aluno da Escola do rei Edward, ele foi um dos um grupo de cadetes de Diretores da escola Training Corps que ajudou a "linha da rota" para o desfile coroação do rei George V , que está sendo postado do lado de fora dos portões do Palácio de Buckingham .

Mabel Tolkien foi recebido na Igreja Católica Romana em 1900, apesar dos protestos veementes de sua família Batista, que depois parou toda a assistência financeira a ela. Em 1904, quando Tolkien tinha 12 anos, ela morreu de agudos diabetes em Fern Cottage em Rednal, que ela foi então alugar. Mabel Tolkien foi, então, cerca de 34 anos de idade, quase tão velha como uma pessoa com diabetes mellitus tipo 1 poderia viver sem tratamento- insulina não seria descoberto até duas décadas depois. Nove anos após a morte de sua mãe, Tolkien escreveu: "A minha própria mãe querida foi um mártir, de fato, e não é para todos que Deus concede tão fácil uma maneira de seus grandes dons como ele fez com Hilary e eu, dando-nos uma mãe que se matado com trabalho e esforço para assegurar-nos manter a fé ". Ela está enterrada no cemitério católico romano de São Pedro em Bromsgrove, Worcestershire.

Antes de sua morte, Mabel Tolkien tinha atribuído a guarda de seus filhos ao P. Francisco Xavier do Morgan Birmingham Oratório, que foi designado para trazê-los como bons católicos. Tolkien cresceu na ?rea de Edgbaston Birmingham. Ele viveu lá na sombra de Folly e do Perrott Torre de Victorian Edgbaston Waterworks, o que pode ter influenciado as imagens das torres escuras dentro de suas obras. Outra forte influência foi o romântico pinturas de medievalist Edward Burne-Jones ea Irmandade Pré-Rafaelita ; o Birmingham Museum and Art Gallery tinha uma grande coleção de obras em exposição pública.

Juventude

Enquanto no início da adolescência, Tolkien teve seu primeiro encontro com uma língua construída, animálico, uma invenção de seus primos, Maria e Marjorie Incledon. Naquela época, ele estava estudando latim e anglo-saxão. Interesse na língua logo se extinguiu, mas Maria e outros, incluindo o próprio Tolkien, inventou uma linguagem nova e mais complexo chamado nevbosh. A próxima língua construída que ele veio para trabalhar, naffarin, seria sua própria criação.

Em 1911, enquanto eles estavam no School, Birmingham, Tolkien do Rei Edward e três amigos, Rob Gilson, Geoffrey Bache Smith e Christopher Wiseman, formou uma sociedade semi-secreta, que eles chamavam de "TCBS", as iniciais de pé para "Tea Club e Barrovian Society", aludindo à sua predileção por beber chá em lojas de Barrow perto da escola e, secretamente, na biblioteca da escola. Após deixar a escola, os membros mantivemos contato e, em dezembro de 1914, eles realizaram um "conselho" em Londres na casa de Wiseman. Para Tolkien, o resultado desta reunião foi uma forte dedicação a escrever poesia.

O censo de 1911 da Inglaterra e País de Gales mostra Tolkien (ocupação "escola") o alojamento 4 Highfield Road, Edgbaston, junto com seu irmão Hilary (ocupação "funcionário do comerciante hardware").

Em 1911, Tolkien foi em um feriado de verão na Suíça, uma viagem que ele relembra vividamente em uma carta 1968, observando que A jornada de Bilbo em toda a Misty Mountains ("incluindo a glissade para baixo as pedras escorregadios para o bosque de pinheiros") está diretamente baseado em suas aventuras como a sua festa de 12 subiu de Interlaken para Lauterbrunnen e sobre para o acampamento no morenas além Mürren. Cinqüenta e sete anos mais tarde, Tolkien se lembrou de seu arrependimento por deixar a vista das neves eternas do Jungfrau e Silberhorn ("o Silvertine ( Celebdil) dos meus sonhos "). Eles atravessaram a Kleine Scheidegg para Grindelwald e em todo o Grosse Scheidegg para Meiringen. Continuaram entre os Grimsel Pass, através do superior Valais para Brig e para o Geleira Aletsch e Zermatt.

Em outubro do mesmo ano, Tolkien começou a estudar na Exeter College, Oxford. Estudou inicialmente Classics mas mudou seu curso em 1913 para Inglês e Literatura, graduando-se em 1915 com honras de primeira classe em seus exames finais.

Namoro e casamento

Na idade de 16, Tolkien encontrou Edith Mary Bratt, que era três anos mais velho, quando ele e seu irmão Hilary se mudou para a pensão em que vivia. De acordo com Humphrey Carpenter:

Edith e Ronald levou a que freqüentam teashops Birmingham, especialmente um que tinha uma varanda com vista para a calçada. Lá eles se sentar e jogar sugarlumps nos chapéus dos transeuntes, movendo-se para a próxima mesa quando o açucareiro estava vazio. ... Com duas pessoas de sua personalidade e na sua posição, romance foi obrigado a florescer. Ambos eram órfãos que precisam de afeto, e eles descobriram que podiam dar para o outro. Durante o verão de 1909, eles decidiram que eles estavam apaixonados.

Seu tutor, o Padre Francis Morgan, visualizando Edith como uma distração do trabalho e da escola de Tolkien horrorizado que sua jovem carga estava seriamente envolvido com um protestante menina, proibiu-o de reunião, falando, ou mesmo correspondendo com ela até que ele tinha 21. Ele obedeceu esta proibição à carta, com uma exceção notável cedo que fez o Padre Morgan ameaçam encurtou sua carreira Universidade se ele não parou.

Na noite de seu 21º aniversário, Tolkien escreveu a Edith uma declaração de seu amor e pediu-lhe para casar com ele. Edith respondeu dizendo que ela já tinha concordado em se casar com outro homem, mas que ela tinha feito isso porque ela tinha acreditado Tolkien tinha esquecido dela. Os dois se encontraram debaixo de um viaduto ferroviário e renovaram o seu amor; Edith voltou seu anel de noivado e anunciou que ela estava se casando Tolkien em seu lugar. Seguindo seu compromisso Edith anunciou relutantemente que ela estava se converter ao catolicismo por insistência de Tolkien. Seu proprietário, um protestante convicto, estava furioso e despejados ela assim que ela foi capaz de encontrar outras hospedagens. Edith e Ronald foram formalmente envolvidos em Birmingham, em Janeiro de 1913, e casou-se em St. Maria Imaculada Igreja Católica Romana, Warwick, em 22 de março de 1916.

Primeira Guerra Mundial

Em 1914, o Reino Unido entrou Primeira Guerra Mundial . parentes de Tolkien ficaram chocados quando ele foi eleito não para ser voluntário imediatamente para o Exército britânico. Em vez disso, Tolkien entrou em um programa em que ele adiou alistar até completar a sua licenciatura em julho de 1915. Ele foi então contratado como um Segundo-tenente no Lancashire Fusiliers. Ele treinou com o 13º (Reserva) Batalhão em Cannock Chase, Staffordshire, por onze meses. Em uma carta a Edith, Tolkien se queixou: "Senhores são raros entre os superiores, e até mesmo os seres humanos realmente raro." Tolkien foi então transferida para o 11 (Serviço) com o Batalhão Força Expedicionária Britânica, chegando em França em 4 de junho de 1916. Sua partida da Inglaterra em um transporte de tropas inspirou a escrever o poema, The Lonely Isle. Mais tarde, ele escreveu: "Os oficiais subalternos estavam sendo mortos fora, uma dúzia de um minuto. Partindo da minha esposa, então ... foi como uma morte."

Tolkien serviu como oficial de sinais no Somme , participando da Batalha de Thiepval Ridge e do assalto subsequente no Schwaben Redoubt. De acordo com John Garth, no entanto:

Embora O exército de Kitchener consagrado velhas fronteiras sociais, também erodia a divisão de classes, jogando homens de todas as esferas da vida em uma situação desesperadora juntos. Tolkien escreveu que a experiência lhe ensinou, "uma simpatia profunda e sensação para o Tommy; especialmente o soldado normal a partir dos municípios agrícolas. ' Ele permaneceu profundamente grato pela lição. Por um longo tempo, ele tinha sido preso em uma torre, não da pérola, mas de marfim.

Tempo de Tolkien em combate era um esforço terrível para Edith, que temia que todo bater na porta pode levar a notícia da morte de seu marido. A fim de contornar o Exército Britânico censura postal, os Tolkien tinha desenvolvido um código secreto que acompanhou suas cartas para casa. Ao usar o código, Edith foi capaz de rastrear os movimentos de seu marido em um mapa da Frente Ocidental .

Em 27 de outubro de 1916 Tolkien veio com febre das trincheiras, uma doença transportada pela piolhos que eram comuns nos abrigos. De acordo com as memórias do reverendo Mervyn S. Evers, Anglicana capelão dos Fuzileiros de Lancashire:

Em uma ocasião eu passei a noite com a Brigada Machine Gun Presidente e do Diretor de Sinais em um dos abrigos alemães capturados ... Nós dossed para a noite, na esperança de obter algum sono, mas não era para ser. Nós não antes estabelecer que hordas de piolhos se levantou. Então nós fomos volta para o Diretor Médico, que também estava no banco com o seu equipamento, e ele deu-nos alguma pomada que ele nos assegurou que manter os pequenos brutos de distância. Nós nos ungiu com todo o material e novamente estabelecer em grandes esperanças, mas não era para ser, porque em vez de desencorajá-los parecia agir como uma espécie de hors d'oeuvre e os pequenos mendigos entrou em sua festa com vigor renovado.

Tolkien estava invalidado para a Inglaterra em 8 de novembro de 1916. Muitos de seus mais queridos amigos de escola, incluindo Gilson e Smith do TCBS, foram mortos na guerra. Ele bem poderia ter sido se matou, mas ele sofreu em mais de uma ocasião de trincheira pé e foi removido de combate linha da frente várias vezes. Nos anos posteriores, Tolkien indignado declarou que aqueles que procurou suas obras para paralelos com a Segunda Guerra Mundial eram inteiramente equivocada:

Um deles tem de fato pessoalmente para vir sob a sombra da guerra para se sentir plenamente a sua opressão; mas como o passar dos anos parece que agora muitas vezes esquecido que ser pego na juventude em 1914 não foi menos horroroso uma experiência de estar envolvido em 1939 e nos anos seguintes. Por volta de 1918 todos, mas um dos meus amigos mais próximos estavam mortos.

Frente da casa

Um fraco e emaciado Tolkien passou o resto da guerra alternando entre hospitais e deveres guarnição, sendo considerado clinicamente inapto para o serviço geral.

Durante sua recuperação em uma casa de campo em Pouco Haywood, Staffordshire, ele começou a trabalhar no que ele chamou de O Livro dos Contos Perdidos, começando com A Queda de Gondolin. Ao longo de 1917 e 1918 manteve sua doença recorrente, mas ele se recuperou o suficiente para fazer o serviço de casa em vários campos e foi promovido a tenente. Foi neste momento que Edith deu à luz seu primeiro filho, John Francis Reuel Tolkien.

Quando ele estava estacionado em Kingston upon Hull, ele e Edith foi andando na floresta na vizinha Roos, e Edith começou a dançar para ele em uma clareira entre a cicuta floração. Após a morte de sua esposa em 1971, Tolkien lembrado,

Eu nunca chamada Edith Luthien - mas ela era a fonte da história que com o tempo se tornou a parte principal do Silmarillion. Ele foi concebido pela primeira vez em uma pequena clareira da floresta preenchido com hemlocks em Roos em Yorkshire (onde eu estava por um breve tempo no comando de um posto avançado do Humber Garrison, em 1917, e ela foi capaz de viver comigo por um tempo). Naqueles dias, o cabelo dela estava corvo, sua pele clara, os olhos mais brilhantes do que você tê-los visto, e ela poderia cantar - e dançar. Mas a história tem ido torto, e eu fiquei, e eu não posso pleitear perante o inexorável Mandos.

Este incidente inspirou o relato da reunião de Beren e Lúthien.

Acadêmicos e escrita carreira

20 Northmoor Road, a antiga casa de JRR Tolkien em North Oxford

Primeiro emprego civil de Tolkien, após a Primeira Guerra Mundial estava no Dicionário de Inglês Oxford, onde ele trabalhou principalmente sobre a história e etimologia de palavras de origem germânica que começam com a letra W. Em 1920, ele assumiu um cargo como Reader em Inglês Idioma no Universidade de Leeds, e se tornou o mais jovem professor lá. Enquanto em Leeds, ele produziu um Vocabulário Inglês Médio e uma edição definitiva de Sir Gawain eo Cavaleiro Verde com EV Gordon, ambos se tornando padrão para trabalhos acadêmicos de várias décadas. Ele também traduziu Sir Gawain, Pérola, e Sir Orfeo. Em 1925, ele retornou para Oxford como Rawlinson e Bosworth professor de Anglo-Saxon, com uma bolsa de estudos na Faculdade Pembroke.

Durante seu tempo na Pembroke College Tolkien escreveu O Hobbit e os dois primeiros volumes de O Senhor dos Anéis, enquanto vivendo em 20 Northmoor Road em North Oxford (onde um azul placa foi colocada em 2002). Ele também publicou um ensaio filológico em 1932 sobre o nome " Nodens ", na sequência de Sir Exumação de um Mortimer Wheeler Roman Asclepeion em Lydney Park, Gloucestershire, em 1928.

Beowulf

1936 A palestra de Tolkien, " Beowulf: os monstros e os críticos ", teve uma influência duradoura sobre Pesquisa Beowulf. Lewis E. Nicholson disse que o artigo Tolkien escreveu sobre Beowulf é "amplamente reconhecido como um ponto de viragem na crítica Beowulfian", observando que Tolkien estabeleceu a primazia da natureza poética do trabalho, por oposição aos seus elementos puramente linguísticos. Na época, o consenso da erudição preterido Beowulf para lidar com as batalhas infantis com monstros em vez de guerras tribais realista; Tolkien argumentou que o autor de Beowulf foi abordando destino humano em geral, não tão limitado por particulares política tribal, e, portanto, os monstros foram essenciais para o poema. Onde Beowulf não lidar com as lutas tribais específicas, como a Finnsburg, argumentou Tolkien firmemente contra leitura em elementos fantásticos. No ensaio, Tolkien também revelou como altamente ele considerava Beowulf: "Beowulf está entre minhas fontes mais valorizadas", e essa influência pode ser visto em toda a sua Terra-Média legendarium.

Conforme Humphrey Carpenter, Tolkien tinha um meio engenhosas de iniciar sua série de palestras sobre Beowulf:

Ele viria em silêncio na sala, corrigir o público com o seu olhar, e de repente começa a declamar em voz retumbante as linhas de abertura do poema no original anglo-saxão, que começa com um grande grito de Hwæt! (A primeira palavra deste e de vários outros poemas ingleses velhos), que alguns alunos de graduação teve de ser 'Quiet! " Não foi tanto uma recitação como uma performance dramática, uma personificação de um bardo anglo-saxão em um salão do hidromel, e impressionou gerações de estudantes, pois trouxe para casa para eles que Beowulf não era apenas um texto conjunto para ser lido para o fins de exame, mas uma poderosa peça de poesia dramática.

Décadas mais tarde, WH Auden escreveu a seu ex-professor,

"Eu não acho que eu já disse o que uma experiência inesquecível que era para mim como uma graduação, ouvindo você recita Beowulf. A voz era a voz de Gandalf. "

Em 2003, a tradução de Tolkien manuscrita e comentários sobre Beowulf, correndo para cerca de 2.000 páginas, foi descoberto nos arquivos da Biblioteca Bodleian.

II Guerra Mundial

Merton College, onde Tolkien foi professor de Inglês e Literatura (1945-1959)

No run-up a II Guerra Mundial , Tolkien ficou marcado como um codebreaker. Em janeiro de 1939, ele foi perguntado se ele estaria disposto a servir no criptográfico departamento do Ministério das Relações Exteriores em caso de emergência nacional. Ele respondeu de forma afirmativa e, começando em 27 de março, tomou um curso de instrução no London HQ do Código de Governo e Escola Cypher. No entanto, embora ele era "afiado" para se tornar um decifrador de códigos, foi informado em outubro que os seus serviços não seriam necessários naquele momento. Em última análise, ele nunca serviu como um. Em 2009, O Daily Telegraph afirmou Tolkien recusou uma oferta de £ 500-a-ano para se tornar um recruta em tempo integral por razões desconhecidas.

Em 1945, Tolkien se mudou para Merton College, Oxford, tornando-se o Merton Professor de Inglês e Literatura, no qual pós permaneceu até sua aposentadoria em 1959. Ele serviu como um examinador externo para University College, Dublin, durante muitos anos. Em 1954 Tolkien recebeu um diploma honorário da Universidade Nacional da Irlanda (do qual UCD era uma faculdade constitutiva). Tolkien concluído O Senhor dos Anéis em 1948, quase uma década depois dos primeiros esboços.

Tolkien também traduziu o Livro de Jonas para a Bíblia de Jerusalém , que foi publicado em 1966.

Família

O Tolkiens teve quatro filhos: John Francis Reuel Tolkien (17 de novembro de 1917 - 22 de janeiro 2003), Michael Hilary Reuel Tolkien (22 de outubro 1920-1927 February 1984), Christopher John Reuel Tolkien (nascido em 21 de novembro de 1924) e Priscilla Mary Anne Reuel Tolkien (nascido em 18 de junho de 1929). Tolkien era muito dedicado aos seus filhos e os enviou ilustrado cartas de Pai Natal, quando eles eram jovens. A cada ano, mais personagens foram adicionados, como o urso polar do Norte (ajudante do Pai Natal), o Homem de Neve (seu jardineiro), Ilbereth o elfo (seu secretário), e vários outros, personagens menores. Os principais personagens se relacionam contos de batalhas do Pai Natal de encontro goblins, que cavalgavam sobre morcegos e as diversas travessuras cometidas pelo urso polar do Norte.

Aposentadoria e anos posteriores

Busto de Tolkien na capela de Exeter College, Oxford

Durante sua vida na aposentadoria, de 1959 até sua morte em 1973, Tolkien recebeu cada vez maior atenção do público e fama literária. As vendas de seus livros eram tão rentável que ele lamentou que ele não tinha escolhido a reforma antecipada. Na primeira, ele escreveu respostas entusiásticas às perguntas dos leitores, mas ele se tornou cada vez mais descontentes com a súbita popularidade de seus livros com o movimento de contra-cultura dos anos 1960. Em uma carta 1972, deplorou ter se tornado um cult-figura, mas admitiu que "mesmo o nariz de um ídolo muito modesto [...] não pode permanecer totalmente untickled pelo cheiro doce do incenso!"

Fan atenção tornou-se tão intensa que Tolkien teve que tomar o seu número de telefone fora da lista pública e, eventualmente, ele e Edith se mudou para Bournemouth, que era então um balneário freqüentado pela classe média alta britânica. Status de Tolkien como um autor de best-seller lhes deu entrada fácil na sociedade educada, mas Tolkien perdeu profundamente a companhia de seu companheiro Inklings. Edith, no entanto, foi muito feliz ao assumir o papel de uma sociedade anfitriã, que tinha sido a razão que Tolkien selecionado Bournemouth em primeiro lugar.

Conforme Humphrey Carpenter,

Aqueles amigos que conheciam Ronald e Edith Tolkien ao longo dos anos nunca duvidou de que houve uma profunda afeição entre eles. Era visível nas pequenas coisas, o grau quase absurdo em que cada preocupado com a saúde do outro, eo cuidado em que eles escolheram e envolveu um do outro presentes de aniversário "; e nas grandes questões, a maneira em que Ronald voluntariamente abandonou uma parte tão grande da sua vida na aposentadoria para dar Edith nos últimos anos em Bournemouth que ele sentia que merecia, eo grau em que ela mostrou orgulho em sua fama como um autor . A principal fonte de felicidade para eles era o seu amor compartilhado de sua família. Este uniu-os até o fim de suas vidas, e foi talvez a maior força do casamento. Eles se deliciaram para discutir e ponderar sobre cada detalhe da vida de seus filhos, e mais tarde os seus netos.

Anos finais

O túmulo de JRR e Edith Tolkien, Wolvercote Cemetery, Oxford

Edith Tolkien morreu no dia 29 de novembro de 1971, com a idade de 82. De acordo com Simon Tolkien:

"Minha avó morreu dois anos antes de meu avô e ele voltou a morar em Oxford. Faculdade de Merton deu-lhe quartos apenas fora da High Street. Eu fui lá com frequência e ele me levar para almoçar no Eastgate Hotel. Esses almoços eram bastante maravilhoso para um 12-year-old tempo da despesa do menino com seu avô, mas às vezes ele parecia triste. Houve uma visita, quando ele me disse o quanto ele sentia falta da minha avó. Deve ter sido muito estranho para ele estar sozinho depois de terem sido casados por mais de 50 anos. "

Tolkien foi nomeado pela rainha Elizabeth II um comandante da Ordem do Império Britânico no Honras de Ano Novo de 01 de janeiro de 1972 e recebeu as insígnias da Ordem no Palácio de Buckingham em 28 de março de 1972. No mesmo ano, Oxford University conferiu-lhe um honorário Doutorado em Letras.

Tolkien tinha o nome Luthien gravado na lápide de Edith em Wolvercote Cemetery, Oxford . Quando Tolkien morreu 21 meses mais tarde, em 2 de setembro de 1973, com a idade de 81, ele foi enterrado no mesmo túmulo, com Beren adicionado ao seu nome. As gravuras ler-se:

Edith Mary Tolkien
Lúthien
1889-1971
John Ronald
Reuel Tolkien
Beren
1892-1973
Wolvercote Cemetery, Oxford

Em Tolkien Terra-Média legendarium, Lúthien era a mais bela de todas as Filhos de Ilúvatar, e abandonou-a imortalidade por seu amor do guerreiro mortal, Beren. Depois de Beren foi capturado pelas forças do Lorde das Trevas Morgoth, Lúthien montou em seu socorro após a fala cão de lobo Huan. Em última análise, quando Beren foi morto em batalha contra o lobo demoníaca Carcharoth, Lúthien, como Orfeu, aproximou-se do Valar, a ordem angélica de seres colocados no comando do mundo por Eru (Deus), e persuadiu-os a restaurar seu amado para a vida.

Visualizações

O Canto da Eagle and Child Pub, Oxford, onde o Inklings conheci (1930-1950).

Tolkien foi um católico devoto, e em suas opiniões políticas e religiosas ele foi principalmente um tradicionalista moderado, com libertários inclinações e monarquistas, no sentido de favorecer convenções estabelecidas e ortodoxias mais inovação e modernização, enquanto castigando controles estatais; em 1943, ele escreveu: "Minhas opiniões políticas mais magra e mais para Anarchy ( filosoficamente compreendido, ou seja, supressão do controlo não os homens whiskered com bombas) -ou a 'inconstitucional' Monarquia ".

Tolkien tinha uma antipatia intensa para os efeitos colaterais da industrialização, o que ele considerava ser devorando a paisagem Inglês e a vida mais simples. Para a maioria de sua vida adulta, ele era desdenhoso de carros, preferindo andar de bicicleta. Essa atitude pode ser visto em seu trabalho, o mais famosa no retrato da "industrialização" forçada do Shire em O Senhor dos Anéis.

Muitos comentadores têm comentou sobre uma série de potenciais paralelos entre a saga da Terra-média e os eventos na vida de Tolkien. O Senhor dos Anéis é pensado frequentemente para representar a Inglaterra durante e imediatamente após a Segunda Guerra Mundial. Tolkien ardentemente rejeitou esta opinião, no prefácio à segunda edição do romance, afirmando que preferia aplicabilidade a alegoria. Este tema é retomado em maior extensão em seu ensaio " No Fairy-Stories ", onde ele argumenta que as histórias de fadas são tão apt, porque eles são consistentes tanto dentro de si e com algumas verdades sobre a realidade. Ele conclui que o próprio cristianismo segue esse padrão de consistência interna e externa verdade. Sua crença no ensino fundamental verdades do cristianismo leva comentaristas para encontrar temas cristãos em O Senhor dos Anéis. Tolkien opôs fortemente ao uso de CS Lewis de referências religiosas em suas histórias, que eram muitas vezes abertamente alegórica. No entanto, Tolkien escreveu que o Cena Montanha da Perdição linhas do exemplificada Oração do Senhor.

Seu amor de mitos e sua fé devota se reuniram em sua afirmação de que ele acreditava que a mitologia de ser o eco divino de "a Verdade". Esta opinião foi expressa em seu poema e ensaio intitulado Mythopoeia. Sua teoria de que os mitos realizada "verdades fundamentais" tornou-se um tema central dos Inklings em geral.

Religião

Devoto fé católica de Tolkien foi um fator significativo na conversão de CS Lewis do ateísmo ao cristianismo, embora Tolkien ficou consternado que Lewis escolheu para se juntar à Igreja da Inglaterra .

Nos últimos anos de sua vida, Tolkien tornou-se muito decepcionado por algumas das reformas litúrgicas e mudanças implementadas após a Concílio Vaticano II, como seu neto Simon Tolkien recorda:

Lembro-me vividamente de ir à igreja com ele em Bournemouth. Ele era um católico devoto e foi logo depois que a Igreja tinha mudado o Liturgia do latim para o Inglês. Meu avô, obviamente, não concordo com isso e fez todas as respostas muito alto em latim, enquanto o resto da congregação respondeu em Inglês. Encontrei toda a experiência bastante dolorosa, mas meu avô era alheio. Ele simplesmente tinha que fazer o que ele acreditava ser o certo.

Política e raça

Anti-stalinismo

Tolkien manifestaram apoio para os nacionalistas (eventualmente liderados por Franco durante o Guerra Civil Espanhola) ao ouvir que Os republicanos estavam destruindo igrejas e matando padres e freiras.

Tolkien era de desprezo de Joseph Stalin . Durante a Segunda Guerra Mundial, Tolkien se refere a Stalin como "o assassino sanguinário velho." No entanto, em 1961, Tolkien criticou um comentarista sueco que sugeriu que O Senhor dos Anéis foi uma anticomunista parábola e identificou o Lorde das Trevas com Stalin. Tolkien respondeu,

"Eu absolutamente repudiar qualquer" leitura "tais, o que me irrita. A situação foi concebida muito antes da revolução russa . Tal alegoria é inteiramente estranha ao meu pensamento. "

Debate sobre raça

A questão da racista ou elementos racistas em pontos de vista e obras de Tolkien tem sido o assunto de algum debate acadêmico. Christine Chism distingue acusações como cair em três categorias: o racismo intencional, inconsciente Viés eurocêntrico, e uma evolução do racismo latente no trabalho inicial de Tolkien a uma rejeição consciente de tendências racistas em seu trabalho final.

Tolkien expressaram repugnância pela qual ele reconheceu como o racismo e escreveu uma vez de segregação racial na ?frica do Sul, "O tratamento da cor quase sempre horroriza qualquer um que vai para fora da Grã-Bretanha."

A oposição ao nacional-socialismo

Tolkien vocalmente oposição Adolf Hitler eo Partido Nazista antes da Segunda Guerra Mundial , e era conhecido por especialmente desprezar nazista racista e ideologia anti-semita. Em 1938, a editora Rütten & Loening Verlag estava se preparando para lançar O Hobbit na Alemanha nazista . Para a indignação de Tolkien, ele foi convidado com antecedência se ele era de Origem ariana. Em uma carta a seu editor britânico Stanley Unwin, ele condenou nazista "raça-doutrina" como "totalmente perniciosa e não científico". Ele acrescentou que ele tinha muitos judeus amigos e estava considerando "deixar uma tradução alemã vai cair". Ele forneceu duas letras para Rütten & Loening e instruiu Unwin para enviar o que ele preferia. A carta mais diplomático foi enviado e foi perdido durante o bombardeio depois da Alemanha. Na carta não enviada, Tolkien faz o ponto que " ariana "é um termo lingüístico, denotando falantes de línguas Indo-iranianos. Ele continuou:

Mas se eu sou a entender que você está perguntando se sou de judaica origem, só posso responder que lamento que eu parecem ter nenhum antepassados ​​de que as pessoas talentosas. Meu grande-bisavô veio para a Inglaterra no século 18 da Alemanha: a parte principal de minha ascendência é, portanto, puramente Inglês, e eu sou um sujeito-Inglês, que deve ser suficiente. Tenho por costume, no entanto, a considerar o meu nome alemão com orgulho, e continuou a fazê-lo durante todo o período da guerra lamentável tarde, em que eu servi no exército Inglês. Não posso, porém, deixar de comentar que se inquéritos impertinentes e irrelevantes deste tipo são a tornar-se a regra em matéria de literatura, então o tempo não está muito distante, quando um nome alemão deixará de ser uma fonte de orgulho.

Em uma carta de 1941 a seu filho Michael, ele expressou seu ressentimento com a distorção da história germânica em "nordicismo":

Você tem que entender o lado bom das coisas, para detectar o mal real. Mas ninguém nunca me convida para "broadcast" ou fazer um pós-escrito. No entanto, eu acho que eu sei melhor que a maioria o que é a verdade sobre esse absurdo 'Nordic'. De qualquer forma, eu tenho nessa guerra rancor privado queimando ... contra aquele pequeno ignorante corado Adolf Hitler ... arruinando, pervertendo, aplicação errada, e tornando para sempre amaldiçoado, esse espírito nobre do norte, uma contribuição suprema para a Europa, o que eu tenho já amou, e tentou apresentar em sua verdadeira luz. Nowhere, aliás, foi mais nobre do que na Inglaterra, nem mais cedo santificado e cristianizado.

Em 1968, ele se opôs a uma descrição da Terra Média como "nórdico ", um termo que ele disse que não gostava por causa de sua associação comas teorias racistas.

Guerra total

Tolkien criticaram o uso Allied de táticas de guerra total contra os civis de Alemanha nazista e do Japão imperial. Em uma carta de 1945 a seu filho Christopher, ele escreveu:

Nós deveríamos ter chegado a um estágio de civilização em que pode ainda ser necessário executar um criminoso, mas não para se vangloriar, ou para pendurar sua esposa e filho por ele enquanto a multidão vaiou-orc. A destruição da Alemanha, seja 100 vezes merecido, é uma das mundo-catástrofes mais terríveis. Bem, bem, -você e eu não posso fazer nada sobre isso. E que [devem] ser uma medida da quantidade de culpa que pode justamente ser assumido para anexar a qualquer membro de um país que não é membro do seu governo real. Bem, a primeira Guerra das Máquinas parece estar chegando ao seu final, deixando-inconclusivos capítulo, infelizmente, todos os mais pobres, muitas enlutadas ou mutilados e milhões de mortos, e apenas uma coisa: os triunfantes Machines.

Ele também reagiram com raiva de os excessos de propaganda anti-alemã durante a guerra. Em 1944, ele escreveu em uma carta a seu filho Christopher:

... É angustiante ver a imprensa servil na sarjeta tão baixo como Goebbels em seu auge, gritando que qualquer comandante alemão que guardara para fora em uma situação desesperadora (quando, também, as necessidades militares do seu lado beneficiar claramente) é uma bêbado, e um fanático apaixonado. ... Havia um artigo solene no jornal local defendendo a sério extermínio sistemático de toda a nação alemã como o único curso apropriado após a vitória militar: porque, se você por favor, eles são cascavéis, e não sabem a diferença entre o bem eo mal! (O que o escritor?) Os alemães têm tanto direito de declarar a vermes exterminable poloneses e judeus, subumana, como temos que escolher os alemães: em outras palavras, o direito, o que eles têm feito.

Ele ficou horrorizado com o bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki, referindo-se os cientistas doProjeto Manhattan como "esses físicos lunáticos" e "Babel-construtores ".

Escrita

Tolkien concebeu vários temas que foram reutilizados em sucessivos projectos de seu legendarium , começando com O Livro dos Contos Perdidos , escrito enquanto se recuperando de doenças contraídas durante a batalha do Somme . As duas histórias mais proeminentes, o conto de Beren e Lúthien ea de Túrin, foram transportados para poemas narrativos longos (publicada no The Lays of Beleriand ).

Influências

Histórias de aventura britânicas

Uma das maiores influências sobre Tolkien foi o Artes e Ofícios sábio William Morris.Tolkien quis imitar prosa e poesia romances de Morris, a partir do qual ele tomou sugestões para os nomes dos recursos, como osPântanos Mortos emO Senhor dos AnéiseMirkwood, juntamente com alguns aspectos gerais da abordagem .

Edward Wyke-Smith éterra maravilhosa da Snergs, com seus personagens-título "mesa-elevada", influenciou fortemente a incidentes, temas e representação de corrida de Bilbo emO Hobbit.

Tolkien também citou H. O romance de Rider Haggard Ela em uma entrevista por telefone: "Eu suponho que como um menino Ela me interessou tanto quanto qualquer coisa semelhante a Pedra grega de Amintas [Amenartas], que era o tipo de máquina que tudo ficou em movimento. " Uma suposta fac-símile deste potsherd apareceu na primeira edição do Haggard, ea inscrição antiga que deu à luz, uma vez traduzido, levou os personagens Inglês para antigo reino de Ela. Os críticos têm comparado este dispositivo para o Testamento de Isildur em O Senhor dos Anéis e aos esforços de Tolkien para a produção como uma ilustração de uma página realista do Livro de Mazarbul. Críticos começando com Edwin Muir descobriram semelhanças entre romances de Haggard e Tolkien.

Tolkien escreveu de ficar impressionado como um menino por romance histórico SR de Crockett The Black Douglas e de basear o Necromancer ( Sauron) em seu vilão, Gilles de Retz. Incidentes em ambos O Hobbit e O Senhor dos Anéis são semelhantes em estilo narrativo e ao romance, e seu estilo geral e as imagens têm sido sugeridos como uma influência sobre Tolkien.

Mitologia européia

Tolkien foi muito inspirado pelo início germânica, especialmente Inglês Antigo, literatura, poesia e mitologia, que foram suas áreas de especialização escolhidas e muito amado. Estas fontes de inspiração incluído literatura Inglês Antigo , como Beowulf , sagas nórdicas como a Volsunga saga eo saga Hervarar , a Edda Poética , a prosa Edda , o Nibelungenlied , e inúmeras outras obras culturalmente relacionados. Apesar das semelhanças de seu trabalho para a saga Volsunga eo Nibelungenlied , que foram a base para Richard Wagner 's ciclo de ópera Der Ring des Nibelungen , Tolkien descartou críticos 'comparações diretas para Wagner, dizendo a seu editor, "Ambos os anéis eram redondos, e não cessa a semelhança ". No entanto, alguns críticos acreditam que Tolkien era, na verdade, em débito com Wagner para elementos como o "conceito do Anel como dando o proprietário domínio do mundo ..." Duas das características possuídas pelo Um Anel, sua maldade inerente e poder corrompendo sobre as mentes e vontades, não estavam presentes nas fontes míticas, mas tem um papel central na ópera de Wagner.

Tolkien também reconheceu várias influências não-germânicos ou fontes para algumas de suas histórias e idéias. Sófocles Édipo Rei ele citou como elementos de inspiração de O Silmarillion e Os Filhos de Húrin . Além disso, Tolkien primeiro ler a tradução de William Forsell Kirby do finlandês épico nacional, o Kalevala , enquanto freqüentava a escola do rei Edward. Ele descreveu seu caráter de Väinämöinen como uma de suas influências para Gandalf, o Cinzento. O 'Kalevala s anti-herói Kullervo foi ainda descrito como uma inspiração para Túrin Turambar. Dimitra Fimi, Douglas A. Anderson, John Garth, e muitos outros estudiosos de Tolkien proeminentes acreditam que Tolkien também chamou a influência de uma variedade de Celtic ( Irlandesa, Escocesa e Galês) história e lendas. No entanto, após o Silmarillion manuscrito foi rejeitado, em parte por seu "olho-splitting" nomes celtas, Tolkien negou sua origem celta:

Escusado será dizer que eles não são celta! Nem são os contos. Eu sei as coisas celtas (muitos em suas línguas originais irlandeses e galeses), e sente por eles um certo desgosto: em grande parte por sua irracionalidade fundamental. Eles têm cor brilhante, mas são como uma janela de vitral quebrado remontada sem design. Eles são, de facto, "louco" como o seu leitor diz, mas eu não acredito que eu sou.

Catolicismo

A teologia católica e imagens desempenhado um papel em formar imaginação criativa de Tolkien, impregnado como foi por seu espírito profundamente religioso. Tolkien reconheceu isso mesmo:

O Senhor dos Anéis é, naturalmente, um trabalho fundamentalmente religiosa e católica; inconscientemente, então a princípio, mas conscientemente na revisão. É por isso que eu não colocar em, ou que tenham cortado, praticamente todas as referências a qualquer coisa como "religião", a cultos ou práticas, no mundo imaginário. Para o elemento religioso é absorvida para a história eo simbolismo.

Especificamente, Paul H. Kocher argumenta que Tolkien descreve mal na maneira cristã ortodoxa como a ausência do bem. Ele cita muitos exemplos em O Senhor dos Anéis , como a de Sauron "sem pálpebras dos olhos": "a fenda negra de sua pupila aberto em um poço, uma janela para nada." Kocher vê fonte de Tolkien como Tomás de Aquino , "quem é razoável supor que Tolkien, como um medievalista e um católico, conhece bem". Tom Shippey faz o mesmo ponto, mas, em vez de se referir a Aquino, diz Tolkien estava muito familiarizado com Alfred, o Grande 's tradução anglo-saxão de Boécio consolação da filosofia , conhecida como os Lays de Boécio . Shippey alega que esta visão cristã do mal é mais claramente afirmado por Boécio: "o mal não é nada." Ele diz Tolkien usou o corolário de que o mal não pode criar como a base de observação de Frodo, "a Sombra ... só pode zombar, ele não pode fazer: coisas novas não reais de sua própria", e observações relacionados por Barbárvore e Elrond. Ele continua a argumentar que, em O Senhor dos Anéis mal faz às vezes parecem ser uma força independente, mais do que simplesmente a ausência do bem (embora não sejam independentes, a ponto de a heresia maniqueísta), e sugere que as adições de Alfred a sua tradução de Boécio pode ter inspirado esse ponto de vista.

Outro argumento interessante é a visão teológica de Stratford Caldecott sobre o Anel eo que ela representa. "O Anel do Poder exemplifica a magia negra da vontade corrompida, a afirmação do eu em desobediência a Deus. Ele parece dar liberdade, mas sua verdadeira função é escravizar o utente para o anjo caído. Ele corrói a vontade humana do utente, tornando-o cada vez mais "fina" e irreal, na verdade, o seu dom da invisibilidade simboliza esta capacidade de destruir todas as relações humanas naturais e identidade Você poderia dizer que o Anel é o próprio pecado: tentador e aparentemente inofensivo para começar, cada vez mais difícil de dar. se e corruptora no longo prazo ".

Publicações

Beowulf: os monstros e os críticos

Bem como sua ficção, Tolkien também foi um autor principal da crítica literária acadêmica. Sua palestra seminal 1936, mais tarde publicada como um artigo, revolucionou o tratamento do épico anglo-saxão Beowulf por críticos literários. O ensaio permanece altamente influente no estudo da literatura Inglês Antigo para este dia. Beowulf é uma das influências mais significativas sobre a ficção de Tolkien mais tarde, com os principais detalhes dos dois O Hobbit e O Senhor dos Anéis sendo adaptadas do poema. A peça revela muitos dos aspectos de Beowulf que Tolkien encontrados mais inspirador, o mais proeminente o papel dos monstros na literatura, em especial a do dragão que aparece no terço final do poema:

Quanto ao poema, um dragão, no entanto quente, não faz um verão, ou um host; e um homem bem poderia trocar por um bom dragão que ele não iria vender para um deserto. E dragões, dragões reais, essenciais tanto para as máquinas e as idéias de um poema ou conto, são realmente raros.

Livros infantis e outras obras curtas

Além de suas composições mitopoéticas, Tolkien gostava de inventar histórias de fantasia para entreter seus filhos. Ele escreveu letras anuais do Natal de Pai Natal para eles, a criação de uma série de histórias curtas (mais tarde compiladas e publicadas como As Cartas do Pai Natal ). Outras histórias incluídas Mr. Bliss e Roverandom (para crianças), e Folha por Niggle (parte da árvore e folha ), As Aventuras de Tom Bombadil , On Fairy-Stories , Smith of Wootton Major e fazendeiro Giles de Ham . Roverandom e Smith of Wootton Major , como A Hobbit , emprestado idéias de seu legendarium .

O Hobbit

Tolkien nunca esperava suas histórias para se tornar popular, mas por puro acaso um livro chamado The Hobbit , que ele havia escrito alguns anos antes para seus próprios filhos, veio em 1936 para a atenção de Susan Dagnall, um empregado da empresa de publicação London George Allen & Unwin, que persuadiu Tolkien submetê-lo para publicação. No entanto, o livro atraiu leitores adultos, bem como crianças, e tornou-se popular o suficiente para os editores para pedir Tolkien para produzir uma sequela.

O senhor dos Anéis

O pedido de uma sequela solicitado Tolkien para começar o que se tornaria sua obra mais famosa: o romance épico O Senhor dos Anéis (originalmente publicado em três volumes 1954-1955). Tolkien passou mais de dez anos escrevendo a narrativa e apêndices primário para O Senhor dos Anéis , durante o qual ele recebeu o apoio constante dos Inklings, em especial, seu amigo mais próximo de Lewis, autor de As Crônicas de Nárnia . Ambos O Hobbit e O Senhor dos Anéis são definidas no contexto de O Silmarillion , mas em um tempo muito tempo depois.

Tolkien no primeiro destina O Senhor dos Anéis para ser um conto infantil no estilo de O Hobbit , mas rapidamente cresceu mais escuro e mais grave na escrita. Apesar de uma seqüência direta de O Hobbit , ele se dirigiu a uma audiência mais velha, com base na imensa história por trás de Beleriand que Tolkien tinha construído nos anos anteriores, e que eventualmente viu publicação póstuma em O Silmarillion e outros volumes. A influência de Tolkien pesa sobre o gênero de fantasia que cresceu após o sucesso de O Senhor dos Anéis .

O Senhor dos Anéis tornou-se imensamente popular na década de 1960 e permaneceu assim desde então, classificando como uma das obras mais populares de ficção do século 20, julgado por ambas as vendas e pesquisas de leitor. No "2003 Big Read "pesquisa realizada pela BBC, O Senhor dos Anéis foi encontrado para ser "romance best-amado" do Reino Unido. Os australianos votaram O Senhor dos Anéis "Meu Livro Favorito" em uma pesquisa de 2004 realizada pela ABC australiana. Em uma pesquisa de 1999 clientes Amazon.com, O Senhor dos Anéis foi julgado para ser seu "livro do milênio" favorito. Em 2002 Tolkien foi eleita a 92ª " maior britânico "em uma pesquisa conduzida pela BBC, e em 2004 ele foi eleito o 35o na Grandes sul-africanos de SABC3, a única pessoa a aparecer em ambas as listas. Sua popularidade não se limita ao mundo de fala Inglês: em uma votação 2004 inspirado por "Big Read" pesquisa do Reino Unido, cerca de 250.000 alemães encontraram O Senhor dos Anéis para ser seu trabalho favorito da literatura.

Publicações póstumas

O Silmarillion

Tolkien escreveu um breve "Esboço da Mitologia", que incluía os contos de Beren e Lúthien e de Turim, e que esboço eventualmente evoluiu para o Quenta Silmarillion , uma história épica que Tolkien começou três vezes, mas nunca publicado. Tolkien desesperadamente esperava para publicá-lo junto com O Senhor dos Anéis , mas os editores (ambos Allen & Unwin e Collins) tem os pés frios. Além disso, os custos de impressão foram muito alta em 1950 a Grã-Bretanha, exigindo O Senhor dos Anéis a ser publicado em três volumes. A história desta reformulação contínua é contada na série póstuma A História da Terra-média , editado pelo filho de Tolkien, Christopher Tolkien. Por volta de 1936, Tolkien começou a estender essa estrutura para incluir o conto de A Queda de Númenor , que foi inspirado na lenda de Atlântida .

Tolkien tinha designado seu filho Christopher para ser seuexecutor literário, e ele (com a ajuda deGuy Gavriel Kay, depois, um autor de fantasia bem conhecido em sua própria direita) organizou algum deste material em um único volume coerente, publicado como O Silmarillionem 1977. Ele recebeu o Prêmio Locus para a novela Melhor Fantasia em 1978.

Contos InacabadoseThe History of Middle-earth

Em 1980, Christopher Tolkien publicou uma coleção de material mais fragmentado, com o título Contos Inacabados de Númenor e Terra-média . Nos anos seguintes (1983-1996), ele publicou uma grande quantidade de materiais inéditos restantes, juntamente com as notas e extenso comentário, em uma série de doze volumes chamado A História da Terra-média . Eles contêm inacabada, abandonada, alternativa, e as contas definitivas contraditórias, uma vez que eles estavam sempre um trabalho em andamento para Tolkien e ele só raramente resolvido em uma versão definitiva para qualquer uma das histórias. Não há consistência total entre O Senhor dos Anéis e O Hobbit , as duas obras mais intimamente relacionados, porque Tolkien nunca totalmente integrado todas as suas tradições em outro. Ele comentou, em 1965, durante a edição de O Hobbit para uma terceira edição, que ele teria preferido para reescrever completamente o livro por causa do estilo de sua prosa.

Os Filhos de Húrin

Mais recentemente, em 2007, a coleção foi concluída com a publicação de Os Filhos de Húrin pela HarperCollins (no Reino Unido e Canadá) e Houghton Mifflin (em os EUA). O romance conta a história de Túrin Turambar e sua irmã Nienor, filhos de Húrin Thalion. O material foi compilado por Christopher Tolkien de O Silmarillion , Contos Inacabados , A História da Terra-média , e manuscritos não publicados.

The Legend of Sigurd e Gudrún

Em fevereiro de 2009, Publishers Weekly anunciou que Houghton Mifflin Harcourt tinha adquirido os direitos norte-americanos a obra inédita de Tolkien The Legend of Sigurd e Gudrún . O trabalho, que foi lançado mundialmente em 05 de maio de 2009 por Houghton Mifflin Harcourt e HarperCollins, reconta a lenda de Sigurd e da queda do Niflungs da mitologia germânica. É um poema narrativo composto em verso aliterativo e é modelado após a poesia nórdica antiga do Elder Edda. Christopher Tolkien fornecido anotações e comentários sobre o trabalho de seu pai.

De acordo com Christopher Tolkien, já não é possível rastrear a data exata da composição do trabalho. Com base nas provas circunstanciais, ele sugere que data da década de 1930. Em seu prefácio, ele escreveu: "Ele quase nunca (a meu conhecimento) se referiu a eles. De minha parte, não me lembro de qualquer conversa com ele sobre o assunto até muito perto do final da sua vida, quando ele falou deles para mim, e tentou, sem sucesso, encontrar-los ". Em uma carta 1967 para WH Auden, Tolkien escreveu: "Obrigado por seu esforço maravilhoso em traduzir e reorganização A Canção da Sibila . Em troca novamente, espero enviar você, se eu posso colocar minhas mãos sobre ele (espero que ele isn 't perdeu), uma coisa que fiz muitos anos atrás, quando a tentar aprender a arte de escrever poesia alliterative: uma tentativa de unificar as põe cerca de Volsungos do Edda Antigo, escrito no velho de oito linhas fornyrðislag . stanza "

Mr. Bliss

Um dos menos conhecidos trabalhos curtos de Tolkien é das crianças livro de histórias Mr. Bliss , publicado em 1982. Ele conta a história de Mr. Bliss e seu primeiro passeio em seu novo carro-motor. Muitas aventuras seguir: encontros com ursos, vizinhos irritados, lojistas irados e colisões sortidas. A história foi inspirada próprios percalços veiculares de Tolkien com seu primeiro carro, comprado em 1932. Os ursos foram baseados em ursos de brinquedo de propriedade de filhos de Tolkien. Tolkien foi autor e ilustrador do livro. Ele apresentou-o aos seus editores como um bálsamo para os leitores que estavam com fome para mais dele depois do sucesso de O Hobbit . Os tinta e lápis de cor ilustrações pródigas teria feito os custos de produção proibitivamente caro. Tolkien concordou em redesenhar as imagens em um estilo simples, mas depois descobriu que não tinha tempo para fazê-lo. O livro foi publicado em 1982 como um fac-símile do manuscrito ilustrado difícil de ler de Tolkien, com uma transcrição typeset em cada página virada.

Locais Manuscrito

Antes de sua morte Tolkien negociou a venda dos manuscritos, rascunhos, provas e outros materiais relacionados com as suas obras, em seguida, publicados - incluindo O Senhor dos Anéis , O Hobbit e fazendeiro Giles de Ham - ao Departamento de Coleções Especiais e Arquivos da Universidade em John da Universidade de Marquette P. Raynor, SJ, Biblioteca em Milwaukee, Wisconsin. Após sua morte, seu espólio doado os papéis contendo de Tolkien Silmarillion mitologia e seu trabalho acadêmico a Universidade de Oxford 's Biblioteca Bodleian.

Em 2009, um projecto parcial da Língua e da natureza humana, que Tolkien começou co-escrita comCS Lewis, mas nunca tinha concluído, foi descoberto na Biblioteca Bodleian.

Línguas e filologia

Carreira linguística

Ambos carreira acadêmica de Tolkien e sua produção literária são inseparáveis ​​de seu amor da língua e filologia. Especializou-se em Inglês filologia na universidade e em 1915 formou com Old Norse como tema especial. Ele trabalhou para o Dicionário Oxford de Inglês desde 1918 e é creditado por ter trabalhado em uma série de palavras que começam com a letra W, incluindo morsa , sobre a qual ele lutava poderosamente. Em 1920, ele se tornou Reader em Inglês Língua na Universidade de Leeds, onde ele reivindicou o crédito para aumentar o número de estudantes de lingüística de cinco a vinte. Deu cursos de Inglês Old verso heróico, história do Inglês, vários ingleses velhos e textos Médio Inglês, Antigo e Médio Inglês filologia, introdutório filologia germânica, Gótico, Old Icelandic, e Medieval Welsh. Quando, em 1925, com idades entre trinta e três anos, Tolkien aplicado para o Rawlinson e Bosworth Professorship de anglo-saxão no Pembroke College, Oxford, ele se gabou de que seus estudantes de filologia germânica em Leeds tinha sequer formou um " Viking Club ". Ele também tinha um certo, ainda que imperfeito, o conhecimento de finlandês.

Em privado, Tolkien foi atraído para "coisas de racial significado e linguística ", e em sua palestra 1.955 Inglês e Welsh , que é crucial para o seu entendimento de raça e língua, ele entretido noções de "predileções linguísticos inerentes", que ele chamou de " língua nativa ", em oposição ao" berço-língua "que uma pessoa aprende a falar primeiro. Ele considerou o dialeto West Midlands do Inglês Médio para ser sua própria "língua nativa", e, como ele escreveu para WH Auden em 1955, "Eu sou um West-midlander pelo sangue (e levou ao início de oeste-Midland Inglês Médio como um língua conhecida assim que pôs os olhos sobre ele). "

Tolkien aprendeu latim , francês e alemão de sua mãe, e ao mesmo tempo na escola, ele aprendeu Médio Inglês, Inglês Antigo, finlandês, gótico, grego, italiano, norueguês antigo, Espanhol, Galês, e Medieval Welsh. Ele também estava familiarizado com dinamarquês, holandês, Lombardic, formas norueguês, russo, sérvio, sueco e mais velhos das modernas línguas germânicas e eslavas, revelando seu conhecimento linguístico profundo, acima de tudo, da Línguas germânicas.

Construção Idioma

Ah! como ouro caem as folhas ao vento, longos anos inumeráveis ​​como as asas das árvores! O início do Quenya poema Namárië escrito em tengwar e em Latin script.

Paralelo ao trabalho profissional de Tolkien como um filólogo, e às vezes ofuscando este trabalho, no sentido de que sua produção acadêmica permaneceu bastante fino, era o seu afeto para a construção de idiomas. O mais desenvolvido destes são Quenya e Sindarin, a ligação etimológica entre os quais formaram o núcleo de grande parte de Tolkien legendarium . Linguagem e gramática para Tolkien era uma questão de estética e eufonia, e Quenya em particular, foi concebido a partir de considerações "fonoestético"; Foi concebida como um "Elvenlatin", e foi phonologically baseado em Latina, com ingredientes de finlandês, Galês, Inglês e Grego. Uma adição notável veio no final de 1945 com Adûnaic ou númenoriano, uma língua de um "fracamente sabor semita ", conectado com de Tolkien Atlantis lenda, que por The Notion Club Papers laços diretamente em suas idéias sobre a incapacidade da linguagem para ser herdada, e através do " Segunda Era "ea história de Eärendil foi fundamentada na legendarium , proporcionando assim uma ligação de 20 do século de Tolkien "real mundo primário" com o passado lendário da Terra-média dele.

Tolkien considerou línguas inseparáveis ​​da mitologia associada com eles, e consequentemente ele tomou uma visão sombria delínguas auxiliares: em 1930, um congresso de esperantistas foi dito tanto por ele, em sua palestra Um Vício Secreto, "Sua construção idioma produzirá uma mitologia ", mas em 1956 ele havia concluído que"volapuque,Esperanto,Ido,Novial, & c, & c, estão mortos, muito mais morto do que línguas não utilizadas antigos, porque os seus autores não inventou nenhum lendas Esperanto ".

A popularidade dos livros de Tolkien tem tido um efeito pequeno, mas duradouro sobre o uso da linguagem na literatura de fantasia em particular, e até mesmo em dicionários tradicionais, que hoje comumente aceita grafias idiossincráticas de Tolkien anões e anão (ao lado de anões e anões ), que tinham sido pouco utilizado desde meados do século 19 e no início. (Na verdade, de acordo com Tolkien, tinha o Old Inglês plural sobrevivido, teria sido dwarrows ou dwerrows .) Ele também cunhou o termo eucatástrofe , embora permaneça usado principalmente em conexão com seu próprio trabalho.

Legado

Adaptações

Em uma carta 1951 a Milton Waldman, Tolkien escreveu sobre suas intenções para criar um "corpo de mais ou menos conectados lenda", de que "[o] s ciclos devem ser ligados a um todo majestoso, e ainda assim deixar espaço para outras mentes e mãos, empunhando pintura e música e drama ". As mãos e mentes de muitos artistas foram realmente inspirados por lendas de Tolkien. Conhecido pessoalmente a ele eram Pauline Baynes (ilustrador favorito de Tolkien de As Aventuras de Tom Bombadil e fazendeiro Giles de Ham ) e Donald Swann (que definir a música de The Road Goes Ever On ). Rainha Margrethe II da Dinamarca criou ilustrações para O Senhor dos Anéis no início de 1970. Ela enviou-as para Tolkien, que ficou impressionado com a semelhança eles suportaram em grande estilo para seus próprios desenhos.

No entanto, Tolkien não gostava de toda a representação artística de seus trabalhos que foram produzidos em sua vida, e às vezes era duramente desaprovando. Em 1946, ele rejeitou sugestões de ilustrações de Horus Engels para a edição alemã de O Hobbit como "muito Disnified ... Bilbo com um nariz drible, e Gandalf como uma figura de diversão vulgar em vez do Odinic andarilho que penso ".

Tolkien era cético em relação ao emergentefandom de Tolkien nos Estados Unidos, e em 1954 ele voltou propostas para as sobrecapas da edição americana deO Senhor dos Anéis:

Obrigado por me enviar os '' blurbs projetadas, que eu voltar. Os norte-americanos não são como regra em todos passíveis de crítica ou correção; mas acho que seu esforço é tão pobre que eu me sinto constrangido a fazer algum esforço para melhorá-lo.

Ele tinha demitido representações dramáticas de fantasia em seu ensaio "On Fairy-Stories ", apresentada pela primeira vez em 1939:

Na arte da fantasia humana é uma coisa melhor deixar para palavras, a verdadeira literatura. [...] O drama é naturalmente hostil à fantasia. Fantasia, mesmo do tipo mais simples, quase nunca consegue Drama, quando que se apresenta como deveria ser, visível e audível agiu.

Ao receber um roteiro para uma proposta de adaptação para o cinema deO Senhor dos Anéispor Morton Grady Zimmerman, Tolkien escreveu:

Gostaria de pedir-lhes para fazer um esforço de imaginação suficiente para entender a irritação (e de vez em quando o ressentimento) de um autor, que encontra, cada vez mais como ele procede, o seu trabalho tratado como pareceria descuidada em geral, em locais de forma imprudente, e sem sinais evidentes de qualquer apreciação do que se trata.

Tolkien passou a criticar a cena do roteiro de cena ("mais uma cena de gritos e slashings em vez sem sentido"). Ele não era implacavelmente oposto à idéia de uma adaptação dramática, no entanto, e vendeu o filme, palco e mercadoria direitos de O Hobbit e O Senhor dos Anéis a United Artists em 1968. United Artists nunca fez um filme, embora o diretor John Boorman estava planejando um filme live-action no início de 1970. Em 1976, os direitos foram vendidos a Tolkien Enterprises, uma divisão do Saul Zaentz Companhia, ea primeira adaptação cinematográfica de O Senhor dos Anéis apareceu em 1978, um animado filme rotoscopia dirigido por Ralph Bakshi com roteiro pelo escritor de fantasia Peter S. Beagle. Ele coberto apenas a primeira metade da história de O Senhor dos Anéis . Em 1977 uma produção de TV animada de O Hobbit foi feita por Rankin-Bass, e em 1980 eles produziram um animado O Retorno do Rei , que cobriu algumas das porções de O Senhor dos Anéis que Bakshi não conseguiu concluir.

De 2001 a 2003,a New Line Cinema lançou O Senhor dos Anéiscomo uma trilogia de filmes live-action, que foram filmados na Nova Zelândia e dirigido por Sir Peter Jackson.A série foi bem-sucedida, realizando extremamente bem comercialmente e ganhando váriosOscars.

Haverá umatrilogia de filmes baseados emO Hobbit. Senhor Peter Jackson servirá como produtor executivo, diretor e co-roteirista.

Memoriais

Postumamente nomeado após Tolkien são a Tolkien Road em Eastbourne, East Sussex, eo asteróide 2675 Tolkien descoberto em 1982. Tolkien Way em Stoke-on-Trent é nomeado após o filho mais velho de Tolkien, Fr. John Francis Tolkien, que era o sacerdote encarregado na vizinha Igreja Católica Romana de Nossa Senhora dos Anjos e St. Peter in Chains. Há também um é cátedra em nome de Tolkien em Oxford, o JRR Tolkien Professor de Inglês e Literatura e Linguagem.

Na cidade holandesa de Geldrop, perto de Eindhoven, as ruas de todo um novo bairro são nomeados após o próprio Tolkien ("Laan van Tolkien") e alguns dos personagens mais conhecidos de seus livros. Um gaff-topsail escuna de Holanda registro usado para cruzeiros de passageiros no Mar Báltico e em outros lugares em águas europeias foi nomeado JR Tolkien em 1998.

No Salão Verde e Moseley áreas de Birmingham , há uma série de parques e passarelas dedicados a JRR Tolkien-mais notavelmente, o Caminho Millstream e Moseley Bog. Coletivamente, os parques são conhecidos como os Parques do país Shire. Todos os anos, Sarehole Mill o fim de semana Tolkien é retido na memória do autor; o quinquagésimo aniversário do lançamento de O Senhor dos Anéis foi comemorado em 2005.

Nas cidades do Vale do Silício deSaratoga eSan Jose, na Califórnia, há dois empreendimentos habitacionais com nomes de ruas retirados de obras de Tolkien. No Universidade da Califórnia em Davis estão "Baggins End Habitação Inovadora", uma comuna no campus consiste de 14 de poliuretano-isolados cúpulas de fibra de vidro, e um desenvolvimento fora do campus conhecido como "Village Homes", uma comunidade planejada projetado para ser ecologicamente sustentável e cuja rua nomes são retirados deO Senhor dos Anéis. No Universidade da Califórnia em Irvine é a comunidade de habitação "Terra Média" onde cada edifício é nomeado após um lugar emO HobbitouO Senhor dos Anéis. No University of California, Berkeley, oBerkeley Student Cooperativa inclui uma casa tema vegetariano conhecido como Lothlórien, cujos moradores são conhecidos como "duendes".

O Columbia, Maryland, bairro de Glen do Hobbit e seus nomes de ruas (incluindo Rivendell Lane, Tooks Way, e Oakenshield Circle) vêm de trabalhos de Tolkien. Há também um restaurante Hobbit em Ocean City, Maryland, e outros locais em todo o mundo.

Em 01 de dezembro de 2012, foi anunciado naNova Zelândiaimprensa que uma oferta foi lançada para oConselho Geographic Nova Zelândia para citar um pico de montanha perto deMilford Sound depois de Tolkien por razões históricas e literárias e para marcar o aniversário de 121 Tolkien.

Desde 2003a Sociedade Tolkien organizouTolkien Reading Day, que acontece no dia 25 de março, em escolas de todo o mundo.

Em Weston-super-Mare, Somerset, Inglaterra, há uma coleção de estradas no 'Weston Village' em homenagem a localidades da Terra Média; Hobbiton Road, Bree Fechar, Arnor Fechar, Rivendell, Westmarch Way e Buckland Green.

Placas comemorativas

Azul placa de Sarehole Mill
The Plough and Harrow 'chapa azul s

Há sete placas azuis em Inglaterra que comemoram lugares associados com Tolkien: um em Oxford, um em Bournemouth, quatro em Birmingham e um em Leeds. Uma das placas Birmingham comemora a inspiração fornecida por Sarehole Mill, perto da qual ele viveu entre as idades de quatro e oito anos, enquanto duas casas de marca de infância até o momento em que ele deixou de participar da universidade de Oxford e as outras marcas um hotel que fiquei antes deixando para a França durante a Primeira Guerra Mundial A placa em West Park, Leeds, comemora os cinco anos Tolkien apreciadas no Leeds como leitor e então professor de Inglês na Universidade. A placa Oxford comemora a residência onde Tolkien escreveu O Hobbit e mais de O Senhor dos Anéis .

Endereço ComemoraçãoData revelado Publicado por
Sarehole Mill
Hall Green, Birmingham
"Inspirado" 1896-1900
(ou seja, vivia nas proximidades)
15 de agosto de 2002Birmingham Sociedade Cívica e
A Sociedade Tolkien
1 Duchess Lugar
Ladywood, Birmingham
Viveu aqui perto 1902-1910 Desconhecido Birmingham Society Civic
4 Highfield Estrada
Edgbaston, Birmingham
Viveu aqui 1910-1911 Desconhecido Birmingham Sociedade Cívica e
A Sociedade Tolkien
Plough and Harrow
Hagley Road, Birmingham
Fiquei aqui jun 1916Junho 1997A Sociedade Tolkien
2 Darnley Estrada
West Park, Leeds
Primeira nomeação acadêmica, Leeds01 de outubro de 2012A Sociedade Tolkien
eo Leeds Civic Confiança
20 Northmoor Estrada
North Oxford
Viveu aqui 1930-194703 de dezembro de 2002Oxfordshire azul placas Board
Hotel Miramar, East Overcliff unidade
Bournemouth
Fiquei aqui regularmente desde 1950 até 197210 de junho de 1992 por Priscilla TolkienBorough of Bournemouth

Outras duas placas que marcam edifícios associados com Tolkien são encontrados em Oxford e Harrogate. A placa Harrogate comemora uma residência onde Tolkien convalescia de febre das trincheiras em 1917, enquanto a placa Oxford marca sua casa 1953-1968 em 76 Sandfield Road, Headington.

Autógrafos

Tolkien raramente assinado suas obras e seu autógrafo tornou-se altamente valorizado por colecionadores.

Ao contrário de outros autores do gênero, Tolkien nunca favoreceu assinar suas obras. Devido à sua popularidade, cópias handsigned de suas cartas ou das primeiras edições de seus escritos individuais têm, porém, alcançou valores elevados em leilões, e autógrafos falsos podem ocorrer no mercado. Em particular, a primeira edição de capa dura assinada de O Hobbit , de 1937 supostamente foi oferecido por US $ 85.000. Colecionadores também incluem livros de não-ficção com anotações escritas à mão da biblioteca privada de Tolkien.

Retirado de " http://en.wikipedia.org/w/index.php?title=J._R._R._Tolkien&oldid=546373895 "